Um cirurgião americano que se voluntariou em Gaza enviou-me uma fotografia que me marca com o seu vislumbre de uma dor avassaladora: Uma mulher chora pelo seu filho.

Conheço o cirurgião, Dr. Sam Attar, professor da Faculdade de Medicina da Universidade Northwestern, há uma década. Trabalhou em zonas de guerra em todo o mundo, da Ucrânia ao Iraque e à Síria, mas Gaza tem sido particularmente angustiante para ele, em parte porque muitas crianças sofreram ou morreram.

Recentemente, ele realizou amputações e outras cirurgias ortopédicas no Hospital Kamal Adwan, no norte de Gaza. Certo dia, ele se preparava para entrar na sala de cirurgia quando uma mulher o chamou e pediu que fotografasse seu filho pequeno, Karam, em sua cama na UTI. Sam foi até lá e só então percebeu que o menino estava morto.

“Toda vez que a equipe queria cobri-lo totalmente com um cobertor, ela o virava e dizia: ‘Não!’”, Sam me contou. “E ela começava a conversar com ele, perguntando onde ele foi.”

As enfermeiras e outros médicos que estavam na UTI naquele dia disseram que Karam morreu de complicações decorrentes da desnutrição. As Nações Unidas confirmam que as crianças de Gaza têm morreu de fome.

As enfermeiras queriam remover o corpo de Karam depois que ele morreu, uma hora antes, mas sua mãe não permitiu. Em sua dor, ela disse a Sam que Karam era um príncipe e queria que Sam compartilhasse a foto do menino. Talvez ela tenha pensado que esta era uma forma de homenagear o filho.

Eu tenho criticado a forma como Israel conduziu a guerra em Gaza e o forte apoio do Presidente Biden a ela, pois uma criança é morta ou ferida na guerra a cada 10 minutos, de acordo com as Nações Unidas. Mais de 14 mil crianças foram mortas na guerra, segundo as autoridades de saúde de Gaza. Mas isso é um número; esta foto captura uma tragédia evitável.

Como defendo que é hora de acabar com esta guerra, acho que esta foto tem um poder de persuasão maior do que as minhas palavras, por isso dediquei o espaço da minha coluna a esta imagem. Ao discutirmos Gaza, tenhamos em mente que a guerra se desenrola através de vidas como a de Karam.

Aqui está a foto, um lembrete para todos nós do que está em jogo.