Está martelando em minha mente, uma frase do Mário Cortella, filósofo e palestrante, que diz o seguinte: “Faça o teu melhor, na condição que você tem, enquanto você não tem condições melhores, para fazer melhor ainda!” Ela me faz muito sentido.

Principalmente, nesse fim de ano, onde ao vislumbramos metas, projetos, tentar zerar a lista de desapegos (de pessoas tóxicas, de pensamentos ruins, de coisas materiais, etc), acabamos caindo na malícia tendenciosa de nos autosabotar incluindo metas inalcançáveis ou mesmo medindo nossas trajetórias pela régua do outro (comparação).

Mas quais são os seus receios? Por que esperar a próxima segunda para começar? E porque não começar agora a provocar em você as mudanças necessárias? Sim, com os recursos que tem!

Mas claro, preciso reconhecer que é necessária muita coragem para assumir as rédeas da própria vida. No entanto, entregar-se ao comodismo, jamais conseguirá te fazer feliz. Continuará vivendo frustrados, no modo automático.

Ou seja, é aquela velha história: quem renuncia seus desafios, suas fragilidades e estranhezas, acaba por ocultar as suas belezas e fica estagnado, pois é só nas profundezas do subterrâneo que encontramos aquilo que precisamos ser.

Então, lhe digo: comece agora a trabalhar em seus projetos e desejos. Seja você mesmo e saboreie as dores e as delícias de ser quem se é, porque como diria Paulo Leminski: “Isso de querer ser exatamente aquilo que a gente é, ainda vai nos levar além”.

É claro que todos nós queremos ser felizes e realizados, mas nossa mente é complexa e nossos sentimentos também. Muitas vezes, fruto de dificuldades emocionais durante uma vida inteira, desenvolve-se uma baixa autoestima capaz de te maltratar como ninguém.

Não tenha dúvidas que nós somos os nossos maiores inimigos. Portanto, não é saudável se diminuir, menosprezar seus sonhos e desejos, muito menos acumular um conjunto de ações negativas que tragam mais sofrimento.

E para que qualquer gesto de autocuidado e confiança tenha espaço, é necessário refletir sobre o que está fazendo e como está lidando com seus desafios atuais. E que tal um skincare da mente?

Separei 6 sinais que acendem um alerta vermelho sobre a autossabotagem e o desânimo, que precisamos abolir da nossa vida. Confira abaixo e dê o próximo passo rumo ao seu recomeço?

. Dar preferência a opinião dos outros, colocando-as acima do seu bem-estar;
. Escolher companhias que, frequentemente, te levam a alimentar negatividade em seu emocional;
. Se xingar e se diminuir, ainda que mentalmente, toda vez que falhar;
. Ignorar as necessidades da sua mente e do seu coração como se fossem “frescuras”;
. Deixar de se alimentar, de se exercitar, se isolar e se machucar (isso inclui automutilação);
. Não dar uma oportunidade aos seus sonhos e objetivos pessoais, abandonando-os na primeira dificuldade.

Se identificou? Então, mova-se, mude seu próprio cenário e viva melhor consigo. MOVA-SE NA DIREÇÃO DOS SEUS SONHOS! Vista sua melhor versão e siga em frente. Coloque coragem na bagagem e vá sem medo!!

Estou na torcida por você. Te desejo vitalidade e muita resiliência para ir em busca do que deseja. Não coloque na porta de ninguém seus objetivos, responsabilizando o outro por seus resultados. Eles são seus, acredite e brigue por eles.


DRA. ANDREA LADISLAU é psicanalista e especialista em saúde mental e comportamental. Ela escreve para vários veicuilos de comunicação no Brasil.