sensus
Lytron
Sebrae
My Partner
Census

NEY MATOGROSSO SE APRESENTA NO BROWARD CENTER NO DIA 15 DE JULHO

Texto de Laine Furtado
@lainefurtado

NEY MATOGROSSO SE APRESENTA NO BROWARD CENTER FOR THE PERFORMING ARTS NO DIA 15 DE JULHO

Ney Matogrosso aparece no palco apoiado por sua banda, vestindo uma roupa refleti­va dourada que dá a ilusão de mudar de cor conforme as luzes do palco atingem o can­tor. A turnê inclui uma seleção de músicas escritas principalmente na década de 1970, uma época de turbulência política no Brasil.

O setlist inclui um novo arranjo para “San­gue Latino”, uma música dos primeiros dias de Matogrosso como vocalista da banda inovadora Secos & Molhados; um cover de “Corista de Rock” de Rita Lee (“Rock Voca­list”); e uma versão de “Yolanda” do cantor e compositor cubano Pablo Milanes com letra em português de Chico Buarque.

E Ney explica como escolhe suas músicas. “Tenho esse caderno no qual gravo nomes de músicas que um dia posso tocar”, expli­ca. “Então, eu tinha essa lista gigantesca de músicas, então comecei a preparar uma lista para esse show em particular, e essa é a décima revisão que eu fiz. Eu original­mente tinha algumas músicas do Jorge Ben, ou [do Baby do Brasil] ‘Todo Dia Era Dia de Indio’, então esse é o resultado de um longo tempo de seleção de material para um show, revela o artista ao jornal New Times.

Entre os projetos do artista, um trabalho mais que especial. O lendário grupo Secos & Molhados, que descortinou a estrada para o estrelato do cantor, compositor e intérprete Ney Matogrosso , ganhará uma série de ficção especial em 2023 na Globoplay. é considerado um dos cantores mais impor­tantes do Brasil.

NEY MATOGROSSO CELEBROU O SEU ANIVERSÁRIO DE 80 ANOS COM O LANÇAMENTO DO EP “NU COM MINHA MÚSICA” E COM O LIVRO “NEY MATOGROSSO, A BIOGRAFIA”. FOTOS: INSTAGRAM NEY MATOGROSSSO

 

A importância de Ney Matogrosso para o Brasil vai além da qualidade de suas músicas. Foi no auge dos “anos de chumbo”, o período mais repressivo da ditadura militar, que ele surgiu na cena artística. Sua performance ganhou destaque e ele se tornou um dos artistas mais conhecidos do Brasil.

Com cinco décadas de carreira, Ney Ma­togrosso celebrou o seu aniversário de 80 anos no ano passado em aslto estilo, com­com o lançamento do EP “Nu com Minha Música” e com o livro “Ney Matogrosso, a Biografia”. Aos 81nos, o artista apresetsua altperfomance musical nos palcos.

No EP, além da faixa principal “ Nu com MInha Música” , que batiza o EP e que é composta por Caetano Veloso, o repertó­rio conta com 12 canções, especialmente selecionadas por Ney Matogrosso, como “Gita”, de Raul Seixas, “Mi Unicórnio Azul”, do cubano Silvio Rodríguez, e “Se Não For Amor, Eu Cegue”, de Lenine e Lula Queiroga.

Já o livro “Ney Matogrosso, a Biografia”, foi escrito pelo jornalista e biógrafo Julio Ma­ria, que passou cinco anos na trilha do ar­tista para contar sua história. A obra narra a trajetória do cantor desde a infância, mar­cada pela repressão do pai militar, até os encontros com grandes parceiros de vida, como Cazuza e o grupo Secos & Molhados. A biografia revela também passagens sobre o início da carreira no teatro.

A CARREIRA DE NEY MATOGROSSO

Um dos maiores nomes da música nacional, Ney Matogrosso encanta há décadas como artista. Ele que é cantor, diretor e ator tem marca registrada nos palcos pela sua irre­verência e apresentações excepcionais.

Ney saiu da casa dos pais novo, aos 17 anos, em busca da liberdade para fazer aquilo que gostava. Envolveu-se com a dança, com a música e com o teatro, participou de um programa de televisão e fez de tudo um pouco até decidir que seria ator. No Rio de Janeiro, 1966, adotou a filosofia hippie e começou a confeccionar e vender peças de artesanato em couro.

O ENVOLVIMENTO COM A MÚSICA

Ney Matogrosso vivia entre São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília até conhecer o produtor musical João Ricardo. Ele estava em busca de um cantor de voz aguda para compor um grupo musical e convidou Ney para fazer parte do Secos & Molhados.

Ney deu o primeiro passo na carreira e fez sucesso junto com os outros integrantes: João Ricardo, Gérson Conrad, Tato Fischer, Marcelo Frias, Emilio Carrera, Sérgio Rosa­das, John Flavin e Willy Verdaguer.

No conjunto musical, o cantor gravou dois discos com a extinta gravadora Continental e permaneceu entre 1973 e 1974 no grupo. Nesses álbuns haviam canções que poste­riormente se tornariam grandes marcos da história brasileira, como Rosa de Hiroshi­ma, Sangue Latino, O Patrão Nosso de Cada Dia e muitas outras.

Um ano depois de deixar o grupo (1975), Ney Matogrosso lançou seu primeiro álbum solo “Água do Céu – Pássaro”, que na época foi considerado “extravagante demais” e teve venda quase que inexpressiva.

Hoje, com 23 álbuns gravados, o artista coleciona sucessos na carreira. As canções Rosa de Hiroshima, Homem com H, Mal Necessário, Mulheres de Atenas, Calúnias, A Cara do Brasil, Tanto Amar e muitas outras estão entre as músicas consagradas do cantor.

SERVIÇO: SOBRE O SHOW DE NEY MATOGROSSO NO BROWARD CENTER

Ney Matogrosso: Bloco de Rua. 15 de julho (sexta-feira) às 8:00pm, no Broward Cen­ter for the Performing Arts, 201 SW Fifth Ave., Fort Lauderdale. Telefone: 954-462-0222. www.browardcenter.org. Os ingres­sos custam de US $ 48 a US $ 125, e podem ser comprados via ticketmaster.com.

Share

Related posts