Por Francisco Forbes. 

A micromobilidade se tornou uma peça fundamental na transformação da mobilidade urbana, especialmente quando se trata da “última milha” de deslocamento. Modalidades como patinetes elétricas, bicicletas compartilhadas e pequenos veículos elétricos estão revolucionando a forma como nos movemos nas cidades. E a integração inteligente desses modais com os sistemas de transporte existentes está impulsionando ainda mais os benefícios para os habitantes dos centros urbanos.

Um exemplo inspirador é Paris, onde a implementação de bicicletas elétricas compartilhadas reduziu as emissões de carbono em mais de 3.000 toneladas por ano, ao mesmo tempo em que diminuiu o tempo médio de viagem em até 10%. Em São Francisco, o uso de patinetes elétricas compartilhadas contribuiu para uma redução de 8,5 milhões de km percorridos por carros particulares, resultando em uma diminuição significativa de congestionamentos e emissões de CO2.

MicromobilidadeAs bicicletas elétricas fazem parte da micromobilidade.

A integração eficiente desses modais com o transporte público também está gerando resultados notáveis. Em Seul, a introdução de estações de compartilhamento de bicicletas elétricas próximas a estações de metrô resultou em um aumento de 34% no uso combinado de bicicletas e metrô, reduzindo os tempos de viagem em até 15%. E em Barcelona, a adoção de pequenos veículos elétricos para a última milha de deslocamento levou a uma redução de 20% nas emissões de carbono associadas ao transporte individual.

Esses exemplos ilustram o impacto tangível da micromobilidade quando integrada de forma inteligente aos modais existentes. Além de reduzir as emissões de carbono, essas soluções estão melhorando a qualidade do ar, diminuindo congestionamentos e tornando as cidades mais acessíveis e saudáveis para todos.

É crucial também considerar o impacto econômico da eficiência no transporte. Grandes cidades perdem bilhões anualmente em produtividade devido ao tempo que as pessoas passam presas no trânsito. Investir em soluções de mobilidade mais eficientes não apenas melhora a qualidade de vida dos cidadãos, mas também impulsiona a economia, permitindo que as pessoas usem seu tempo de forma mais produtiva e eficaz.

No entanto, para garantir que esses benefícios sejam sustentáveis a longo prazo, é essencial continuar investindo em infraestrutura adequada, regulamentação clara e parcerias estratégicas entre empresas, governos locais e comunidades.

À medida que avançamos em direção a um futuro de mobilidade urbana mais eficiente, é crucial reconhecer o papel fundamental da micromobilidade e sua integração com os modais existentes. Somente por meio de esforços colaborativos e investimentos estratégicos podemos construir cidades mais verdes, eficientes e inclusivas para todos os seus habitantes.

A micromobilidade não é apenas uma solução temporária, mas sim uma parte essencial e irreversível do futuro das grandes cidades.

****

Francisco Forbes é CEO da Whoosh, empresa internacional de micromobilidade que promete restabelecer as patinetes elétricas como um meio de transporte no país. Fundador da Infracommerce e Seed Digital , Forbes é investidor da Arpac Drones, Z-Match, Greenfield Hops e da própria Whoosh. Foi professor de Pós-Graduação das universidades: ESPM, Universidade Positivo, UDEP (Peru) em verticais relacionados a tecnologia e gestão, análise de indicadores de performance, e-commerce, business planning e captação de investimento.



Source link