O mercado de smartphones na América Latina apresentou um crescimento de 26% na quantidade de aparelhos vendidos no primeiro trimestre de 2024, comparado com o desempenho no mesmo período do ano anterior. A informação é de um estudo publicado pela Canalys.

Segundo o relatório, a região voltou a crescer nesse mercado após períodos de queda nos últimos dois anos — situação normalizada apenas no segundo semestre de 2023. A Canalys aponta como motivos para o crescimento uma melhora na condição econômica geral e um catálogo renovado das marcas para atrair o consumidor.

O período de alta na venda de celulares segue na América Latina.O período de alta na venda de celulares segue na América Latina.Fonte:  Canalys 

Os destaques em vendas no começo deste ano estão no segmento de dispositivos intermediários, como as linhas Samsung Galaxy A, Xiaomi Redmi e Motorola Moto G. O levantamento não chega a diferenciar modelos comprados direto das companhias e de revendedoras autorizadas ou aqueles do chamado “mercado cinza”, bastante popular no Brasil.

No ano passado, o segmento premium foi o que registrou uma alta global. Como são dispositivos de maior preço e durabilidade, eles acabam mudando a estrutura do mercado e gerando uma comercialização menor de unidades a cada ano pelas trocas menos frequentes.

Samsung é líder, mas não comemora

Em relação ao desempenho individual das fabricantes, a sul-coreana Samsung manteve a liderança já consolidada. Ela vendeu 6% a mais de aparelhos no último ano e tem 32% do mercado latino-americano.

Esse valor, porém, representa uma queda no seu domínio, já que as rivais cresceram ainda mais. Tirando a Motorola, que só cresceu 1% e também perdeu mercado (de 21% para 17% do setor), as outras três integrantes do top 5 dispararam na comercialização de aparelhos.

O top 5 de marcas de celular na América Latina.O top 5 de marcas de celular na América Latina.Fonte:  Canalys 

A Xiaomi (15% do mercado) registrou uma alta de 45% e segue estável na terceira colocação. Só que ela agora está ameaçada pela Transsion, dona da marca Infinix, que saltou para 10% ao triplicar a quantidade de modelos vendidos na América Latina.

Próxima do Brasil, a Honor agora tem 7% do mercado e foi a que mais cresceu, com 293% a mais de dispositivos comercializados por aqui.

A Canalys analisou também a presença de ecossistemas de fabricantes, ou seja, a venda de outros aparelhos de uma mesma marca. A situação é a mesma do ranking de celulares, com a Samsung se beneficiando da venda de equipamentos de áudio da Harman, tablets e pulseiras inteligentes.

O ranking de ecossistemas não apresenta mudanças.O ranking de ecossistemas não apresenta mudanças.Fonte:  Canalys 

A Apple aparece apenas em sexto, muito pela venda de produtos como AirPods e o iPad. Completam a lista geral a Oppo e a ZTE, praticamente apenas com celulares entre os dispositivos de relevância.



Source link