O que um notebook Windows precisa, em 2024, para ser considerado topo de linha? Provavelmente 32 GB de RAM, 1 TB de SSD, tela OLED sensível a toque, um processador como o Intel Core Ultra 7 ou 9 e GPUs dedicadas, como as RTX 4050 ou 4070. É basicamente isso (e mais) o que o Galaxy Book 4 Ultra oferece.

Assim como todo e qualquer notebook dessa faixa, o novo modelo da Samsung tem seu preço: na melhor configuração com o Intel Core Ultra 9, 1 TB de SSD e a RTX 4070, ele custa R$ 19 mil.

Mas nem só de especificações fortes se faz o notebook da Samsung. Ainda mais um que é “quase  gamer”. Ele tem um touchpad enorme, bateria com ótima autonomia, forte apelo para consumo de conteúdo e uma NPU (Unidade de Processamento Neural). Esse é o componente que promete brilhar quando a gente fala de inteligência artificial (IA) no computador.

Nessas últimas semanas eu pude testar o Galaxy Book 4 Ultra e percebi o quão versátil ele é na prática. Mas essa versatilidade toda não significa que ele faz exatamente tudo de uma maneira incrível, embora seja capaz de fazer muita coisa.

Design fino e discreto

Para quem busca um equilíbrio entre um notebook robusto e com visual limpo, o Galaxy Book 4 pode ser uma boa alternativa. Disponível apenas na cor grafite fosco, ele tem uma tampa lisa que traz apenas o logo discreto da Samsung. A estrutura feita de alumínio com toque suave também ajuda nessa percepção de que é um produto premium, além de ser fino.

É notável a qualidade de construção tanto pela usabilidade, de forma geral, quanto pelo fato de que ele não é tão volumoso. Você pode abrir o notebook com apenas uma das mãos, tem um teclado grande e numérico disponível, além de um touchpad que abriga uma área enorme de aproximadamente 15 cm de largura por 11 cm de altura.

Samsung Galaxy Book 4 UltraCom design fino, o Galaxy Book 4 Ultra também é focado em portabilidade.

No caso do teclado (retroiluminado em três níveis), achei ele confortável para digitar e com uma boa resposta, mas ele é mais baixo, o que nem sempre pode agradar. O espaçamento entre as teclas também não me causou problemas na digitação, resultando numa experiência agradável e silenciosa. Mas vamos nos atentar a um detalhe: no lugar da tecla do Copilot, aqui no Brasil ele vem com a tecla Ctrl.

O touchpad maior, para mim, é um ponto bastante positivo. Mas ele não está centralizado, o que acabou me tomando um tempinho até acostumar “de vez” e parar de esbarrar nele, sem querer, com a mão esquerda apoiada no computador. E apesar desse tamanho todo, somente a área inferior é clicável. Já o leitor de impressão digital continua no botão de energia. Basta só encostar ali, mesmo com a tela bloqueada, que ele faz a leitura de maneira bem rápida.

Samsung Galaxy Book 4 UltraO Samsung Galaxy Book 4 Ultra traz um touchpad enorme para uso.

Se você se atentar, ele é praticamente igual ao Galaxy Book 3 Ultra, mas chega um pouco mais pesado, com cerca de 1,8 kg, graças a uma nova solução térmica da Samsung. Ela faz com que o ar seja sugado pela parte inferior e jogado para fora pelas laterais.

Quanto a isso, o ideal é não abafar essa entrada de ar com ele totalmente apoiado na mesa, algo que o próprio design do produto acaba facilitando. Comigo, até mesmo durante alguns benchmarks e jogando, as ventoinhas não pareceram sofrer quase nada para funcionar. O resultado foi um notebook bastante silencioso na maior parte do tempo.

Galaxy Book 4 Ultra é um notebook silencioso, mas entrada de ar pode ser facilmente abafada.

As entradas disponíveis no Book 4 Ultra incluem uma HDMI 2.1 e duas USB-C Thunderbolt 4 no lado esquerdo, enquanto no lado direito temos uma porta P2 para fone de ouvido e microfone, uma USB-A 3.2 e um leitor de cartões microSD. Também vale ressaltar que ele vem com Wi-Fi 6E, mas ganha um leve upgrade para o Bluetooth 5.3 nesta geração.

Tela e som

No Galaxy Book 4, a Samsung usa uma tela antirreflexo AMOLED Dinâmico 2x com 16 polegadas de tamanho e com resolução 3K (2880 x 1800p). Ela vem com taxa de atualização de até 120 Hz e 120% do volume de cor DCI-P3. Um detalhe é que, diferente do ano passado, ela é sensível a toques, mas mantém as bordas finas nas laterais e que, por outro lado, é mais grossa na área inferior. Já o vidro utilizado para proteger a tela é o Gorilla Glass DX.

Eu não usei tanto o recurso de tela sensível ao toque, sendo honesto. É um extra interessante, mas depende de cada tipo de uso. Por aqui, pesou mais o fato de que a tela pode ficar cheia de marcas de dedo e eu acabei ficando na utilização comum. Outro detalhe é que ele não é compatível com a S Pen.

De qualquer forma, aqui estamos falando de uma tela bem grande e de alta qualidade. A reprodução de cores é bastante fiel, no geral, mas pode ficar saturada dependendo do que você estiver consumindo. E também é uma tela bem nítida, graças à resolução adotada.

Galaxy Book 4 UltraTela 16 polegadas do Galaxy Book 4 Ultra traz bordas finas nas laterais.

Claro, estamos falando de um notebook de 16 polegadas, e eu não acho que ele seja muito confortável para levar de um lado para outro. Mas o Book 4 Ultra é um belo dispositivo para consumir conteúdo, navegar, trabalhar e jogar.

A Samsung promete um brilho máximo de 400 nits, atingindo até 500 nits com conteúdo HDR. Esse seria um valor ideal para se trabalhar em áreas externas e bem iluminadas, mas ainda senti um certo incômodo ao ler ou digitar nessas situações.

Você também pode optar por usar diferentes perfis de cores, a função de cor adaptável de acordo com o ambiente, ativar a visualização HDR para conteúdos compatíveis e mais.

Pensando justamente no consumo de conteúdo, o sistema de som do Galaxy Book 4 é quádruplo (Woofer 5W x 2, Tweeter 2W x 2) e traz tecnologias Dolby Atmos e da AKG. Ele é nítido e tem alcance satisfatório, com nível de volume bom para assistir e jogar sem se preocupar. Também vale ressaltar que os microfones trazem cancelamento de ruído baseado em IA e funcionam muito bem para isso.

Galaxy Book 4 UltraRecursos de IA do Galaxy Book 4 Ultra também trazem melhorias paras a câmera.

Já a câmera do notebook tem 2 MP e faz fotos e vídeos em resolução Full HD (1080p). A parte boa é que ela tem um ângulo bem aberto e correção de quadro, então se você se mover o dispositivo vai tentar te acompanhar.

Também vale notar que ele é compatível com efeitos nativos do Windows e pode até corrigir o contato visual, para quando você desviar o olhar da tela durante uma videochamada, mas o efeito é bem sutil e só disfarça um pouco. No geral, você pode gravar vídeo em HDR e ajustar contraste, brilho, nitidez e saturação. É uma boa câmera, mas ainda não é o que eu chamaria de excelente para um notebook.

Bateria que dura até 10h

Antes de falar de desempenho, é legal falar um pouco de bateria, que aqui tem 76 Wh. Isso porque o Galaxy Book 4 Ultra tem uma autonomia ótima e que permite trabalhar com ele por algumas boas horas. Esse foi o resultado de alguns testes que fiz de autonomia:

  • Trabalhando com um monitor externo 4K: de 5h a 6h de autonomia;
  • Assistindo conteúdos por streaming (resolução cheia e 50% do brilho): média de -12% por hora;
  • Assistindo conteúdos offline (resolução cheia e 50% do brilho): média de -8% por hora

Quando estive trabalhando apenas com o notebook e sem um monitor externo, essa autonomia esbarrou tranquilamente nas 10h. E isso usando softwares básicos como navegadores, apps de comunicação, fazendo videochamadas e afins. Com jogos, por outro lado, a gente já pode esperar uma autonomia reduzida.

Em títulos online, como Fortnite, tive uma média de descarga de -55% por hora. Com títulos offline, porém mais pesados, como Red Dead Redemption 2 e Cyberpunk 2077, a descarga média foi de -60% por hora. Já com Resident Evil 4 Remake, registrei uma descarga média de -66% por hora. Com outros títulos mais leves, cheguei a registrar uma descarga média de -36% por hora.

A Samsung fala que o Book 4 Ultra consegue recuperar 55% da energia em 30 minutos conectado à tomada. Ele traz um carregador USB-C gigante de 140 watts e, de fato, não leva tanto tempo para recarregar.

Nos meus testes, consegui preencher 48% em 30 minutos. Já a carga completa, do 0% aos 100%, chegou com aproximadamente 1h20:

  • 5 minutos: 9%

  • 10 minutos: 18%

  • 30 minutos: 48%

  • 45 minutos: 74%

  • 1 hora: 89%

  • Carga completa: 1h20

Desempenho geral e jogos com a RTX 4070

A Samsung aposta alto no Galaxy Book 4 Ultra. Esse modelo que eu recebi para testar vem com o Intel Core Ultra 9 185H (até 5,1 GHz com 24 MB L3 de cache), 32 GB de RAM, SSD NVMe de 1 TB (com um segundo slot adicional) e a Nvidia RTX 4070 que dá um bom impulso para jogar ou trabalhar a criatividade, ainda que seja a versão portátil da GPU.

Ele não é um computador exatamente focado em jogos, mas traz tecnologias como DLSS e Nvidia Reflex. Eu tive uma boa experiência jogando em qualidade alta, mas nem todo título consegue rodar com qualidade máxima sem problemas.

Galaxy Book 4 UltraJogos pesados rodam no Galaxy Book 4 Ultra, mas nem sempre nas melhores configurações.

Com RDR2, por exemplo, eu consegui jogar com qualidade gráfica no “ultra” em 3K, mas ali na faixa dos 30 fps. Vez ou outra ele caía para 20-25 fps, mas se manteve nos 30 fps na maior parte do tempo. Para atingir um desempenho melhor, foi preciso diminuir a resolução e alguns outros componentes gráficos.

O mesmo aconteceu com Cyberpunk 2077. Se você optar por usar tudo o que a máquina oferece, o jogo perde muito desempenho e roda com uma qualidade bastante limitada de quadros por segundo. É, mais uma vez, o caso de balancear tudo, inclusive a resolução, para encontrar um equilíbrio bom entre desempenho e gráficos. Quando fui para o Resident Evil 4, pude jogar com qualidade bem alta com o jogo travado nos 30 fps.

Mas isso, é claro, porque o Galaxy Book 4 não é um notebook focado em jogos. Se você optar por jogar em 1080p e com DLSS, vai encontrar resultados bons, mas acima disso verá os problemas. Apesar disso, é muito possível extrair um bom desempenho e jogar praticamente tudo o que está disponível atualmente. Mas não em qualidade máxima, como já falei.

Galaxy Book 4 UltraFortnite, por exemplo, é um título que roda sem problemas no Galaxy Book 4 Ultra.

Galaxy Book 4 Ultra é bom para jogos, desde que você reduza a resolução e componentes gráficos.

Para navegação e trabalho, ele entrega um desempenho muito bom. Acredito que esse balanço entre boa autonomia de bateria e fluidez se dá, principalmente, por causa do processador e GPU. Os dois componentes têm foco em reduzir o consumo energético. Por exemplo, quando ele não precisa de muita potência, alterna para a Intel Arc. Mas, quando precisa, ele alterna para a RTX 4070 dedicada.

Já em IA, a Samsung afirma que muitos dos recursos funcionam em segundo plano, o que faz sentido. Esse é o caso do uso na câmera, no sistema de microfones e até na remasterização de fotos.

Ele também conta com os efeitos de vídeo do Windows e é compatível, é claro, com o Copilot. A empresa ainda traz para o notebook o software de edição de vídeos Samsung Studio, que permite fazer algo mais rápido, como para as redes sociais, mas que não é recomendado para edições profissionais. O detalhe é que essas aplicações utilizam a NPU, exercendo menos carga na CPU.

Ele vem com o Windows 11 Home e algumas aplicações e ferramentas da própria Samsung, como usar o seu tablet Galaxy como uma segunda tela. Entre os apps, temos a Galeria da Samsung, o Notas e o Quick Search para buscar por documentos, fotos e mais.

Vale a pena comprar o Galaxy Book 4 Ultra?

Nesses dias testando o Galaxy Book 4 Ultra, ficou claro que esse aqui é um dos melhores notebooks Windows da atualidade. Só que essa brincadeira, como já falei, não é nada barata. Ele pode ser uma forte alternativa a notebooks como o Dell XPS 16 e ao MacBook Pro de 16”, que também custam uma fortuna. Agora, se você busca um notebook dedicado para jogos, eu diria para recorrer a outros modelos, como o Dell Alienware M16.

Mas, se você quer um notebook robusto, com ótimo desempenho, boa construção, tela de alta qualidade e que também consegue reproduzir jogos, o Book 4 Ultra se encaixa nesse perfil mais versátil. Ele tem poder para lidar com quase tudo e uma bateria muito boa, principalmente para trabalhar por várias horas longe das tomadas. O que para mim foi ótimo.

Mas, novamente, estamos falando de um notebook bastante premium, o que fica claro desde a estrutura até os seus componentes. Caso você não esteja tão afim de gastar muito, eu diria que o Galaxy Book 3 Ultra também segue sendo uma ótima opção. Ele tem as mesmas opções de GPUs dedicadas, processadores Intel Core i7 ou i9 de 13ª geração e até 32 GB de RAM. E também é caro, é claro.



Source link