O primeiro-ministro francês, Gabriel Attal, anunciou neste domingo o reforço do plano de segurança do país para o nível mais elevado, em resposta ao ataque ocorrido em Moscovo e reivindicado pelo Daesh. O atentado, ocorrido na sexta-feira em uma sala de concertos nos arredores da capital russa, resultou em pelo menos 137 mortos, marcando um dos ataques mais mortíferos em solo russo nos últimos anos.

O anúncio do reforço do plano de segurança foi feito após uma reunião do Conselho de Defesa no Eliseu, presidida pelo Presidente Emmanuel Macron. Gabriel Attal afirmou que a decisão foi tomada “atendendo à reivindicação do atentado pelo Daesh e às ameaças sobre o nosso país”.

O plano de segurança Vigipirate, que tinha sido reduzido para o nível 2 (“segurança reforçada — risco de atentado”) em janeiro, agora foi elevado ao mais alto nível de alerta: urgência de atentado. As autoridades francesas estão intensificando medidas de segurança em todo o território nacional em resposta ao aumento das ameaças terroristas.

Até o momento, as forças de segurança russas detiveram 11 pessoas relacionadas com o ataque, incluindo quatro indivíduos que participaram diretamente na execução do atentado. A comunidade internacional acompanha com preocupação os desdobramentos desse ataque e reafirma seu compromisso com a cooperação global na luta contra o terrorismo.

Esta escalada no nível de alerta terrorista reflete a seriedade da situação e a determinação das autoridades francesas em proteger os cidadãos e garantir a segurança pública. O mundo enfrenta mais uma vez a brutalidade do terrorismo, e a solidariedade internacional é essencial para enfrentar esse desafio global.