My Partner
sensus
Census
Lytron
Sebrae

Musk quer que co-fundador do twitter apresente documentos sobre contas falsas

OS ADVOGADOS DE MUSK APRESENTARAM UMA INTIMAÇÃO PARA TENTAR OBTER DOCUMENTOS DE JACK DORSEY (FOTO), CO-FUNDADOR E
EX-CEO DO TWITTER. O DONO DA TESLA CONTINUA A PREPARAR-SE PARA A BATALHA JUDICIAL.

 

Os advogados que representam Elon Musk apresentaram uma intimação a Jack Dorsey, co-fundador do Twitter, que desempenhou funções como CEO até novembro do ano passado. De acordo com informação tornada públi­ca pelo tribunal, esta intimação será mais uma das tentativas da defesa de Musk para se preparar para o julga­mento de outubro.

O Twitter e Elon Musk defrontam-se em tribunal a 17 de outubro, depois de a rede social avançar com uma ação para obrigar o homem mais rico do mundo a concretizar a compra do Twitter. A 25 de abril, a rede social aceitou a oferta de Musk para com­prar a empresa.

O magnata sul-africano estava disponível a pagar 44 mil milhões de dólares pela companhia. Através desta intimação, partilhada na segunda-feira, é pedido a Dorsey que forneça “documentos e comunicações que reflitam, façam referência ou estejam relacionadas com o impacto ou efeito das contas falsas ou de spam nas ope­rações d negócio do Twitter”.

Por enquanto, não é evidente como é que as declarações ou documentos de Dorsey poderão encaixar na teoria da defesa de Elon Musk.

Dorsey, que atualmente é CEO da Block, empresa que ajudou a fundar enquanto ainda estava no Twitter, não teceu comentários sobre o assunto.

Além de Jack Dorsey, também foram intimados Kayvon Beykpour, antigo chefe de produto do Twitter e ainda Bruck Falck, o antigo responsável pela área de receitas do Twitter. Ambos foram despedidos em maio, naquilo que foi descrito como um “arrumar de casa” antes da chegada de Musk.

Elon Musk anunciou no dia 8 de julho que já não pretendia avançar com a aquisição da rede social. A desistência do patrão da Tesla e da SpaceX terá sido motivada por dúvidas em relação ao peso das contas falsas e de bots no total de utilizadores da rede social.

Julgamento Twitter versus Musk marca­do para outubro.

O tribunal de Delaware, nos EUA, mar­cou o julgamento que opõe o Twitter a Elon Musk para outubro. Musk defen­dia que o julgamento fosse feito em fevereiro de 2023. o Twitter moveu um processo contra o dono da Tesla, com o intuito de recorrer à justiça para fazer com que Musk avance para a compra. Esta terça-feira, as duas partes estive­ram reunidas no tribunal de Delaware, num encontro para decidir a data do julgamento.

Enquanto o Twitter defendia uma data para setembro, considerando que o prolongamento do processo está a prejudicar a empresa, Musk preferia uma data em 2023, mais concretamen­te em fevereiro. As propostas tinham também diferenças na duração do julgamento: Elon Musk preferia um julgamento de duas semanas, enquan­to o Twitter queria uma opção mais rápida, de quatro dias.

Kathaleen McCormick, a juíza res­ponsável por esta decisão, preferiu uma opção mais próxima da moção defendida pelo Twitter, marcando o início do julgamento para o próximo mês de outubro. Também a duração deste confronto em tribunal está mais próxima da opção do Twitter, com cinco dias. A data concreta do julga­mento em outubro terá agora de ser acordada pelas duas partes, definiu ainda McCormick.

Share

Related posts