Exibido pela HBO na noite do último domingo (23), o segundo episódio da Temporada 2 de A Casa do Dragão mostrou os últimos momentos antes do início da grande guerra civil que vai varrer o continente de Westeros. Ele também revelou as repercussões do assassinato do jovem Jeahaerys e como ambos os lados do conflito se prejudicaram com isso.

Revoltado com a morte do garoto, o Rei Aegon II decide matar todos os caçadores de ratos de Porto Real, bem como apontar Ser Criston Cole como sua nova Mão. E foi justamente o cavaleiro o responsável por criar a cena mais dramática do episódio, ao mostrar que nenhuma família está protegida da tragédia que se aproxima.

A Casa do Dragão mostra cena dramática e chocante

Comandante da guarda responsável pela segurança da família real, Ser Cole foi o responsável por enviar Ser Arryk Cargyll a Pedra do Dragão com o objetivo de assassinar Rhaenerys. Ele é irmão gêmeo de Ser Erryck Gargyl, que declarou sua fidelidade à Targaryen que se considera a verdadeira herdeira do trono.

O fato de ambos os cavaleiros serem idênticos facilita a entrada de Arryk, permitindo inclusive que ele se aproxime do local de repouso da rainha sem trono. Ele só é impedido em seu objetivo pela chegada de Erryk, justamente a única pessoa capaz de identificar a presença de seu gêmeo no local.

Esse encontro resulta na luta mais intensa da segunda temporada de A Casa do Dragão até o momento. Dada a grande semelhança entre os irmãos, não é possível saber qual deles está em vantagem, a não ser pelo fato de que Arryk fala várias vezes que ainda ama seu irmão, apesar de sua suposta traição ao se aliar a Rhaenyra.

No melhor espírito dos livros escritos por George R.R. Martin, o confronto termina com uma vitória ingrata. Erryk consegue matar seu irmão e cumprir seu dever, mas, logo em seguida, cai sobre sua própria espada, acabando assim com a linhagem dos Gargyl.

A luta entre os gêmeos Gargyl termina de forma dramáticaA luta entre os gêmeos Gargyl termina de forma dramáticaFonte:  Divulgação/HBO 

A decisão faz sentido quando levamos em consideração a proximidade que os gêmeos mantinham, mesmo tendo decidido ficar em lados opostos do conflito. Além disso, matar alguém da própria família é considerado um grande pecado no mundo de Westeros, e Erryk decidiu não viver com o peso dessa ação.

No livro Fogo & Sangue, a situação também acaba em morte, mas de maneira ligeiramente diferente. A luta é descrita como um embate que dura mais de uma hora e, ao seu final, ambos os combatentes caem mortos com vários machucados pelo corpo e lágrimas em seus olhos — e nunca há declarações de amor, só acusações de traição.

Episódio termina mostrando emoções confusas

O segundo episódio também mostra que, apesar de toda a raiva e desejo de guerra que possui, Aegon II também está triste e desesperado com suas ações. Após matar os assassinos de seu filho e colocar Ser Cole na posição de seu principal conselheiro, o rei aparece chorando em desespero, sem obter qualquer consolo de sua mãe, Alicent.

O choro de Aegon II revela que ele é mais complexo do que pareceO choro de Aegon II revela que ele é mais complexo do que pareceFonte:  Divulgação/HBO 

Ela também demonstra sua frustração, mas de forma diferente. Após prometer que não continuaria sua relação com Ser Cole, a rainha volta a procurar pelo aconchego de seus braços. A Casa do Dragão mostra que a monarca faz isso mais pela necessidade de conforto e algum reconhecimento do que por nutrir amor pelo cavaleiro.

Cole vai ganhar ainda mais importância nos próximos episódios, conforme direciona Aegon II a uma guerra aberta. A prévia divulgada pela HBO mostra que os dragões devem entrar em campo de batalha com consequências terríveis e que um grande embate em Harrenhal com o envolvimento de Daemon Targaryen é inevitável.



Source link