Segundo as medições dos instrumentos atuais, a ciência afirma que o Sistema Solar nasceu há aproximadamente 4,6 bilhões de anos. Apesar de não ser o momento exato do nascimento do nosso sistema, a história começa um pouco antes. Foi no início de tudo que o Big Bang, há cerca de 13,8 bilhões de anos, formou o universo que conhecemos e possibilitou o desenvolvimento do Sol, da Terra e dos outros objetos celestes no cosmos.

A formação do Sistema Solar começou quando uma nuvem molecular passou por uma grande transformação. A reação formou uma protoestrela que se transformou no Sol, a estrela responsável por manter a habitabilidade da Terra e permitir algumas das características terrestres que conhecemos.

Desde o início de tudo, o Sistema Solar está em um período muito mais calmo, e a queda de objetos cósmicos na Terra não é mais um grande problema — apesar disso, alguns meteoros ainda podem representar uma ameaça ao nosso planeta. Desde então, a Terra completou bilhões de voltas ao redor dele. Mas e o Sol?

“A gravidade do Sol mantém o sistema solar unido, mantendo tudo — desde os maiores planetas até às mais pequenas partículas de detritos — na sua órbita. A conexão e as interações entre o Sol e a Terra determinam as estações, as correntes oceânicas, o tempo, o clima, os cinturões de radiação e as auroras. Embora seja especial para nós, existem milhares de milhões de estrelas como o nosso Sol espalhadas pela Via Láctea”, a Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço dos EUA (NASA) explica.

O fato é que a Terra está se movendo rapidamente pelo espaço e nem sequer percebemos essa movimentação. E o mais estranho é que não é apenas a Terra que está se movendo; a principal estrela do sistema também está se girando ao redor da Via Láctea. Afinal, quantas voltas o Sol já completou na Via Láctea?

Órbitas do Sol na Via Láctea

Apesar de a ciência conhecer uma boa parte da história do Sistema Solar, compreender exatamente o número de vezes que a estrela girou ao redor da Via Láctea não é tão simples. No caso da Terra, a compreensão da órbita é mais simples porque é relativamente fácil calcular o caminho estável e mais curto do planeta, em comparação com a movimentação longa e instável do Sol na nossa galáxia.

A velocidade atual de movimentação da estrutura solar é de cerca de 720 mil quilômetros por hora, o que permite um giro completo ao redor da Via Láctea aproximadamente entre 220 milhões de 230 milhões de anos. Considerando uma matemática mais simples, em 4,6 bilhões de anos desde a sua formação inicial, o Sol pode ter completado apenas entre 20 e 21 voltas ao redor da galáxia.

“O Sol orbita o centro da Via Láctea, trazendo consigo os planetas, asteroides, cometas e outros objetos do nosso sistema solar. Nosso sistema solar está se movendo a uma velocidade média de 450.000 milhas por hora (720.000 quilômetros por hora). Mas mesmo a esta velocidade, o Sol demora cerca de 230 milhões de anos a dar uma volta completa à volta da Via Láctea”, a NASA descreve em uma publicação sobre o Sol.

O Sol nasceu há 4,6 bilhões de anos, mas a Terra só iniciou sua formação aproximadamente 100 milhões de anos depois.O Sol nasceu há 4,6 bilhões de anos, mas a Terra só iniciou sua formação aproximadamente 100 milhões de anos depois.Fonte:  Getty Images 

Já o giro da Terra passou por algumas mudanças até chegar à sua condição atual, mas essas variações não são tão significativas considerando os bilhões de anos desde a sua formação. Como a órbita terrestre leva um ano para completar uma volta ao redor do Sol, os cientistas estimam que nosso planeta já tenha realizado cerca de 4,5 bilhões de órbitas.

O movimento do Sol ao redor da Via Láctea pode ter mudado diversas vezes ao longo desses bilhões de anos, por isso, não é tão fácil determinar o número exato de voltas. Em uma mensagem ao site Live Science, o astrofísico Victor Debattista, da Universidade Central de Lancashire (Reino Unido), afirmou que o Sol não deve ter nascido onde está localizado atualmente. Provavelmente, a estrela nasceu muito mais perto do centro da Via Láctea, a cerca de 16,3 mil anos-luz do núcleo da galáxia.

O período orbital da estrela também era muito mais curto durante o início de sua formação, possivelmente levando 125 milhões de anos para completar uma volta. Ou seja, pode ser que o número de órbitas seja maior do que a estimativa citada, mas ainda não há um resultado exato para essa questão.

Gostou do conteúdo? Então, fique por dentro de mais curiosidades sobre astronomia aqui TecMundo. Se desejar, aproveite para descobrir como será o futuro da Via Láctea.



Source link