De acordo com um novo estudo publicado na revista científica Monthly Notices of the Royal Astronomical Society, um grupo de astrônomos fez a descoberta de um novo exoplaneta que pode ser semelhante à Terra, oferecendo condições habitáveis para a formação da vida. Nomeado Gliese 12 b, o corpo celeste está localizado a apenas 40 anos-luz de distância da Terra, orbitando uma estrela ‘semelhante’ ao Sol.

A maior evidência de que ele pode ser habitável é justamente a sua distância em relação à estrela hospedeira, uma área conhecida como zona habitável — a vida só existe na Terra por conta dessa distância. Infelizmente, os cientistas não conseguiram coletar outras evidências sobre essa possibilidade. Por exemplo, o grupo do estudo ainda não descobriu se Gliese 12 b possui uma atmosfera.

A distância em relação à estrela hospedeira é importante, principalmente devido à temperatura que ela influenciará no planeta. Ao estar próximo o suficiente da estrela, como estamos do Sol, o calor emitido possibilitará a presença de água líquida na superfície do corpo celeste. Contudo, é necessário que ele esteja em uma região perfeita; se for longe demais, será muito frio, mas será muito quente se estiver muito próximo.

“Na minha opinião, este planeta nos dará a resposta mais clara até agora para qualquer planeta potencialmente habitável sobre se poderia suportar condições habitáveis. A sua estrela hospedeira está inativa, está extremamente próxima e, portanto, muito caracterizável. Gliese 12 b representa um dos melhores alvos para estudar se os planetas do tamanho da Terra que orbitam estrelas frias podem reter as suas atmosferas, um passo crucial para avançar a nossa compreensão da habitabilidade dos planetas da nossa galáxia”, disse o astrofísico Shishir Dholakia, da Universidade do Sul de Queensland, na Austrália, em mensagem enviada ao site Science Alert.

O exoplaneta pode estar tão perto da Terra?

Conforme o estudo explica, o exoplaneta foi descoberto a partir de dados coletados pelos telescópios Transiting Exoplanet Survey Satellite (TESS) e CHaracterizing ExOPlanet Satellite (CHEOPS).

O tamanho de Gliese 12 b é semelhante ao de Vênus, mas sua temperatura superficial é de aproximadamente 42 graus Celsius. Além disso, o corpo celeste completa uma órbita em torno da estrela hospedeira a cada 12,8 dias.

As análises indicam que o Gliese 12 b (ilustração) não apresenta evidências de ser um planeta extremo, portanto há esperança de que ele seja habitável.As análises indicam que o Gliese 12 b (ilustração) não apresenta evidências de ser um planeta extremo, portanto há esperança de que ele seja habitável.Fonte:  NASA / JPL-Caltech / R. Hurt (Caltech-IPAC) 

A descoberta é impressionante não apenas por o exoplaneta ser semelhante à Terra, até porque existem diversos corpos semelhantes ao nosso planeta. A NASA afirma que existem apenas alguns objetos cósmicos que poderiam ser habitáveis e, por isso, Gliese 12 b merece ser analisado detalhadamente.

Os cientistas afirmam que continuarão estudando para entender se o planeta é realmente habitável. Por isso, a descoberta de uma atmosfera na superfície do corpo celeste pode ser a resposta para compreender essa questão.

“Encontramos o mundo mais próximo, em trânsito, temperado, do tamanho da Terra, localizado até hoje. Embora ainda não saibamos se possui uma atmosfera, temos pensado nela como uma exo-Vénus, com tamanho e energia semelhantes recebidos da sua estrela como o nosso vizinho planetário no sistema solar”, disse o professor da Universidade de Tóquio, Masayuki Kuzuhara.

Gostou do conteúdo? Então, fique por dentro de mais notícias como essa aqui TecMundo. Se desejar, aproveite para descobrir como encontrar sistemas planetários em zonas habitáveis.



Source link