Quando você resolve escolher novos eletrodomésticos para a sua casa, nem sempre se depara com uma tarefa fácil. Afinal, hoje são muito modelos e marcas disponíveis de aparelhos no mercado, o que pode deixar você com sérias dúvidas sobre quais seriam as melhores opções conforme a sua necessidade.

Existem vários fatores para ter em mente, como as funcionalidades, o seu orçamento, o tamanho disponível na sua casa e até o design dos aparelhos. A seguir, você acessa várias dicas do que deve ter em mente para escolher com mais segurança os eletrodomésticos perfeitos para o seu lar.

1 – Micro-ondas

O micro-ondas continua sendo um grande aliado das famílias na rotina corrida do dia a dia, já que ele consegue preparar e aquecer os alimentos com rapidez e sem fazer muita sujeira. Ainda assim, é preciso ter cuidados na hora de usá-lo o aparelho: o micro-ondas não suporta objetos de metal, por exemplo, e nem todas as receitas são adequadas para ele.

O micro-ondas segue sendo um eletrodoméstico muito prático para o dia a dia das famílias. (Fonte: GettyImages/ Reprodução)O micro-ondas segue sendo um eletrodoméstico muito prático para o dia a dia das famílias. (Fonte: GettyImages/ Reprodução)Fonte:  GettyImages/ Reprodução 

O uso do micro-ondas também requer certa atenção para que os alimentos saiam saborosos. Por isso, atente-se aos aspectos que você precisa considerar na hora de escolher o seu, tais quais:

Capacidade do micro-ondas

A capacidade do micro-ondas é medida por litros. Ao escolher qual será o tamanho ideal para você e sua família, o essencial é avaliar o espaço disponível – o tamanho da sua bancada, por exemplo – e o seu objetivo com ele – se há muitas pessoas na sua casa e será preciso aquecer muita comida ao mesmo tempo.

Os tamanhos variam entre 18L, 20L, 34L, e podem ir até 55 litros de capacidade. Casais ou pessoas que moram sozinhas podem optar por um micro-ondas pequeno, de 18L a 20L, e não terão problemas. Já famílias maiores podem escolher modelos de cerca de 30L. Mais do que isso é recomendado apenas para empresas ou restaurantes.

Design e acabamento do micro-ondas

A questão do design e do acabamento da peça pode ser importante para algumas pessoas que preferem que o seu eletrodoméstico adorne a sua cozinha. De modo geral, hoje se fabricam micro-ondas nas cores branca, preta, vermelha, inox e com acabamento espelhado.

O branco costuma ser visto como o mais básico, enquanto o modelo de inox traz um acabamento durável e um visual muito moderno. Além disso, o aparelho de inox é mais fácil de limpar, entretanto um possível empecilho aos micro-ondas desse tipo é que ele tende a ser mais caro.

Caso seu orçamento esteja curto, investir no branco tradicional pode ser uma boa. Mas é importante lembrar que, normalmente, o aparelho dessa cor tende a amarelar com o tempo.

Já para quem prefere os modelos diferentões, o espelhado, o vermelho e os que têm design mais retrô podem dar um toque especial à sua casa. Lembre-se, no entanto, que esses detalhes a mais podem impactar significativamente no preço.

Potência e funções do micro-ondas

Não menos importante é pensar na potência do micro-ondas: é ela que vai garantir a eficiência do seu novo aparelho. A potência é medida pela quantidade de watts, que é o que determina o tempo que vai levar para aquecer a sua comida.

O recomendado é escolher modelos com mais 900W de potência. Mas esse não é o único fator, afinal sugere-se também atentar-se ao consumo energético do aparelho.

Por isso, o ideal é escolher um micro-ondas com o Selo Procel de eficiência energética A, já que ela assegura que o eletrodoméstico consome menos energia enquanto mantém a mesma capacidade e os recursos.

2 – Liquidificador

Para quem cozinha em casa, o liquidificador é uma aparelho indispensável. Esse é um eletrodoméstico que possibilita a prepração de bolos, sucos, tortas e o que mais a criatividade permitir!

Nenhuma cozinha é completa sem um bom liquidificador. (Fonte: GettyImages/ Reprodução)Nenhuma cozinha é completa sem um bom liquidificador. (Fonte: GettyImages/ Reprodução)Fonte:  GettyImages/ Reprodução 

Além disso,  é um aparelho muito versátil que pode até substituir o processador de alimentos, o mixer e a batedeira. Por isso, há várias questões a se atentar antes de escolher um que sirva para o que você precisa. Acompanhe!

Capacidade do liquidificador

A capacidade é indicada pelo tamanho do copo do seu liquidificador, e vai determinar quanto conteúdo ele consegue processar dentro da jarra ao mesmo tempo. Para decidir, é preciso considerar qual o tipo de uso que você pretende fazer e qual é a complexidade dos preparos.

De modo geral, há três escalas de capacidade do liquidificador:

  • os de até 1L são indicados para quem costuma fazer receitas pequenas;
  • de 1L a 2L, para quem faz receitas que precisam de mais espaço;
  • de 2L ou mais para quem prepara receitas com grande volume.

Design e acabamento do liquidificador

Do mesmo modo que acontece com os micro-ondas, os liquidificadores são hoje ofertados em vários modelos de design, que vão dos mais básicos aos mais retrô. A parte estética, obviamente, também vai impactar no preço deles.

É preciso sobretudo se atentar ao acabamento e aos materiais usados em partes como o copo e as lâminas. Os copos de vidro são mais pesados, mas mais duráveis. Já os de plástico são leves, mas costumam arranhar com o uso. Quanto às lâminas do aparelho, as de aço inoxidável são ótimas por conta da resistência à corrosão.

Potência e velocidade do liquidificador

A velocidade e a potência do aparelho se relacionam com a capacidade que ele tem de bater receitas mais densas. Os liquidificadores atuais costumam apresentar desde as velocidades 1, 2 e pulsar, até os aparelhos que possuem 15 níveis diferentes.

Os liquidificadores que possuem uma variedade muito grande de velocidade são indicados principalmente para o uso profissional. Se não é o seu caso, um mais básico vai suprir suas necessidades.

3 – Cafeteira

A cafeteira é um eletrodoméstico essencial para quem trabalha ou desempenha funções que requisitam muita energia. Essa bebida tão popular no Brasil é produzida em casa por vários modelos de cafeteiras, o que torna a escolha do seu aparelho um pouco mais complexa. Por isso, é bom ter em mente seus gostos e suas necessidades na hora de optar por uma.

Uma boa cafeteira garante a energia extra para o dia. (Fonte: GettyImages/ Reprodução)Uma boa cafeteira garante a energia extra para o dia. (Fonte: GettyImages/ Reprodução)Fonte:  GettyImages/ Reprodução 

Tipos de cafeteira

Realmente, aqui há muita diversidade: cafeteiras manuais, as automáticas, semiautomáticas, por cápsulas, com sifão e muitas outras. Tudo vai depender do seu gosto pessoal.

As máquinas automáticas são as mais práticas, enquanto as manuais são para quem curte o momento do preparo do café. Já as de cápsulas também são práticas e costumam ofertar muitas opções de sabores, mas precisam sempre da compra de novas cápsulas.

Capacidade da cafeteira

A capacidade das cafeteiras tende a ser medida por litros ou pela quantidade de xícaras. De modo geral, as automáticas costumam produzir entre 2L a 6L de café.

As manuais (por exemplo, uma cafeteira italiana) são capazes de entregar de 1 a 15 xícaras de cafezinho. Por fim, as de cápsula produzem apenas uma xícara por vez.

Design e acabamento da cafeteira

As cafeteiras de hoje se tornaram verdadeiros objetos de decoração em muitas casas. Várias vezes, as pessoas as compram mais para expô-las do que exatamente para desfrutar do café. Entre as cafeteiras de cápsulas, existem muitas marcas e modelos que vão das mais simples às mais arrojadas, que vão melhorando, inclusive, na questão do design – e, obviamente, tornando-se mais caras.

As automáticas hoje são produzidas também com bastante variedade de cores e design. O copo de vidro, no entanto, é sempre recomendado, uma vez que esse é o material mais durável – vale lembrar que o café quente pode, com o tempo, danificar as peças.

Para quem prefere um ar mais vintage, muitas vezes, as manuais dão conta do recado. Uma bela cafeteira italiana, que produz o café direto na boca do fogão, é uma linda opção para adornar a cozinha.

Funções da cafeteira

Se você é realmente um apaixonado por café, precisa levar em consideração as opções de funções extras que sua nova cafeteira pode trazer. Entre elas, estão:

  • a capacidade de vaporizar a espuma do leite para um cappuccino ou latte;
  • o moedor incluso, para quem prefere o preparo completo em casa;
  • um painel digital que facilita a programação e até possibilita que você agende o seu café;
  • a portabilidade da cafeteira.

4 – Purificador de água

Por fim neste guia, aparece o purificador de água, um aparelho importantíssimo para quem quer preservar a saúde de toda a família. Sua função básica é melhorar a qualidade da água, tornando-a potável e própria para consumo.

O purificador de água é essencial para a saúde da família. (Fonte: GettyImages/ Reprodução)O purificador de água é essencial para a saúde da família. (Fonte: GettyImages/ Reprodução)Fonte:  GettyImages/ Reprodução 

Para dar conta disso, um bom aparelho faz a filtragem e a purificação do líquido a partir da retirada de impurezas como bactérias, metais e até cloro. O purificador também é ofertado em várias opções que podem causar alguma confusão na hora da escolha. Confira o que é necessário estar de olho na hora de optar pelo eletrodoméstico:

Qualidade da purificação da água

Os purificadores de água são avaliados pelo INMETRO, que verifica como os aparelhos filtram as sujeiras e impurezas. A partir daí, eles são divididos em classes, que vão da Classe A até a Classe F. Quanto menores as partículas que o purificador é capaz de reter, melhor a classe de filtragem.

Por isso, é importante saber que o purificador Classe A é o que tem melhor capacidade de filtragem. A Classe F é a pior, mas ainda assim está dentro do padrão estabelecido e é seguro para o consumo.

Outro aspecto a ser avaliado no aparelho escolhido é a sua capacidade de reduzir o cloro livre e a sua eficiência bacteriológica. Para ter aprovação em redução de cloro livre, o purificador deve remover no mínimo 75% do cloro presente na água.

Isso também diminui os odores e o gosto da água. Já para ter eficiência bacteriológica, o purificador deve ser capaz de reduzir bactérias que estejam presentes na água, como a E. coli.

Modalidade da filtragem do purificador de água

Há vários tipos de métodos de filtragem usados pelos purificadores. Mas, entre os mais comuns, estão:

  • a filtragem por carvão ativado;
  • a filtragem por osmose reversa, que usa utiliza uma membrana semipermeável para remover uma ampla variedade de impurezas, incluindo contaminantes químicos;
  • a filtragem por UV (ultravioleta), que utiliza a luz para desinfetar a água;
  • a filtragem por troca iônica, que remove íons indesejados, como cálcio e magnésio.

Selo INMETRO no purificador de água

A presença do selo INMETRO (dado pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) no aparelho é super importante. É este selo que atesta que o produto tem qualidade e segurança.

Isso acontece porque esse documento assegura que o purificador de água passou por um sistema de controle de qualidade, além de ter sido produzido de acordo com as normas vigentes no país. Portanto, ele está apto para ser utilizado pelas pessoas e vai garantir a qualidade da água.

Os testes feitos pelo INMETRO com os purificadores de água são diversos. Eles envolvem, por exemplo, a análise da eficiência energética, da resistência à pressão da água e da capacidade de filtragem do aparelho.

Consumo de energia do purificador de água

Os purificadores de água costumam utilizar menos energia do que outros aparelhos, como o micro-ondas, a geladeira e o ferro de passar roupas, por exemplo. Ou seja, o seu gasto energético não é muito alto, e não há necessidade de desligá-lo quanto ele está fora de uso.

Ainda assim, há alguns detalhes que podem fazer a diferença na hora de escolher o seu, caso você esteja focado na questão da economia de energia. Uma delas é escolher um aparelho que entra em modo stand-by quando a água atinge a temperatura ideal. Assim, o consumo de luz reduz quando ele chega a esse ponto.

De modo geral, um modelo de purificador com maior consumo de energia consome menos de 10 kWh/mês, o que é considerado um baixo consumo de energia e pesa muito no seu orçamento doméstico. E quanto mais alta for a classe do purificador, mais econômico ele tende a ser. Por isso, os aparelhos mais caros geralmente são os mais vantajosos nesse quesito.

Curtiu esse conteúdo? Então siga acompanhando o TecMundo para receber sempre as melhores dicas de produtos tecnológicos e eletrodomésticos para a sua casa e família. Até a próxima!



Source link