O presidente Biden e o ex-presidente Donald J. Trump estão dando aos eleitores pelo menos duas oportunidades de avaliá-los num palco de debate antes das eleições, embora os seus planos subvertam a estrutura tradicional dos debates presidenciais.

O primeiro debate terá lugar muito mais cedo do que tem sido habitual e, até agora, nenhum dos dois envolverá a comissão que acolhe os debates presidenciais desde 1988.

Aqui está o que você deve saber:

O primeiro debate será no dia 27 de junho, organizado pela CNN em seus estúdios em Atlanta. A segunda, apresentada pela ABC News, está marcada para 10 de setembro.

Junho é muito mais cedo do que quando normalmente acontecem os debates presidenciais. Os candidatos dos principais partidos geralmente se enfrentam no final de setembro e outubro, próximo ao dia das eleições. Mas a equipe de Biden quer encerrar os debates com o início da votação antecipada.

A sua campanha sugeriu que os debates anteriores dariam aos eleitores a oportunidade de julgar os candidatos antes das votações antecipadas e permitiriam que os nomeados se concentrassem na campanha nas semanas finais da corrida.

Com o debate da CNN se aproximando rapidamente, aqueles termos foram definidos. Aqui está o que sabemos:

  • Será realizado sem plateia, atendendo a uma das demandas da equipe de Biden, que queria evitar uma plateia presencial que pudesse aplaudir, vaiar e atrapalhar a conversa.

  • O debate terá início às 21h, horário do Leste, e terá duração de 90 minutos com dois intervalos comerciais.

  • Os microfones dos candidatos ficarão silenciados quando não for sua vez de falar, atendendo a outra exigência da campanha de Biden.

  • Apenas Trump e Biden estarão no palco. Robert F. Kennedy Jr., o candidato independente que tem votado na adolescência, não conseguiu se qualificar.

  • Os candidatos subirão ao pódio.

  • Jake Tapper e Dana Bash serão os moderadores.

Poucos detalhes são conhecidos sobre o debate da ABC News, mas foi anunciado que David Muir e Linsey Davis serão os moderadores.

O calendário de debates de longa data não é a única coisa que está sendo alterada.

A Comissão de Debates Presidenciais organiza debates há quase 40 anos, mas Trump e Biden expressaram queixas sobre o processo e a organização. Nenhum dos debates concordou em envolver a comissão, que havia marcado seus debates para 16 de setembro, 1º de outubro e 9 de outubro.

E para o debate de junho, Biden e Trump ainda serão apenas os possíveis indicados – isso porque está ocorrendo antes das convenções formais de nomeação de ambos os partidos, outra ruptura com a tradição de longa data.

Enquanto os dois homens conquistou as nomeações do seu partido em março, Trump não deverá aceitar formalmente a indicação republicana até que o partido realize sua convenção em julho, em Milwaukee. Biden aceitará formalmente a indicação democrata durante a convenção do partido em agosto, em Chicago.

Trump e Biden pareceram ter lançado o desafio em maio, quando se comprometeram com os dois debates. E não houve ameaças de cancelamento trocadas entre os dois desde então.

Ainda assim, o cancelamento de um debate presidencial não seria uma novidade.

Em 2020, o segundo de três debates teve que ser descartado depois que Trump se recusou a participar virtualmente, o que foi proposto pela comissão de debate por causa da pandemia do coronavírus.

E neste ciclo eleitoral, Trump contornou os debates primários republicanos, por vezes organizando a sua própria contraprogramação através das câmaras municipais televisionadas.