Você sempre pode sentir o cineasta Luca Guadagnino tentando te excitar – ele é um sedutor zeloso. Seus filmes são diversões elegantes sobre pessoas arrebatadoras e suas sensibilidades e mundos, muitas vezes suntuosamente rarefeitos. Tenho tendência a gostar do trabalho dele, mesmo que possa ser excessivamente dirigido por arte e sentir também (desculpe o verbo) curado para agitar a alma junto com meu desejo de consumo. Fico comovido quando um pai conforta ternamente seu filho “Me chame pelo seu nome”; minhas memórias mais vívidas de “Um respingo maior”é seu cenário marcante e um vestido que Tilda Swinton usa.

O mais recente filme de Guadagnino, “Challengers”, é sobre um triângulo amoroso em constante mudança, envolvendo dois homens apaixonados e uma mulher bonita e perspicaz, com instintos assassinos e estilo pessoal. Em grande parte ambientado no mundo do tênis profissional, é uma provocação de filme efervescente, levemente sexy e agradável, e enquanto alguém sofre uma lesão grave e o coração se quebra (ou pelo menos bate), na maior parte é emocionalmente exangue. Mesmo assim, é uma pausa bem-vinda no tom e no tópico após as aventuras de Guadagnino no Grand Guignol em “Suspiria”, uma versão de um filme de terror de Dario Argento e “Ossos e tudo,”Sobre dois lindos canibais, famintos e mal-humorados, à deriva.

Escrito pelo romancista e dramaturgo Justin Kuritzkes, “Challengers” é bastante direto, apesar de sua linha do tempo narrativa conscientemente torturada. Ele acompanha três prodígios do tênis – amigos, amantes e inimigos – ao longo dos anos, através de seus triunfos e derrotas, alguns compartilhados. Quando for inaugurado, a antiga perspectiva mais brilhante da troika, Tashi (Zendaya), está aposentada do jogo há algum tempo e agora está treinando seu marido, Art (Mike Faist), um campeão do Grand Slam em rápida queda. Em uma tentativa de redefinir suas perspectivas (ele é uma propriedade valiosa, por exemplo), ele entra em um torneio desafiador, uma espécie de evento da liga menor onde competem profissionais de escalão inferior, inclusive contra jogadores lesionados de escalão superior.

Essa partida acontece em New Rochelle, NY, a uma curta distância de carro de Flushing, Queens, e da casa do Aberto dos Estados Unidos, que Art ainda não venceu. É enquanto estão em New Rochelle que ele e Tashi se reconectam dramaticamente com Patrick (Josh O’Connor), o membro errante de seu complicado envolvimento triplo. Um garoto rico que faz cosplay de pobre (bem, pelo menos lutando), Patrick conheceu Art quando eles eram crianças em uma academia de tênis. Aos 18 anos, eles eram amigos íntimos e talvez algo mais; o filme timidamente deixa o quão próximo da sua imaginação, ao mesmo tempo que o estimula. Foi nesse ponto que eles conheceram Tashi, então uma estrela em ascensão.



Source link