São muitos os jogos que carregam polêmicas em seus enredos. Seja por questões que envolvem violência explícita, bullying, ou até mesmo por “provocar” religiões com seus temas para lá de controversos.

Eles variam desde colocar uma freira protagonista com a ajuda do diabo, até “simular” a vida de Jesus, seja fazendo seus milagres, ou lutando contra a sua crucificação. E para te relembrar os casos mais controversos, hoje o Voxel traz uma lista com sete jogos que se envolveram em polêmicas religiosas. Confira!

1. Outlast 2 e o ritual com orgia

Desde o primeiro game da franquia, Outlast é cercado de polêmicas, principalmente pela violência gráfica que o jogo apresenta. Mas em seu segundo capítulo ele conseguiu ser ainda mais controverso, principalmente em elementos ligados à religião. A começar pela sua ambientação, que mostra um local isolado do mundo, onde há uma série de referências a uma espécie de culto que devastou a região.

Outlast 2 traz polêmicas envolvendo cultos religiososOutlast 2 traz polêmicas envolvendo cultos religiososFonte:  Steam 

Se não bastasse tudo isso, em determinado momento é possível presenciar um estranho ritual, onde as criaturas cinzas que te atormentam ao longo do jogo estão fazendo uma grande orgia. Tudo isso ao som de cantos e gritos que simulam uma espécie de culto sendo realizado ao mesmo tempo.

2. The Inquisitor e a ira de Jesus

Imagine se Jesus ao invés de proclamar o amor entre as pessoas resolvesse promover o caos no mundo? Essa é a proposta de The Inquisitor, game que traz um enredo onde ao invés de ter sido morto em sua crucificação, Cristo teria se libertado e declarado uma sangrenta vingança contra todos os descrentes.

The Inquisitor traz um novo rumo para a história de JesusThe Inquisitor traz um novo rumo para a história de JesusFonte:  Game Watcher 

Cerca de mil e quinhentos anos depois, você assume o papel de Mordimer Madderdin, um dos inquisidores a serviço de Deus, que tem como missão principal restaurar a fé nas pessoas, mesmo que seja necessário aplicar a força para isso.

3. Indika traz freira e diabo unindo forças

Um dos jogos que mais vem dando o que falar em 2024, Indika traz uma proposta para lá de polêmica: a união de uma freira com o diabo. No game, você controla a religiosa em uma aventura de descobertas, além do seu monastério, em busca de respostas para os seus questionamentos sobre a sua religião

Indika traz game que une uma freira e o diaboIndika traz game que une uma freira e o diaboFonte:  Steam 

O jogo traz um sistema de exploração similar a clássicos como Resident Evil e Silent Hill, onde é preciso resolver quebra-cabeças e encarar inimigos aleatórios, como lobos gigantes e outras criaturas. Tudo isso contando com a ajuda do seu fiel companheiro: ninguém menos que o próprio diabo.

4. I Am Jesus Christ, o simulador de Jesus

I Am Jesus Christ já causa polêmica mesmo sem ter sido lançado. Disponível na Steam, em formato de acesso antecipado, o jogo traz uma proposta bastante polêmica: a de colocar o jogador no controle de Jesus. Para isso, é preciso fazer missões baseadas nos atos de Cristo, como curar os doentes, transformar água e vinho, e resistir às tentações do diabo.

I Am Jesus Christ coloca os jogadores no controle de JesusI Am Jesus Christ coloca os jogadores no controle de JesusFonte:  Steam 

Além disso, o jogo também pretende recriar todos os passos de Jesus ao longo de sua vida. Sendo assim prepare-se para atravessar o deserto, enfrentar os romanos e até mesmo tentar sobreviver a sua crucificação.

5. Far Cry 5 e os fanáticos religiosos

Far Cry é outra franquia que de vez em quando flerta com a polêmica. E no seu quinto capítulo sobrou uma grande crítica a fanáticos religiosos, onde o jogo trouxe uma região dominada por Joseph Seed, um líder religioso que manipula seus seguidores através da fé e de drogas ilícitas.

Far Cry 5 aborda o fanatismo religioso em seu enredoFar Cry 5 aborda o fanatismo religioso em seu enredoFonte:  Ubisoft 

Ao longo da história é possível presenciar as mais absurdas cenas que envolvem esse fanatismo proposto por Seed. Para completar, ainda há um final em aberto que deixa uma série de questões no ar, principalmente se Joseph realmente estava falando a verdade em relação a um “apocalipse bíblico”.

6. Fight of Gods e as lutas entre deuses, Jesus e Buda

Fight of Gods poderia ser só mais um jogo de luta entre tantos e tantos no gênero. Entretanto, ele traz uma proposta um tanto polêmica; combates entre deuses e outras figuras religiosas. Ou seja, é possível participar de lutas entre ninguém menos que Jesus e Buda, trocando socos, chutes e movimentos especiais.

Fight of Gods coloca Jesus e outras figuras religiosas caindo no tapaFight of Gods coloca Jesus e outras figuras religiosas caindo no tapaFonte:  Steam 

A lista é ampla e inusitada. Além dos citados anteriormente, há também no elenco Moisés, Odin, Atena, Amaterasu, Anubis e outros. Se não bastasse tanta bizarrice, desde que foi lançado, o jogo recebeu diversos DLC com novos personagens. Destaque para o que adiciona ninguém menos que Papai Noel.

7. Left Behind: Eternal Forces convertendo pessoas na marra

Lançado em 2006, Left Behind: Eternal Forces aparenta ser apenas mais um game de estratégia. Porém, a sua temática é bastante controversa: a conversão de pessoas ao  cristianismo na marra. Isso mesmo, é preciso ir atrás de cidadãos para convencê-los a aderirem à religião.

Left Behind: Eternal ForcesLeft Behind: Eternal ForcesFonte:  My Abandonware 

No jogo, o mundo passa por um pós-arrebatamento. Para quem não sabe, segundo a bíblia, a data é o dia em que Jesus volta, levando aos céus todos os que acreditam nele. Sendo assim, cabe você converter o máximo de pessoas a serem salvas. Caso elas não aceitem, o destino delas é simplesmente morrer pelas suas mãos.

E na sua opinião, qual foi o jogo mais polêmico já lançado? Conte para a gente nas redes sociais do Voxel!



Source link