Um bebê que nasceu através de uma cesariana de emergência depois que sua mãe foi morta em um ataque israelense morreu na quinta-feira, disse um parente, menos de uma semana depois que a notícia de seu nascimento trouxe um vislumbre de esperança para Gaza devastada pela guerra.

A bebé, que nasceu após um ataque no sul de Gaza que também matou o seu pai e a sua irmã, sofreu problemas respiratórios e os médicos não conseguiram salvá-la, disse o seu tio, Rami al-Sheikh.

“Eu a enterrei no túmulo do pai dela”, disse ele em entrevista por telefone na sexta-feira.

A mãe, Sabreen al-Sakani, foi morta juntamente com o marido, Shukri, e a filha Malak, de 3 anos, quando um ataque israelita atingiu a sua casa na cidade de Rafah, pouco antes da meia-noite do último sábado. As equipes de resgate levaram os corpos para o Hospital dos Emirados em Rafah, onde os médicos realizaram uma cesariana na Sra. al-Sakani, que estava grávida de 30 semanas.

Seu tio disse que Malak queria chamar sua irmã mais nova de Rouh, a palavra árabe para alma. Após seu nascimento, a família decidiu dar-lhe o nome de sua mãe, Sabreen.

Sabreen era prematuro e pesava apenas um quilo e meio ao nascer, disse o Dr. Mohammed Salama, chefe da unidade de terapia intensiva neonatal do Hospital dos Emirados. Dela nascimento foi capturado em vídeo por um jornalista da agência de notícias Reuters, que filmou médicos aplicando-lhe respiração artificial depois que ela saiu, pálida e mole, de sua mãe.

Em vez de um nome, os médicos inicialmente escreveram “O bebê do mártir Sabreen al-Sakani” em um pedaço de fita adesiva em seu peito.

“O bebê nasceu em uma situação trágica”, disse Salama à Reuters após seu nascimento, acrescentando: “Mesmo que este bebê sobreviva, ela nasceu órfã”.



Source link