Aautossuficiência pode ser perigosa quando levada ao extremo. Entenda quais os riscos. Todos enfrentam desafios que não conseguem enfrentar sozinhos e todos têm necessidades que não conseguem satisfazer sem algum apoio. Isso é normal.

A autossuficiência pode ser consequência de alguma ferida de infância: geralmente foram crianças negligenciadas de suas necessidades; que assumiram lugares de responsabilidade, excesso de empatia ou de cuidadores; que se preocuparam em não “incomodar” os outros, pois já tinham outras prioridades; que entenderam que só podem ou devem contar consigo, logo seria fraqueza pedir ajuda; que não quiseram dar trabalho aos adultos ou não tinham cuidadores disponíveis para ampará-las devidamente, levando ao amadurecimento precoce; etc.

A autossuficiência refere-se às tentativas individuais de alguém ser totalmente independente em todas as coisas, mesmo quando não é útil fazê-lo ou quando realmente precisa da ajuda ou do apoio de outras pessoas. Embora possa se manifestar de forma diferente em cada indivíduo, os sinais de podem incluir:

. Estão sempre sobrecarregadas, se comprometem demais com o trabalho ou projetos pessoais, não reconhecem os próprios limites;

. São centralizadoras, não conseguem delegar ou pedir ajuda: Pessoas hiperindependentes terão dificuldade em pedir ajuda, achando que sempre faz mais rápido ou melhor;

. Tem cautela nos relacionamentos e tem dificuldade para derrubar suas barreiras e deixar a outra pessoa entrar;

. Desconfiança: são reservados ou relutarão em compartilhar informações pessoais e temem que os outros a decepcionem ou traiam;

. Vivem com estresse ou esgotamento por assumirem mais tarefas do que podem;

. Costumam atrair pessoas frágeis e dependentes para se sentirem valorizadas e úteis;

. Como se doam muito e as relações não são recíprocas, costumam alimentar muitos ressentimentos e se afastam sem muita explicação.

A autossuficiência, provavelmente, o ajudou a sobreviver no seu passado. Hoje, contudo, atrapalha todas as áreas da sua vida. Desta forma, se você se viu nessa reflexão ou percebeu que alguém a sua volta pode estar vivendo para ser autossuficiente em tudo, fica aqui o alerta de que é preciso ressignificar e cuidar da saúde mental.


DRA. ANDREA LADISLAU é psicanalista e especialista em saúde mental e comportamental. Ela escreve para vários veicuilos de comunicação no Brasil.