A Amazon anunciou que seu site de compras contará com uma seção dedicada a produtos baratos enviados diretamente da China. O comunicado foi dado na quarta-feira (26), durante uma apresentação para vendedores, com presença da imprensa americana.

A gigante do varejo já funciona como um marketplace e disponibiliza as chamadas “compras internacionais”. Isso possibilita adquirir produtos de diferentes vendedores, incluindo da China. Com a nova estratégia, a companhia terá uma seção especial com produtos muito acessíveis, muitos custando menos de US$ 20 (~R$ 110,50).

A Amazon disse que pretende continuar investindo para diversificar o catálogo de produtos disponibilizados em sua loja. Com a nova seção, a varejista contará com novos acessórios nos segmentos de moda e estilo de vida, assim como objetos de uso pessoal e decoração.

Os produtos serão enviados diretamente dos vendedores aos compradores.Os produtos serão enviados diretamente dos vendedores aos compradores.Fonte:  GettyImages 

Uma mudança em relação ao antigo sistema de vendas por vendedores chineses, é que, agora, eles poderão enviar os produtos diretamente para os clientes nos EUA. Antes, a Amazon os obrigava a enviar as mercadorias para os armazéns distribuídos no país. A alteração, segundo a empresa, vai permitir que os vendedores tenham menos custos.

A nova página de importados baratos da Amazon também terá um prazo diferenciado para as entregas. Os produtos devem chegar em, no máximo, 11 dias a contar da data da compra. Vale ressaltar que o anúncio foi feito nos EUA, e não há nenhuma previsão de quando a loja nacional da Amazon terá um recurso semelhante.

Competição com Shein e Temu

A nova seção de itens da Amazon é uma medida da empresa para competir diretamente com plataformas como a Shein e a Temu. Essas varejistas de origem chinesa vêm crescendo assustadoramente, tanto dentro quanto fora dos EUA. O motivo é bem simples, produtos com preços nunca vistos em lojas online.

A Shein, com sede em Singapura, tem valor de mercado estimado em US$ 45 bilhões (~R$ 247,62 bilhões). Já a Temu, lançada há menos de dois anos, já conta com mais de 130 milhões de clientes em todo o mundo. Ambas já deixaram para trás concorrentes renomadas, como H&M e Zara.

Por hora, a Amazon não informou quando vai lançar sua nova vitrine, mas disse que os cadastros dos novos produtos devem começar entre setembro e dezembro.



Source link