Sebrae
Lytron
sensus
My Partner
Census

A origem da páscoa, A “Passover” dos Judeus

Texto de Laine Furtado
@lainefurtado

A Páscoa é uma das festas mais tradicionais do calendário cristão e tem suas origens baseadas tanto na tradição judaica como em elementos pagãos que foram apropriados de povos cristianizados, como os germânicos. Essa ce­lebração possui data móvel e o seu sentido cristão relembra a crucificação e ressurreição de Cristo. A palavra Páscoa em português deriva do termo em hebraico “Pessach”. Os principais países onde se celebra a Páscoa, além do Brasil e Estados Unidos, são Canadá, Itália, Romênia, Espanha, Portugal, Irlanda, Grécia, Noruega, Dinamarca, Finlândia, Suíça, Angola, Quênia e África do Sul, assim como praticamente todos os países da América Latina.

A Páscoa no calendário cristão americano é semelhante ao Brasil. O período inicia oficialmente na terça-feira gorda (Fat Tuesday), que seria a terça-feira correspon­dente ao Carnaval. Esse termo se refere aos exageros cometidos no período, sejam de alimentação ou comportamento. Nesse dia, ocorrem os desfiles de Mardi Gras, sendo o mais famoso o de New Orleans. Este ano, a páscoa será celebrada no dia 22 de abril.

A HISTÓRIA DA PÁSCOA JUDAICA

A Páscoa judaica é conhecida pelos judeus como Pessach, palavra do hebraico que significa passagem. A Páscoa comemorada pelos judeus também é uma de suas festas religiosas mais importantes, assim como é a Páscoa para os cristãos. A Páscoa judaica é celebrada de acordo com o calendário próprio dos judeus.

O calendário judeu (ou calendário hebraico) é conhecido por ser um calendário lu­nissolar, isto é, que se baseia nos ciclos da Lua e do Sol. A Páscoa judaica é comemo­rada anualmente no dia 14 de nissan (ou nisã), pelo fato de que a primeira Páscoa comemorada pelos judeus, enquanto eram escravos no Egito, aconteceu nos dias 14 e 15 de nissan, há cerca de 3500 anos.

A primeira Páscoa aconteceu no contexto da escravidão dos hebreus no Egito. Esses, originários de Abraão, estabeleceram-se em Canaã e, depois de um tempo de seca e falta de alimentos, mudaram-se para o Egito, local no qual acabaram sendo escravi­zados. A libertação dos hebreus foi realizada por Moisés, logo após a execução das dez pragas no Egito, segundo a narrativa judaica.

A Páscoa judaica aconteceu pouco antes da execução da décima praga, na qual o anjo da morte desceu ao Egito e matou todos os primogênitos daquela terra. O anjo da morte só não passou pelas casas daqueles que haviam seguido as ordens de Javé realizando a festa, da forma conforme havia sido ordenada, e passando o sangue do cordeiro nos umbrais de suas portas. Após a décima praga, os hebreus foram liber­tos da escravidão e autorizados a retornarem para Canaã.

A PÁSCOA CRISTÃ

A Páscoa é uma comemoração que surgiu na tradição judaica em memória da libertação do povo hebreu da escra­vidão no Egito. Na tradição hebraica, a festa aconteceu porque Javé enviou uma ordem para que Moisés repassasse aos hebreus. Os judeus relembram a passagem do anjo da morte durante o acontecimento da décima praga do Egito. Em referência a isso, esse povo chama a sua Páscoa de “Pesach”, que significa “passagem”.

No cristianismo, por sua vez, a Páscoa possui um significado distinto da crença judaica, mas, apesar disso, a festa cristã possui uma ligação direta com a dos judeus. Para os cristãos, como menciona­do, a Páscoa relaciona-se com a crucifica­ção, morte e ressurreição de Jesus Cristo. Dentro da tradição cristã, a ressurreição de Cristo aconteceu no terceiro dia após sua crucificação.

Dentro da tradição cristã, a Páscoa é uma das mais importantes celebrações (para muitos, a mais importante) porque evi­dencia a importância da ressurreição de Cristo para os cristãos. O próprio apósto­lo Paulo afirma em sua carta registrada em I Coríntios 15:14 que “Se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa pregação, e também é vã a vossa fé”|1|.

Esse pequeno trecho da Bíblia dá uma dimensão do grau de importância da res­surreição para a crença cristã. Ele nos dá a entender que sem a Páscoa, isto é, sem a ressurreição de Cristo, a fé dos cristãos não teria sentido prático. Os cristãos entendem que a morte de Cristo foi um sacrifício voluntário com o propósito de salvar a humanidade de seus pecados. Por meio desse sacrifício, a humanidade ganhou uma nova chance..

A PÁSCOA NA CASA BRANCA

É tradição também nos Estados Unidos a celebração da Páscoa na Casa Bran­ca. Trata-se de um grande festival que acontece nos gramados da residência oficial em Washington D.C., com várias atividades, contação de histórias e cenários para cliques fotográficos. Quem recebe os convidados é ninguém menos do que o Presidente dos Estados Unidos e a Primeira Dama. Essa tradição vem desde 1878 com o Presidente Ruther­ford B. Hayes. Em virtude da pandemia, as celebarções da Pascoa estão sendo realizadas sem a participação de aglome­rações.

*Com informações do Brasil Escola, Mun­do e Educação e Secretaria de Turismo de Israel.

Share

Related posts