A Don’t Nod, estúdio por trás de Life is Strange, definitivamente está ocupada nos últimos meses. Após lançar Banishers: Ghosts of New Eden e conquistar bons elogios da crítica e do público, agora o estúdio francês prepara o terreno para a chegada de Lost Records: Bloom and Rage — uma nova IP focada em narrativa que foi revelada no palco do The Game Awards 2023.

O desenvolvimento de Lost Records: Bloom and Rage está sendo liderado por Luc Baghadoust e Michel Koch, produtor executivo e diretor criativo, respectivamente. O projeto é descrito como o primeiro da franquia Lost Records — portanto, a Don’t Nod parece ter grandes planos para a nova IP da casa.

Além disso, assim como em outros títulos da empresa, como Tell Me Why e o próprio Life is Strange, Lost Records: Bloom and Rage será lançado em formato episódico de apenas duas partes.

Koch explicou ao GamesRadar que a decisão por trás do lançamento em partes é encorajar diferentes tipos de discussões nas redes sociais. “O que é algo que perdemos com o formato Netflix”, justificou.

Qual a história de Lost Records: Bloom and Rage?

Ambientado em 1995 na cidade fictícia de Velvet Core, a história de Lost Records: Bloom and Rage será focada em Swann, Nora, Autumn e Kat, que eram amigas inseparáveis na época do ensino médio e, após 27 anos sem contato, se reencontram em circunstâncias nada ideais que as forçam a “confrontar um segredo enterrado há muito tempo”.

Protagonistas de Lost Records: Bloom and Rage.Protagonistas de Lost Records: Bloom and Rage.Fonte:  Don’t Nod 

Swann é uma garota “introvertida e ingênua” que ama sua câmera, enquanto Nora é a “rebelde”, Autumn a “líder atenciosa” e Kat uma jovem “enigmática e perseverante”.

Após uma série de acontecimentos que leva a “algo inexplicável”, a irmandade é obrigada a prometer que nunca mais se encontrarão de novo. Após vinte e sete anos, o destino assume as rédeas e obriga as quatro a confrontar um segredo que deixaram para trás em 1995.

Com isso, o rumo das vidas das personagens serão totalmente alterados por uma promessa feita há anos. Claro, assim como em Life is Strange, em Lost Records: Bloom and Rage você também deverá fazer escolhas para definir os rumos da narrativa — tanto no passado quanto presente.

Como será o gameplay de Lost Records: Bloom and Rage?

Em entrevista à CG Magazine, o diretor criativo também explicou como as coisas vão funcionar em Lost Records: Bloom and Rage. “Você jogará em ambas as linhas do tempo, e a escolha que você fizer no presente afetará algo do passado, e vice-versa”.

“Portanto, estamos pensando que ter esse tipo de configuração nos permitirá trazer novos interesses e reviravoltas no gênero”, explicou Koch.

A câmera de Swann desempenhará um papel fundamental no gameplay de Lost Records: Bloom and Rage.A câmera de Swann desempenhará um papel fundamental no gameplay de Lost Records: Bloom and Rage.Fonte:  Don’t Nod 

Além disso, a filmadora de Swann desempenhará um “grande papel” e criará uma “conexão com você e seu personagem”. “Não quero estragar o que estamos fazendo com o jogo, mas como vocês viram no teaser, Swann usou uma filmadora durante sua vida nos anos 1990”.

“Então, quando você jogar o ‘Past Memories’ em 1995, você terá acesso a esta câmera de vídeo, e não vou revelar como ela será usada no jogo, mas isso criará uma conexão com você e seu personagem, e será usado tanto para resolver quebra-cabeças quanto para contar histórias”, concluiu o diretor criativo.

Quando Lost Records: Bloom and Rage será lançado?

A data exata para a estreia de Lost Records: Bloom and Rage ainda não foi definida, mas a Don’t Nod pretende lançar o jogo “no fim de 2024” para PlayStation 5, Xbox Series X|S e PC (Steam).

O que achou do novo projeto do estúdio francês? Comente suas expectativas nas redes sociais do Voxel!



Source link