O chefe de polícia do campus da Universidade da Califórnia, em Los Angeles, foi destituído de seu cargo na sequência de um ataque violento que durou horas num acampamento pró-Palestina na escola, durante o qual os agentes de segurança não intervieram.

O chefe, John Thomas, foi transferido temporariamente enquanto a universidade examina seus processos de segurança, segundo funcionários da UCLA.

O Sr. Thomas estava sob intensa crítica por causa do atraso na resposta da universidade à confusão que eclodiu na noite de 30 de abril, na qual pessoas foram espancadas com varas ou chutadas, objetos foram atirados e produtos químicos foram pulverizados no ar. Muitos dos que cometeram violência não pareciam ser estudantes.

Mesmo depois que policiais do Departamento de Polícia de Los Angeles chegaram ao local, nenhuma prisão foi feita.

A universidade cancelou as aulas presenciais no dia seguinte, adiou os exames intermediários e se esforçou para lidar com a erupção noturna de violência sangrenta.

Gawin Gibson foi nomeado chefe de polícia interino do campus, disse Mary Osako, vice-chanceler de comunicações estratégicas, em um comunicado. Sr. Gibson era o capitão do departamento de operações da universidade, de acordo com o site da escola.

“A UCLA criou um novo Escritório de Segurança Campus que está conduzindo um exame minucioso de nossos processos de segurança, com o objetivo de melhorar o bem-estar e a segurança de nossa comunidade”, disse a Sra. Osako.