Por Vitor Haueisen. 

O termo web 2.0 é utilizado para descrever a segunda geração da internet, onde o conteúdo a ser consumido pelos usuários passou a ser criado por seus próprios consumidores (UGC – user generated content), em comunidades virtuais. Plataformas como Wikipédia ou redes sociais são exemplos nítidos de comunidades web 2, embora tais conceitos possam ser observados por toda a internet atualmente.

Nos últimos anos, podemos observar uma tendência parecida em alguns dos jogos mais jogados na atualidade: plataformas como o Minecraft Marketplace, Roblox ou Fortnite Modo Criativo emergiram como uma força transformadora para o mundo dos videogames.

Estas plataformas permitem que seus próprios jogadores criem e compartilhem conteúdo dentro do próprio jogo, facilitando o desenvolvimento e publicação destas experiências. Essa tendência não representa apenas uma mudança na forma como os jogos são desenvolvidos e consumidos, mas também representa uma convergência entre tecnologia, criatividade, comunidades e os princípios da Web 2.0.

UGC jogosAs plataformas de jogos UGC estão posicionadas para continuar a crescer e inovar.

A ascensão e o sucesso dessas plataformas apontam para um futuro em que a criatividade e a personalização serão cada vez mais valorizadas pelos jogadores. À medida que a demanda por experiências de jogo únicas e personalizadas continua a crescer, é provável que essas plataformas se tornem cada vez mais populares, integradas e sofisticadas.

Neste contexto, existe uma oportunidade extraordinária para marcas que desejam explorar o potencial do mercado de jogos para realizar publicidade.

Por meio das plataformas de jogos UGC, as marcas aproveitam da base de usuários dessas plataformas para envolver seu público-alvo de uma forma interativa e envolvente.

Ao criar conteúdo personalizado ou colaborar com as comunidades gamers para desenvolver conteúdos relacionados à sua marca, essas empresas aumentam o envolvimento dos usuários e constroem uma conexão mais profunda com sua base de fãs. Isso pode incluir desde a criação de itens ou personagens temáticos até o desenvolvimento facilitado de experiências de jogo inteiras baseadas na marca ou campanhas.

Apesar deste potencial, é crucial que as marcas abordem essa estratégia com sensibilidade e autenticidade, garantindo que o conteúdo seja relevante para os jogadores e não somente uma forma de publicidade, respeitando, desta maneira, a integridade da comunidade de jogos.

Com o potencial de moldar o futuro dos jogos e oferecer novas oportunidades para marcas se envolverem com seu público, as plataformas de jogos UGC estão, portanto, posicionadas para continuar a crescer e inovar. Ao abraçar essa tendência e explorar suas possibilidades, as marcas expandem sua presença no mundo dos videogames e criam conexões mais significativas com os jogadores de hoje e do futuro.

**** 

Vitor Haueisen é Cofundador e Diretor de Tecnologia da Rogue Unit.



Source link