Nesta terça-feira (14), o governo dos EUA anunciou um novo aumento das tarifas de importação sobre diversos tipos de produtos fabricados na China, dentre eles os carros elétricos que passarão a ser taxados em 100%. A medida visa proteger a economia americana de práticas de mercado consideradas desleais, supostamente praticadas pelo governo chinês.

O aumento das tarifas de importação impostas pelos EUA pode chegar ao valor de US$ 18 bilhões (quase R$ 92,5 bilhões), e vinha, segundo fontes do The Guardian, sendo estudado há quatro anos.

O objetivo da medida é impedir que o mercado americano seja “inundado” com carros elétricos “super baratos”, que são fabricados na China sob subsídios agressivos. Dessa maneira, os EUA poderão manter o crescimento do setor no país, ao passo em que desenvolvem inovações para a tecnologia verde.

O presidente americano, Joe Biden, resolveu aumentar agressivamente as taxas sobre diversos produtos chineses. (Imagem: Getty Images)O presidente americano, Joe Biden, resolveu aumentar agressivamente as taxas sobre diversos produtos chineses. (Imagem: Getty Images)Fonte:  GettyImages 

Além das tarifas sobre os carros elétricos chineses, cujas taxas serão quadruplicadas, passando de 25% para 100%, as taxas serão aumentadas de 7,5% para 25% para baterias de lítio, de 0% para 25% em minerais como aço e alumínio, e de 25% para 50% em células solares e semicondutores. Produtos relacionados e/ou derivados também serão tarifados ou terão as taxas aumentadas.

China produz 30 milhões de carros elétricos por ano

Segundo o The Guardian, a China produz atualmente cerca de 30 milhões de carros elétricos por ano, mas seu mercado interno só consegue absorver de 22 milhões a 23 milhões desses veículos.

Anteriormente, os EUA já haviam alertado sobre os perigos desse “excesso de produção” para a economia local e de outros países.

A China, supostamente, produz cerca de 30 milhões de carros elétricos por ano. (Imagem: Getty Images)A China, supostamente, produz cerca de 30 milhões de carros elétricos por ano. (Imagem: Getty Images)Fonte:  GettyImages 

Durante o anúncio de hoje, a Casa Branca fez a seguinte afirmação: “As práticas comerciais desleais da China decorrentes de transferência de tecnologia, propriedade intelectual e inovação estão ameaçando as empresas e os trabalhadores americanos”. O governo americano ainda citou que “a China está inundando os mercados globais com exportações a preços artificialmente baixos”.

Enquanto isso, um porta-voz do Ministério do Comércio da China respondeu ao aumento de tarifas, dizendo que a medida vai impactar substancialmente as relações bilaterais entre os dois países.

É importante ressaltar que a China não tem grande participação no setor de carros elétricos americano. A Polestar é a única montadora com operações na China a atuar nos EUA, sendo que a marca é uma parceria entre a chinesa Geely e a sueca Volvo.



Source link