sensus
Census
My Partner
Lytron
Sebrae

Obras de arte mais caras do mundo

SHOT SAGE BLUE MARILYN, NA CHRISTIE’S: O QUADRO É PARTE DE UMA SÉRIE DE RETRATOS DA ATRIZ. A PINTURA FOI VENDIDA POR 195 MILHÕES DE DÓLARES, SENDO A OBRA DE ARTE MAIS CARA DO SÉXULO XX.

Texto de LAINE FURTADO
@lainefurtado

A pintura Shot Sage Blue Marilyn, vendida no dia 9 de maio, por 195 milhões de dólares, tornou-se a obra plástica mais cara do século XX vendida em leilão no mundo, embora exis­tam obras vendidas em transações privadas que se acredita terem ultrapassado aquela figura. . O preço de venda do retrato da atriz norte-ame­ricana bate, assim, o recorde para uma obra do século XX, que era detido pelas “As Mulheres de Argel”, do pintor espanhol Pablo Picasso.

O quadro, intitulado “Shot Sage Blue Marilyn”, torna-se a segunda obra mais cara da história vendida em leilão, atrás de “Salvator Mundi”, de Leonardo da Vinci, pela qual o seu atual pro­prietário, o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, segundo a imprensa, pagou 450,3 milhões de dólares em novembro de 2017.

A PINTURA “SALVATOR MUNDI”, DE LEONARDO DA VINCI, SE TORNOU A MAIS CARA DA HISTÓRIA.


“INTERCHANGE”, DE WILLEM DE KOONING, FOI VENDIDO POR 300 MILHÕES DE DÓLARES.

De acordo com a Bloomberg, o norte-americano Larry Gagosian, um comerciante de arte, foi o li­citador vencedor no leilão do retrato de Marilyn Monroe, que decorreu na sala lotada da sede da Christie’s, no Rockefeller Plaza, em Nova Iorque.

A obra de Warhol pertencia à Fundação dos irmãos Thomas e Doris Ammann, de Zurique, Suíça, que a vendeu num lote com outras 35 obras de artistas como Robert Ryman, Francesco Clemente, Sturtevant e Cy Twombly, além de outras obras de Warhol. O valor arrecadado pela venda deste lote destina-se a projetos de saúde e educação, que têm como objetivo melhorar a vida das crianças em todo o mundo.

Embora tenha ficado abaixo dos 200 milhões de dólares que a Christie’s esperava arrecadar, o retrato de Marilyn tirou do pódio a obra de Picasso, que alcançou 179,4 milhões de dólares, em maio de 2015, seguida de “Nu Couché”, de Amedeo Modigliani, vendida por 170,4 milhões de dólares, também em 2015.

O retrato da atriz norte-americana quase dobrou o recorde de uma obra de Warhol, “Silver Car Crash”, pela qual foram pagos 104,5 milhões de dólares, em 2013.

ACIMA, UNTITLED, DE JEAN-MICHEL BASQUIAT, FOI VENDIDO EM 2017 POR 110,5 MILHÕES DE DÓLARES. ABAIXO, WASSERSCHLANGEN II (WATER SERPENTSII) DE GUSTAV KLIMT, FOI VENDIDO POR 187 MILHÕES DE DÓLARES EM 2013.

“Esta é a pintura mais significativa do século XX a ser leiloada numa geração. Marilyn de Andy Warhol é o auge absoluto do pop americano e a promessa do sonho americano, que reúne otimismo, fragilidade, celebridade e iconografia ao mesmo tempo”, disse o presi­dente da secção de arte dos séculos XX e XXI.

AS OBRAS MAIS CARAS DA HISTÓRIA

A venda recente tornou a obra de Warhol a segunda mais cara já arrematada em um leilão público, atrás somente da pintura “Salvator Mundi”, de Leonardo da Vinci, que se tornou a obra mais cara da história ao ser leiloada em 2017 por 450 milhões de dólares.

Ao ocupar a segunda colocação da lista, “Shot Sage Blue Marilyn” superou o valor alcançado por “As Mulheres de Argel”, de Pablo Picasso, vendido também pela Christie’s em 2015 por 179,4 milhões de dólares, e atualmente a terceira obra mais cara. “Nu Reclinado”, de Amedeo Modigliani, é o quarto quadro mais caro já leiloado, vendido também em 2015 por 170,4 milhões de dólares, e também é de Modigliani o quinto colocado, “Nu deitado sobre o lado esquerdo”, leiloado por 157 milhões em 2018.

NU DEITADO, DE AMADEO MODIGLIANI. A TELA FOI ARREMATADA NA CHRISTIE’S DE NOVA YORK POR 170,4 MILHÕES DE DÓLARES.

A lista supracitada não inclui, porém, obras vendidas privadamente, fora de casas de leilão, uma vez que os valores divulgados não podem ser oficialmente confirmados.

Em uma lista que inclua vendas particulares, o quadro de Warhol passa a ocupar a terceira colocação entre os mais caros do século passado, atrás de “Interchange”, pintado por Willem de Kooning em 1955 e considerado o segundo quadro mais caro da história, vendi­do em 2015 por 300 milhões de dólares, e de “Number 17A”, de Jackson Pollock, pintado em 1948 e vendido por 200 milhões de dólares em 2015.

Na lista geral, portanto, reunindo vendas par­ticulares e em leilões, o quadro de Da Vinci segue no topo, e “Shot Sage Blue Marilyn” se torna a sétima obra mais cara de todos os tempos.

AS MULHERES DE ARGEL , DE PABLO PICASSO. O QUADRO FOI LEILOADO EM 11 MAIO DE 2015 POR MAIS DE 179 MILHÕES DE DÓLARES.

AS OBRAS MAIS CARAS DO SÉCULO XX

Após a venda da Marilyn de Warhol, estas são as dez obras realizadas ao longo do século XX que foram as mais bem pagas, incluindo as vendidas em hasta pública e em transa­ções privadas. As valorizações indicadas correspondem às do dia em que a operação foi fechada.

  1. Willem de Kooning, Interchange adquiri­do por Kenneth Griffin por US$ 300 milhões em setembro de 2015.
  2. Jackson Pollock, número 17A, adquirido em particular por Kenneth Griffin por US$ 200 milhões em 2011.
  3. Andy Warhol. Shoht Sage Blue Marilyn, vendido pela Christie’s em 9 de maio de 2022 por 195 milhões. É o preço mais alto pago por uma obra de um autor contempo­râneo em leilão público.
  4. Gustav Klimt, Wasserschlangen II (Water Serpents II), adquirido em uma transação privada por US$ 187 milhões em 2013.
  5. Mark Rothko, nº 6 (Violeta, Verde e Ver­melho), vendido em particular em 2014 por US$ 186 milhões.
  6. Pablo Picasso, Les femmes d’Alger (Ver­são ‘O’), foi vendido em 11 de maio de 2015 por US$ 179,36 milhões, em leilão pela Christie’s em Nova York. É a obra de arte mais cara de um artista espanhol.
  7. Roy Lichtenstein, Masterpiece, foi vendi­do por US$ 165 milhões em 2017.
  8. Amedeo Modigliani, Nu Couche (Recli­ning Nude), vendido em 14 de maio de 2018 em um leilão realizado na Sotheby’s em Nova York por um preço final de US$ 157,2 milhões.
  9. Pablo Picasso, The Dream, foi vendido por US$ 155 milhões ao bilionário americano Steve Cohen em março de 2013.
  10. Francis Bacon, Three Studies of Lucien Freud, vendido por US$ 142,2 milhões em 12 de novembro de 2013 em leilão em Nova York.

Vale ressaltar que a próxima obra da lista é a escultura L’homme au doigt (O Homem Apontador), de Giacometti, vendida em leilão em 11 de maio de 2015 em Nova York por US$ 141,28 milhões e se tornou a escultura mais cara da história .

Share

Related posts