Nikki Haley, a ex-candidata presidencial republicana e embaixadora da ONU durante a administração Trump, escreveu “Acabe com eles” em um projétil de artilharia em Israel esta semana.

Danny Danon ex-embaixador de Israel nas Nações Unidas e membro do Parlamento israelense compartilhou uma foto nas redes sociais na terça-feira, mostrando a Sra. Haley assinando a concha. Sua visita ocorreu poucos dias depois de Israel ter sido condenado internacionalmente por um ataque que matou dezenas de civis de Gaza num campo para palestinos deslocados.

“Isto é o que minha amiga, a ex-embaixadora Nikki Haley, escreveu hoje em uma granada durante uma visita a um posto de artilharia na fronteira norte”, escreveu Danon, declarando sobre os militares israelenses: “As IDF vencerão!”

Haley terminou sua inscrição com uma nota de que “A América sempre ama Israel”, usando um emoji de coração para “amores”.

Ela assinou o projéctil de artilharia não ao longo da fronteira de Gaza, no sul, mas perto da fronteira norte de Israel com o Líbano, com o qual Israel também tem um conflito de longa data. Ela também visitou um kibutz onde israelenses foram mortos em 7 de outubro, e seus comentários públicos se concentraram em Gaza.

A sua viagem incluiu reuniões com Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel, bem como com Yoav Gallant, ministro da defesa do país, e Benny Gantz, membro do gabinete de guerra.

A mensagem da Sra. Haley sobre o projétil de artilharia gerou denúncias de alguns comentaristas, incluindo o autor e colunista Wajahat Ali, que disse em um vídeo no TikTok: “Se você acha que Biden e os democratas são terríveis em Gaza – acho que eles têm sido terríveis – saiba que os republicanos serão muito, muito piores, e eu lhe apresento Nikki Haley.”

Em uma entrevista publicado terça-feira pelo jornal Israel Hayom, de propriedade da doadora republicana Miriam Adelson, Haley disse que Israel não fez nada de errado na invasão e bombardeio de Gaza desde que o Hamas atacou Israel em 7 de outubro, matando cerca de 1.200 pessoas. E ela disse que os Estados Unidos deveriam continuar a apoiá-lo incondicionalmente.

“Israel, eles são os mocinhos”, disse ela. “E você sabe o que eu quero que os israelenses saibam? Você está fazendo a coisa certa. Não deixe ninguém fazer você se sentir mal.”

As operações militares de Israel mataram mais de 36 mil habitantes de Gaza, incluindo milhares de mulheres e crianças, de acordo com o ministério da saúde de Gaza. Muitas das vítimas, incluindo aqueles no acampamento no domingo, foram causadas por bombas fornecidas pelos Estados Unidos. O Presidente Biden reteve recentemente um carregamento de armas por receio de que fossem utilizadas numa ofensiva na cidade de Rafah, onde se abrigam palestinianos deslocados.

Quando questionada na entrevista a Israel Hayom sobre os civis que cruzaram a fronteira para Israel durante os ataques de 7 de Outubro, ela disse: “O resto do mundo não pode dizer, ‘Oh, seja gentil com os palestinos,’ quando estes são alguns dos pessoas que assassinaram seus irmãos e irmãs.” Ela acrescentou: “Eles não sabem em quem confiar. Isso não é culpa de Israel. A culpa agora é dos palestinos.”

Os comentários da Sra. Haley estão em linha com o seu histórico de apoio a Israel e de rejeição às críticas internacionais às suas ações. Como embaixadora da ONU, ela acusou as Nações Unidas de “intimidar” Israel e liderou os EUA retirada de financiamento para uma agência que ajuda refugiados palestinos.

Ela recentemente caiu na fila atrás do Sr. Trump depois de se recusar anteriormente a apoiá-lo, e o Sr. Trump sugerido ele pode trazê-la para sua equipe “de alguma forma”.

Aaron Boxerman relatórios contribuídos.