O procurador-chefe do Tribunal Penal Internacional disse na segunda-feira que havia solicitado mandados de prisão para os líderes do Hamas e para o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, de Israel, por crimes de guerra e crimes contra a humanidade em relação aos ataques de 7 de outubro em Israel e à guerra em Gaza. .

Num comunicado, o promotor, Karim Khan, disse que buscaria mandados para Yahya Sinwar, Muhammad Deif e Ismail Haniyeh do Hamas. Ele também disse que estava solicitando mandados para Netanyahu e para o ministro da Defesa de Israel, Yoav Gallant.

Embora o pedido de Khan ainda deva ser aprovado pelos juízes do tribunal, o anúncio é um golpe para o governo de Netanyahu e provavelmente alimentará as críticas internacionais à estratégia de Israel em sua campanha de sete meses contra o Hamas e ao preço da guerra em Gaza. civis.

Não houve resposta imediata do governo israelense ou do Hamas. Israel não é membro do tribunal e não reconhece a sua jurisdição em Israel ou em Gaza. Mas se forem emitidos mandados, os citados poderão ser presos se viajarem para um dos tribunais 124 nações membrosque inclui a maioria dos países europeus, mas não os Estados Unidos.