As forças militares dos Estados Unidos anunciaram um novo projeto para proteger satélites e outros hardwares espaciais contra ataques cibernéticos, especialmente no atual momento com o crescente conflito entre países. O objetivo é aumentar a segurança cibernética dos instrumentos no espaço norte-americano; a novidade será implementada em parceria com empresas de desenvolvimento espacial.

A nova iniciativa, nomeada Reserva Espacial de Aumento Comercial (CASR), deve proporcionar capacidades estratégicas avançadas e, consequentemente, reduzir os riscos de ataques hackers. Em 2022, uma invasão hacker desativou a internet banda larga de satélites que utilizam o serviço da KA-Sat.

O objetivo do novo projeto do Departamento de Defesa dos EUA encoraja empresas a desenvolverem sistemas de segurança que evitem casos semelhantes. A falta de atenção à segurança cibernética no espaço não é nenhuma novidade, por isso, os militares norte-americanos desejam proteger seus sistemas e instrumentos para evitar interrupções de diferentes serviços.

Inclusive, um novo relatório publicado pela Universidade Politécnica Estadual da Califórnia (Cal Poly) sugere que ataques hackers a satélites ocorrem desde a década de 1980. Um caso que expões os problemas de segurança das informações no espaço, ocorreu em julho de 2023, quando um hacker russo alegou ter invadido os sistemas cibernéticos do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).

“Embora o conhecimento geral sobre o assunto possa ser baixo, os ataques cibernéticos espaciais são um problema cada vez mais urgente, dado o papel vital que os sistemas espaciais desempenham no mundo moderno. As discussões públicas ou de código aberto sobre o assunto normalmente giram em torno de apenas alguns cenários genéricos, nomeadamente hacking de satélites e interferência ou falsificação de sinais. Mas existem muito mais possibilidades”, descreve um comunicado da Cal Poly.

Tipos de ataques cibernéticos a satélites

Devido a sua órbita isolada e a comunicação sem fio, os satélites estão expostos a tipos de ameaças específicas, como:

  • O bloqueio e interrupção de sinal;
  • Interceptação de dados;
  • Comunicação enganosa.

Ainda segundo os especialistas, os agravantes que comprometem a segurança cibernética no espaço fazem referência ao poder de processamento e a largura de banda, além das vulnerabilidades nos softwares utilizados nos sistemas dos satélites.

O fortalecimento da segurança no espaço é muito importante para evitar ataques cibernéticos a satélites e outras tecnologias espaciais.O fortalecimento da segurança no espaço é muito importante para evitar ataques cibernéticos a satélites e outras tecnologias espaciais.Fonte:  Getty Images 

Invasões cibernéticas e hackers no espaço

No relatório, os cientistas afirmam que um ataque aos sistemas de GPS no espaço poderia causar um caos na Terra. Atualmente, aviões, barcos, carros e até pessoas utilizam ferramentas de GPS para uma melhor localização; a interrupção desse serviço pode, inclusive, levar a situações letais, sem contar o risco para a economia global.

Um dos problemas é que os hardwares dos equipamentos no espaço não podem ser atualizados com facilidade, por isso, são alvos mais atraentes para hackers maliciosos. Para imaginar cenários de ataques cibernéticos, os pesquisadores utilizaram o sistema ICARUS, que criou mais de quatro milhões de variáveis que poderiam ocorrer. Por exemplo, um hacker poderia corromper os dados de uma sonda para apresentar informações imprecisas.

“O espaço sideral é a próxima fronteira da segurança cibernética. Para nos protegermos contra ataques cibernéticos espaciais, precisamos de os compreender e antecipar, e a imaginação está no cerne da segurança cibernética e das fronteiras”, o comunicado acrescenta.

Em meio a uma nova ‘Guerra Fria’ pela exploração espacial, recentemente o general Stephen Whiting, Comandante do Comando Espacial dos Estados Unidos, revelou a suas preocupações sobre a vulnerabilidade no espaço.

Fique sempre atualizado sobre tecnologia e ciência aqui no TecMundo. E se você gostou do conteúdo, aproveite e compartilhar a matéria em suas redes sociais. Até a próxima!



Source link