Numa conferência organizada este mês pelo Turning Point Action, um grupo ativista conservador em ascensão, 8 mil pessoas lotaram um salão de convenções em Detroit para ouvir diretamente o suposto candidato republicano à presidência, Donald J. Trump.

Mas primeiro veio a palavra de um patrocinador: Alexander Spellane.

Spellane, que os reguladores federais dizem ser também conhecido como Alexander Fisher e Alexander Overlie, vende investimentos em metais preciosos. O valor do dinheiro, das ações e dos 401(k)s poderia despencar, alertou ele no palco, mas disse à multidão de apoiantes de Trump que poderiam proteger o seu dinheiro comprando ouro e prata à sua empresa, a Fisher Capital.

A Commodity Futures Trading Commission tem tentado encerrar as vendas da Fisher Capital nos últimos 14 meses, alegando em um ação judicial que vendeu moedas de ouro e prata a preços tão exorbitantes e enganadores que praticamente todos os clientes sofreram “perdas imediatas e dramáticas nos seus investimentos”. A Fisher Capital negou as acusações.

Esse processo não impediu a Turning Point Action de abraçar a Fisher Capital como patrocinadora de alto nível do evento de Detroit, que exigiu uma doação de pelo menos 250 mil dólares e permitiu que Spellane fosse fotografado nos bastidores com Trump. Spellane também afirma ser o maior patrocinador corporativo de um grupo irmão, o Turning Point USA.

O lugar de Spellane no palco de Detroit oferece uma janela para como Charlie Kirk, um jovem ativista conservador e personalidade da mídia que é próximo de Trump e de seu filho Donald Jr., combinou comércio e política para transformar uma iniciativa marginal em uma iniciativa marginal. rolo compressor com ampla influência nos círculos de direita. O Turning Point Action, um grupo de defesa, e a Turning Point USA, uma organização de caridade, foram criados por Kirk e ajudaram a reunir conservadores em apoio a Trump.

Este ano, a Turning Point Action afirma que planeja gastar mais de US$ 100 milhões para atrair eleitores em três estados decisivos.

Os eventos altamente sofisticados e multimilionários do grupo, que atraíram milhares de pessoas aos salões de convenções em Phoenix, West Palm Beach e outros lugares, são financiados por patrocinadores corporativos, que obtêm acesso a clientes potenciais.

Embora alguns grupos políticos tentem evitar patrocinadores empresariais que possam provocar reações adversas por parte de políticos ou outros doadores, o exemplo da Fisher Capital mostra que os líderes do Turning Point estão dispostos a olhar para o outro lado para obterem dinheiro, disse Michael Steele, antigo presidente da o Comitê Nacional Republicano. Ele descreveu a atitude da Turning Point como “desde que o cheque seja compensado, estou bem”.

“É uma relação incestuosa entre as pessoas que têm dinheiro e as que querem o dinheiro”, disse Steele, um crítico frequente de Trump.

Andrew Kolvet, porta-voz da Turning Point, disse que o oposto é verdadeiro. “Não falta escrutínio para garantir que estamos sempre cumprindo os regulamentos e leis relevantes”, disse ele. Os líderes da Turning Point souberam das acusações de fraude contra a Fisher Capital há mais de um ano, disse ele, e “sentiram-se satisfeitos com a explicação na altura”.

“Vivemos em um país onde se presume que você é inocente e estendemos essa presunção também aos patrocinadores e suas equipes”, disse ele.

Outro grupo que patrocinou eventos do Turning Point é o Novo Estado Federal da China, uma organização que se diz dedicada a derrubar o Partido Comunista Chinês. A organização ajudou a financiar duas conferências anuais recentes, incluindo uma em Dezembro, 10 meses depois de os procuradores terem acusado o fundador do grupo, Guo Wengui, de fraudando milhares de investidores em mais de US$ 1 bilhão com acordos falsos de criptomoeda e outros esquemas.

O Sr. Guo disse que é inocente. Kolvet disse que a Turning Point não tinha acordo com o Novo Estado Federal da China para patrocinar eventos futuros.

Descobriu-se que o próprio Trump se envolveu em práticas comerciais enganosas. Ele foi condenado no final do mês passado por acusações criminais de falsificação de registros comerciais. No ano passado, num processo civil em Nova Iorque, ele foi considerado responsável por conspirar para manipular o seu património líquido.

Spellane e Fisher Capital pediram a um juiz que rejeitasse a queixa federal, argumentando que a agência reguladora não tem jurisdição para processar e não há evidências de fraude. A empresa divulgou suas taxas aos clientes e operou “de maneira semelhante a qualquer varejista neste país”, de acordo com seu pedido de demissão. O Sr. Spellane não respondeu às perguntas deste artigo.

A Turning Point apenas fortaleceu seu relacionamento com Spellane desde que a reclamação federal foi apresentada em abril de 2023. A conferência de Detroit foi o terceiro evento que a empresa ajudou a financiar desde então, incluindo uma conferência anual em dezembro em Phoenix, que atraiu cerca de 13.000 pessoas. pessoas.

Sr. prometeu US$ 1 milhão to Turning Point USA numa reunião em Fevereiro em Mar-a-Lago, o resort de Trump na Florida, e mais tarde anunciou que o grupo o tinha nomeado para o seu conselho consultivo.

Em Detroit, Spellane enfatizou seus laços com o Turning Point, dizendo: “É por isso que estamos aqui pelo terceiro ano consecutivo”. Ele terminou com: “Desistam de Donald Trump, pessoal!”

Ouvindo com interesse estava Jeff Strasser, 57, um ex-carpinteiro e motorista de caminhão que viajou mais de duas horas do norte de Michigan para ouvir Trump. Strasser disse que ficou intrigado com a declaração de Spellane de que qualquer pessoa que passasse pelo estande da Fisher Capital no salão adjacente teria direito a até US$ 10 mil em prata grátis.

Ele saiu do estande pensando que um investimento em metais preciosos seria um golpe certeiro. “Você tem que ser um tolo para não querer fazer isso”, disse ele, acrescentando “Estou falando sobre talvez mudar todo o meu 401 (k) para isso”.

Ian Sangster, executivo de contas da Fisher, disse que cerca de 50 pessoas passaram por aqui no fim de semana, algumas das quais se inscreveram para um discurso de vendas de acompanhamento.

Questionado se as fotos dos bastidores de Spellane com Trump seriam um argumento de venda para a Fisher Capital, Sangster disse: “Sim. É muito legal, certo?

Tanto a Fisher Capital como o Novo Estado Federal da China têm ligações com aliados importantes de Trump. O porta-voz da Fisher Capital é Roger Stone, um associado de Trump que foi condenado em 2019 por mentir ao Congresso e adulteração de testemunhas. Mais tarde, ele foi perdoado pelo Sr. Trump.

Guo fundou o Novo Estado Federal da China com Stephen K. Bannon, ex-estrategista de Trump e orador principal em muitos eventos do Turning Point. Nem o grupo nem Bannon foram acusados ​​no caso de fraude de Guo. Bannon foi apontado como co-conspirador.

Bannon foi acusado num processo criminal separado de fraude a doadores num suposto esforço para financiar um muro na fronteira com o México. Ele se declarou inocente e foi perdoado por Trump antes de seu julgamento. Ele agora enfrenta taxas estaduais em Nova York decorrentes do mesmo esforço. Ele foi condenado por desacato ao Congresso depois de se recusar a testemunhar sobre os esforços para anular os resultados das eleições de 2020 e deve começar a cumprir pena de quatro meses de prisão na próxima semana.

Spellane é relativamente novo no mundo político de Trump. Com apenas 31 anos, nunca se registou na Commodity Futures Trading Commission para negociar metais preciosos, conforme exigido, diz a agência. A sua queixa, apresentada menos de três anos após a abertura da Fisher Capital em 2020, dizia que a operação tinha como objectivo enganar investidores mais velhos e pouco sofisticados para que trocassem as suas poupanças de reforma por moedas de ouro e prata com preços até 200% acima do seu valor de mercado. A empresa não está ligada à Fisher Investments, uma empresa sediada no Texas.

Visar os conservadores cristãos era fundamental para o esquema, de acordo com a denúncia. Os vendedores alegaram falsamente que Fisher se uniu a personalidades conservadoras da mídia – que não foram identificadas – para proteger os clientes de uma iminente crise de aposentadoria, afirmou.

James A. Simpson Jr., um pastor evangélico do oeste de Ohio que visitou o estande da Fisher Capital na conferência, disse que o imprimatur do Turning Point “absolutamente” conferiu credibilidade à empresa.

Depois de saber das alegações de fraude, Simpson, 61, disse que esperava que Kirk, fundador da Turning Point, “teria feito diligentemente algumas pesquisas para saber se ele achava que as alegações eram válidas ou não” antes de dar ao Sr. .Spellane uma oportunidade para angariar clientes. Ele disse que seria muito cauteloso ao buscar qualquer investimento.

Os reguladores procuram impedir permanentemente Spellane e Fisher Capital de negociar mercadorias como metais preciosos e recuperar o dinheiro perdido pelos investidores. Steven Adamske, porta-voz da Commodity Futures Trading Commission, disse que o processo da agência estava avançando lentamente, como a maioria desses casos.

Normalmente, quando os advogados do governo conseguem encerrar uma operação, “o dinheiro já acabou”, disse ele.

Michael Forsythe relatórios contribuídos. Kitty Bennet e Susan C. praiano contribuiu com pesquisas.