sensus
Census
Lytron
My Partner
Sebrae

Empreendedorismo feminino

DE JORDANA LUCHETTI
@JORDANALUCHETTI

Falar de empreendedorismo femi­nino é falar de liderança, ousadia e ao mesmo tempo sensibilidade e visão. Nos EUA, e acredito que em todo o mundo, a mulher vem con­quistando seu espaço e mostrando que a sensibilidade feminina é sim uma das vantagens que alavancam empresas, con­quistando não apenas o setor corporativo, mas o público final.

Muitos estudos comprovam que as mulheres no empreendedorismo investem mais do que os homens em educação e saúde e que os países em que as mulheres têm maior participação econômica são mais desenvolvidos. Na pesquisa “Informações do Índice Global de Desenvolvimento de Empreendedorismo por Gênero”, encomen­dada pela Dell, os Estados Unidos ocupam o 1º lugar entre 17 países no que diz respeito às condições para promover as mulheres empreendedoras de alto potencial.

De acordo com dados do Banco Mundial, entre 25% a 35% das empresas privadas são operadas por mulheres e estima-se que, em 2028, esse número cresça para 75%. Isso é o reflexo de como são vistas as ‘mulheres na chefia’, pois, para o pensa­mento da grande maioria, é que a mulher coloca mais paixão e tem um certo cuidado especial para gerir os negócios. Elas sabem o que querem. Elas sabem como gerir, liderar e possuem um foco inigualável para alcançar seus objetivos.

As pesquisas mostram que 80% dos gastos dos consumidores são controlados por elas, incluindo categorias como carros e produtos eletrônicos. As mulheres estão montando portfólios poderosos. Há o grupo das mulheres que se destacam por serem investidores, anjo – elas são 22% desse gru­po nos Estados Unidos. As mulheres estão a cada dia mais conquistando um alto poder aquisitivo com o dobro de velocidade dos homens. Elas representam mais de 40% de todos os americanos com patrimônio bruto a ser investido acima de US$ 600 mil.

Na minha realidade de empreende­dora passei pelo processo da descrença, descaso e muitas vezes chacotas das pesso­as ao redor. Porém, assim como a maioria da minoria com muito foco, dedicação, planejamento e ação consegui em 3 anos de empresa me destacar no mercado de Relações Públicas, comunicação e eventos corporativos. Porém, minha realidade de viagens, entrevistas e eventos nada difere da mulher, mãe, esposa que empreende em casa, muitas vezes cozinhando para fora, revendendo joias, produtos de beleza ou qualquer outra tarefa que a faça encontrar seu propósito e fazer a diferença em seu mundo.

Empreender em um país diferente do que nascemos é muito desafiador porque adiciona a parte da reinvenção do eu. Um eu muitas vezes machucado pela distância, pelo medo e pela barreira da língua. Este artigo vem trazer alguns fatos e números curiosos, mas, acima de tudo a esperança e ousadia da Mulher Empreendedora. Existem milhares de opções de grupos de networking para mulheres nos Estados Unidos, como a Associação Nacional de Mulheres Proprietárias de Negócios e o Wo­men 2.0, que reúne fundadoras de startups de tecnologia.

Durante reuniões de mentoria, elas apren­dem a resolver questões do dia a dia em­presarial. As mulheres estão mais visíveis. As mulheres estão cada dia mais compro­vando que ser ousada faz a diferença. Ser ousado no mundo dos negócios é uma faca de dois gumes: o sucesso ou fracasso.

Mas, arriscar fez de Oprah, além de um modelo a ser seguido no mundo do empre­endedorismo, uma grande influenciadora no universo do marketing. Tudo que leva o seu nome ou marca é garantia de vendas milionárias.

Por isso, eu garanto para você que há um tempo para cada coisa e, inclusive, para o sucesso e abundância em todas as áreas da vida. Sempre há um começar, um recomeçar e, acima de tudo, um despertar de consciên­cia que quando se encontra o seu propósito você pode mudar não apenas a sua vida mas o mundo ao seu redor! Então aja! Bri­lhe! E continue cada dia mais conquistando o seu espaço e Viva as mulheres!

Share

Related posts