Em 2024, os Estados Unidos realizarão a sua 60ª eleição presidencial. Este evento, que envolve mais de 200 milhões de eleitores registrados, atrai atenção global devido à importância econômica e à complexidade do processo. As pesquisas tem mais acuidade do que as brasileiras, mas, segundo a da Reuters/Ipsos, Trump lidera com 40% (ou cerca de 80 milhões de votos, considerando o total de eleitores registrados) das intenções de voto, enquanto Biden tem 34% (aproximadamente 68 milhões de votos). Vale ler abaixo como é o processo, para entender que não quem tem mais voto ganha as eleições.

A corrida presidencial nos EUA é um procedimento extenso, começando quase dois anos antes da votação. Durante esse período, comitês dialogam com cidadãos e potenciais patrocinadores políticos em todo o país para avaliar as chances dos candidatos.

Requisitos para candidatura

Os candidatos à Presidência nos Estados Unidos precisam ter no mínimo 35 anos de idade, serem naturais do país e residirem no mesmo, por pelo menos 14 anos. A votação é realizada por meio de cédulas perfuradas e, importante ressaltar, não é obrigatória.

Na última eleição presidencial, de uma população de cerca de 328,2 milhões de habitantes (dados do Census Bureau), apenas 142,072 milhões de eleitores se registraram para votar, o que representa cerca de 43,2% da população.

Vale destacar que falta de motivação do eleitor em comparecer na votação, tem um grande peso nas eleições.

O que são as primárias?

As primárias são o processo pelo qual os americanos selecionam os candidatos à Presidência de cada partido. Embora existam mais de 30 partidos registrados nos EUA, os dois principais, Democrata e Republicano, reúnem a maior parte dos eleitores. As primárias são realizadas em todos os estados, onde o povo escolhe os candidatos de cada partido. Os cerca de 4.750 delegados partidários são responsáveis por escolher os candidatos para a nomeação do partido. Nas primárias, os eleitores votam secretamente em seu candidato preferido. No cáucus, os eleitores se reúnem em uma assembleia e votam publicamente. Em ambos os casos, os candidatos do mesmo partido competem entre si, e o vencedor concorre na eleição presidencial de novembro.

Os favoritos para as eleições americanas

Pelo partido Democrata, o presidente em exercício, Joe Biden, concorre à reeleição e é o favorito para a indicação. Do lado Republicano, o ex-presidente Donald Trump é o favorito nas primárias.

O papel dos delegados no sistema de voto indireto

O sistema eleitoral americano inclui o voto indireto através de delegados. Diferentemente do Brasil, onde votamos diretamente nos candidatos à presidência, os americanos elegem delegados que votam em seus nomes em cada estado. Isso se aplica tanto nas primárias quanto no Colégio Eleitoral.

Nos EUA, a população não vota diretamente no candidato à Presidência. Eles decidem quem serão os seus representantes no Colégio Eleitoral, conhecidos como “superdelegados”* ou apenas delegados. Cada estado tem um número de delegados proporcional à sua população. No total, existem 538 delegados no Colégio Eleitoral dos Estados Unidos. Para ser eleito, um candidato deve obter pelo menos 271 votos dos delegados. Vale lembrar que, o candidato que eleja mais delegados em um Estado leva os votos do Estado inteiro, na maioria dos Estados. Em termos nacionais, mesmo que um candidato tenha mais votos populares, o que importa é a maioria dos votos do Colégio Eleitoral, pois é ele quem elege o novo presidente.

*O termo “superdelegado” é usado para se referir a alguns delegados das convenções nacionais do partido democrata, especialmente delegados da Convenção Nacional do Partido. São eleitores que não precisam ser indicados pelos Estados. Tem sua posição pelo histórico como ex-presidentes, funcionários do partido no partido.

Data da eleição e posse

As indicações dos partidos são oficializadas nas convenções nacionais, que em 2024 estão previstas para os meses de julho e agosto. Após isso, começam os debates entre os candidatos, que duram até a data da eleição, que será no dia 5 de novembro. A posse do novo presidente dos EUA ocorrerá no dia 20 de janeiro de 2025.


CARLO BARBIERE é CEO do OXFORD GROUP, escreve opiniões e analises do mercado Norte Americano com sua vast experiência e knowhow adquiridos nos últimos 30 anos em negócios nos EUA. E-mail: cbarbieri@oxfordusa.com