Sebrae
Lytron
Census
sensus
My Partner

Maíra Cardi

MAÍRA CARDI FOTO: RICARDO PENNA

Texto de ALETHÉA MANTOVANI
@aletheamantovani

A COACH DOS FAMOSOS E EMPRESÁRIA DE SUCESSO FALA SOBRE A VIDA DE INFLUENCER, A PARTICIPAÇÃO DO MARIDO NO BBB22 E OS PRÓXIMOS PROJETOS

Ela é empresária de sucesso no Brasil, coach de ema­grecimento e bem-estar de diversas celebridades, além de influenciadora digital com mais de 7 milhões de seguidores só no Instagram. Estamos falando de Maíra Cardi, 38 anos, que está atualmente em quase todas as mídias brasileiras por algumas razões. Primeiro, porque ela é muito espontâ­nea, direta e fala mesmo o que pensa – doe a quem doer. Segundo, por comentar a participação do marido, o ator Arthur Aguiar, no Big Brother Brasil 22 e toda a dinâmica dentro da casa que envolve o ator.

Maíra teve um “boom” na carreira e fi­cou conhecida do grande público após participar da nona edição do BBB em 2009, e isso ajudou a alavancar a sua trajetória como empresária e coach da boa forma.

A partir daí, ela criou o Programa Seca Você, um plano de emagrecimento que visa cuidar não só do corpo, mas também da mente, conforme a influencer mesmo diz durante a entrevista. “Existe a parte de treino e a parte que trabalha o lado emocional, porque as pessoas não comem comi­da, mas as emoções. O que você não consegue falar, botar para fora, você engole empurrando com a comida goela abaixo, ou mesmo quando está triste ou estressado. Portanto, o meu programa é o único que vai na raiz do problema para resolver a causa.” – afirma.

MAÍRA CARDI FOTO: RICARDO PENNA

A proposta de Maíra é um sucesso entre celebridades como Anitta, Deborah Secco, Maiara e Maraisa e os valores vão de R$ 1 mil reais até R$ 300 mil, dependendo do plano escolhido.

Como influenciadora digital, o sucesso da empresária também é notável, pois ela é uma das mais requisitadas da atualidade. Seus publiposts são muito valorizados e o seu número de segui­dores não para de crescer. Até mesmo a participação do marido no reality da Globo já reverteu em mais cifras para a especialista em nutrição.

Além de toda a fama que Maíra conquistou no aspecto profissional, a sua vida pessoal também é muito comentada na mídia, principalmente após ela mencionar a sua separação com o atual marido Arthur, que aconteceu em 2020, e sobre uma traição que sofreu por parte dele. Em 2021, porém, ela reatou o casamento e saiu em defesa do amado diante de comentários negativos que ele sofreu nas redes sociais.

Agora a coach está novamente como um dos principais assuntos do momento nos programas de TV, sites e outras mídias, devido à participação de Arthur Aguiar no reality da Globo e aos comentários que ela vem fazendo sobre o programa nas suas redes so­ciais, principalmente sobre as pessoas que falam do marido na casa e sobre as indicações seguidas ao paredão que ele vem enfrentando por lá. E ela não está deixando por menos, pois vem falando tudo o que pensa sobre o jogo e saindo em defesa do seu par. “Fale de mim, mas não de quem eu amo!” – diz.

MAIRA CARDI COM O ESPOSO FOTO: DIVULGAÇÃO

E falando sobre os amores de Maíra, além de Arthur, a influencer tem tam­bém a filha Sophia, de 3 anos, da união com o atual marido, e o filho Lucas, 21 anos, que é fruto do seu casamento anterior.

Acompanhe a entrevista exclusiva que Maíra Cardi concedeu à Linha Aberta Magazine.

LINHA ABERTA – Ser uma influenciadora fitness envolve muita responsabilidade, seja por aquilo que você diz na mídia ou posta nas suas redes sociais. Quais são os cuidados que você tem ao fazer declarações ou se expor na Internet?

MAÍRA CARDI – Eu sou uma pessoa que normalmente fala de tudo e, obviamente, isso tem consequências. Infelizmente, às vezes, eu colho a consequência do que falo. Diante de um contexto inteiro, alguns jornalistas têm a mania de retirar apenas uma manchete do todo, aquilo que vende mais ou que dá mais cliques, por exemplo, e isso acaba nos prejudicando. Porém, eu prefiro pecar pela transparência, falar tudo o que penso e correr esse risco, do que não falar e montar uma personagem.

LINHA ABERTA – Você sempre cuidou da sua alimentação e se preocupou em ter um estilo de vida mais saudável? Se não, como e quando isso se tornou algo mais efetivo na sua vida?

MAÍRA CARDI – Eu tive um câncer de tireoide e fiquei condenada a tomar remédio para a doença e para o coração pelo resto da vida. Eu era muito nova e achei um absurdo ficar depen­dente de remédio. Então, eu fui estudar sobre a doença e comecei a descobrir o poder dos alimentos e que todas as nossas enfermidades vêm da má alimentação e do mal gerenciamento das emoções. Daí despertou o meu interesse inicial. Algum tempo depois, foi descoberto um câncer no meu pai e o médico o condenou a três meses de vida. Porém, ele acabou vivendo 3 anos a mais após nós mudarmos a alimentação dele por orgânica. Um dia após a morte do meu pai, eu resolvi abrir o Seca Você. Há dez anos, o que movia as pessoas era a estética, além das re­vistas Boa Forma e Dieta, consideradas como as melhores publicações. Nessa época, as pessoas seguiam algumas dietas, como a do alface e a da sopa, principalmente as mulheres, que faziam de tudo para emagrecer e a saúde vinha muito, muito depois. Nessa época as pessoas eram movidas por dietas, principalmente as mulheres, e faziam de tudo para emagrecer, como a dieta do alface, a dieta da sopa e a saúde vinha muito, muito depois. Entendendo isso e acompanhando o mercado, eu criei um programa onde as pes­soas teriam o que elas realmente desejam, que é o emagrecimento. Porém, além do emagreci­mento, eu entregava também o mais importante: a saúde, por meio da consciência, onde elas entravam com o objetivo de emagrecer e per­diam de 6 a 24 quilos em apenas 30 dias, com alimentação saudável, comendo de 3 em 3 horas alimentos gostosos como: bolos e biscoitos. No meio de toda essa programação, também tem uma assistência durante 24 horas de analistas comportamentais, além de aula, dinâmica e todo aprendizado desde a parte emocional até a alimentar. Portanto, ao finalizar o programa, além de ter eliminado os quilos – que era a proposta inicial -, agora as pessoas tinham a consciência do que realmente importa: a paixão pela vida saudável e, principalmente, um apren­dizado sobre como se alimentar e ter saúde de verdade, mas sem sofrimento.

MAÍRA CARDI COM A FILHA SOPHIA E O FIHO LUCAS FOTO: DIVULGAÇÃO INSTAGRAM

LINHA ABERTA – Você é formada em nutrição esportiva nos Estados Unidos e criou um programa de consultoria fitness que se tornou uma “febre” entre as celebridades. Como surgiu essa ideia para você se tornar uma coach e por que a sua assessoria é ino­vadora em relação às demais?

MAÍRA CARDI – Há 10 anos, quando eu comecei a trabalhar com emagrecimento, as pessoas faziam dieta, elas faziam com o nutricionista e depois só o viam após 30 dias. Ou elas faziam um acompanhamento com um personal na academia, mas não existia a junção de uma metodologia com personal ou nutricionista e um psicólogo, por exemplo. Por isso, a minha metodologia era basicamente uma junção de tudo isso em um único lugar. Por exemplo, dentro dos grupos existem analistas compor­tamentais da minha equipe que são formados pela minha metodologia. Dentro desses grupos, diariamente, as pessoas são desenvolvidas e têm um cardápio gastronômico pelo qual, além de emagrecer, podem desfrutar de receitas maravilhosas desenvolvidas por nossos chefes. Existe também a parte de treino e a parte que trabalha o lado emocional, porque as pessoas não comem comida, mas as emoções; o que você não consegue falar, botar para fora, você engole empurrando com a comida goela abaixo; ou mesmo quando está triste ou estressado. Portanto, o meu programa é o único progra­ma que vai na raiz do problema para resolver a causa. É como se fosse uma árvore que, se eu ficar aparando as folhas, ela vai continuar crescendo. Então, para resolver o problema é preciso arrancar a sua raiz, e para isso a gente tem uma metodologia única, pela qual descobri­mos o que te leva a comer compulsivamente e o motivo pelo qual você não consegue dizer não à comida. Por isso ele é tão procurado.

LINHA ABERTA – Qual a sua opinião sobre empoderamento feminino? Você se conside­ra uma mulher empoderada?

MAÍRA CARDI – Eu me considero uma mulher empoderada, mas acho que a gente preci­sa estar atento sobre o que considera ser o empoderamento, porque está havendo uma deturpação na minha opinião. Às vezes, nós mulheres acabamos nos inferiorizando. Eu acredito que o empoderamento é ser indepen­dente da minha própria vida, ser independente inclusive nas minhas escolhas. O ser indepen­dente não significa que eu preciso ganhar o meu próprio dinheiro. A partir do momento que eu não respeito a escolha de outra mulher, eu também estou tirando o poder dela. Quando uma mulher decide ser uma boa dona de casa, uma boa mãe e não trabalhar, por exemplo, isso é empoderamento e, se é uma escolha dela, precisa ser respeitada. A partir do momento em que começamos a colocar rótulos, nós enfra­quecemos o movimento e desrespeitamos uma outra mulher. Então, sim, eu sou uma mulher empoderada e respeito as mulheres empodera­das com opiniões completamente diferentes das minhas. Eu acredito que o empoderamento é eu ser independente da minha própria vida, ser independente inclusive nas minhas escolhas. O ser independente não significa que eu preciso ganhar o meu próprio dinheiro. A partir do momento que eu não respeito a escolha de outra mulher, eu também estou tirando o poder dela. Quando uma mulher decide ser uma boa dona de casa, uma boa mãe e não trabalhar, por exemplo, isso é empoderamento e, se é uma escolha dela, precisa ser respeitada, porque a partir do momento em que começamos a colo­car rótulos nós enfraquecemos o movimento e desrespeitamos uma outra mulher. Então, sim, eu sou uma mulher empoderada e respeito as mulheres empoderadas com opiniões comple­tamente diferente das minhas.

MAÍRA CARDI FOTO:

LINHA ABERTA – Quais os conselhos que você dá para as pessoas que precisam mudar os seus hábitos alimentares e incluir alguma atividade física na rotina, mas não estão conseguindo? Como mudar essa “cha­ve” e deixar os velhos hábitos de lado?

MAÍRA CARDI – É impossível fazer algo que a gente não goste ou que não nos faça feliz. Essa felicidade pode ser de alguma forma direta ou indireta. Por exemplo, muita gente trabalha por dinheiro e isso é uma maneira de ter uma recompensa, ou seja, você pode aprender a se apaixonar por um estilo de vida ou aprender a se apaixonar pela remuneração que vem com ele. De qualquer forma, fazer sem ter recom­pensa ninguém consegue. As pessoas acham difícil fazer dieta porque, de fato, a maioria das dietas são ruins, têm gosto ruim, fazem passar fome ou mesmo sentir vontade de comer um doce. Você precisa criar um estilo de vida no qual as comidas sejam saborosas, os exercícios prazerosos e daí você vai querer fazer essa dieta. Portanto, isso existe sim.

LINHA ABERTA – Você acha que o comporta­mento e a espontaneidade dos participantes de reality show mudaram com o decorrer das edições, principalmente porque muitos estão demasiadamente preocupados com o cancelamento? Na sua edição isso já existia?

MAÍRA CARDI – Eu acho que mudou bastante porque a Internet expõe muito mais. Anti­gamente, o reality só passava na televisão e pouquíssimas pessoas tinham acesso ao Pay Per View. Hoje em dia, tudo o que acontece é passado em tempo real na Internet e as coisas tomam uma proporção gigante. Então, é natural que as pessoas julguem mais porque a exposição está sendo maior. Não foi só o reality que mudou, o mundo mudou. Há 10 anos, infelizmente, era comum fazer piada com a dor alheia, piada gordofóbica, piada racial, piada machista, coisa que hoje já sabemos o quanto é danoso e criminoso. Então, é natural que as pessoas pisem em ovos, reavaliando as suas próprias atitudes.

LINHA ABERTA – O que é mais fácil para você: participar de um reality show e vivenciar as emoções que ele proporciona ou assistir ao seu marido no BBB 22 sofrer todas as consequências do game e enfrentar todo tipo de situações e julgamentos?

MAÍRA CARDI – Eu acho mais fácil participar, pois eu lido muito bem com as consequências das minhas atitudes, com o caos e até mesmo com as críticas. Estar do lado de cá vendo o Arthur ser julgado ou, às vezes, as pessoas falando mal dele pelas costas, o criticando, é muito mais doloroso do que se fosse comigo. Sabe aquela frase: “Fale de mim, mas não de quem eu amo!” ? Pois é, eu penso assim.

LINHA ABERTA – A mídia vem divulgando que após a entrada do seu marido no BBB 22 você está sendo procurada por diversas empresas, tanto para publicidade quanto para possíveis parcerias. Disse também que você lançará uma linha de pães fitness que já tem até nome. Isso de fato aconteceu ou é especulação da imprensa?

MAÍRA CARDI – Eu como uma boa empresária preciso estar atenta a todas as oportunidades. Não existe nada ruim, toda mídia pode ser revertida para vender se formos rápidos e atentos. O BBB tem uma audiência incrível e, obviamente, nós não podemos deixar de aproveitar tudo o que vem com isso. Eu tenho fechado muitas campanhas, estou criando algumas linhas não só de pães, mas de joias – sabe aquelas duas correntes que o Arthur usa? Então… Outra coisa, eu também já estou fechando uma agenda de palestras no Brasil inteiro, tanto para mim quanto para ele quan­do sair da casa. Saber aproveitar a oportuni­dade é a grande sacada.

LINHA ABERTA – Como você lida com os haters nas redes sociais? Você já precisou tomar alguma atitude mais séria ou até judicial para conter estas pessoas?

MAÍRA CARDI – Infelizmente a gente acaba se acostumando com isso, apesar da Internet não ser terra de ninguém, a lei ainda é muito precária, as regras ainda não são claras e as pessoas cometem crime como se estivessem bebendo um copo de água. Tudo na vida é escolha e eu escolho dedicar o meu tempo ao que me evolui, ao que me dá retorno, ao que me edifica e ao que me faz bem. Parar um tempo da minha vida para ler comentários, sejam eles positivos ou negativos, só vai me atrasar e me afastar de onde eu quero chegar. Em resumo, tanto os elogios quanto as críticas não podem te parar.

LINHA ABERTA – Além da alimentação saudável e a prática de exercícios físicos, o que você faz para manter a sua saúde e a beleza em dia? Você é adepta dos proce­dimentos estéticos mais modernos do momento, já fez plástica, utiliza produtos de última geração?

MAÍRA CARDI – Eu sou preguiçosa ou, para ser mais honesta, acelerada demais. Eu não tenho paciência alguma para fazer a unha, nem para fazer massagem ou tratamento no cabelo, esfoliação ou qualquer coisa que demore mais que um minuto, então eu não faço. Cirurgia eu não tenho problema algum em fazer, afinal de contas é só fechar os olhos e acordar pronta, apesar de ter o pós-opera­tório. Eu não tenho tempo para ficar parada. Eu já fiz duas cirurgias no seio e em ambas eu os rasguei porque eu não fico parada. Então, para mim, não é bom fazer cirurgia.

LINHA ABERTA – Quais são os seus próxi­mos projetos? Algum deles está focado nos Estados Unidos?

MAÍRA CARDI – Fora as cinco empresas que eu já tenho, esse ano eu pretendo me dedicar ao meu reality de emagrecimento, que será lan­çado durante o mês que vem. Ele apresentará a transformação de mais de 30 mulheres e foi gravado em formato de documentário. É um reality pelo qual elas emagreceram e se trans­formaram completamente. Eu também quero me dedicar às palestras e aos novos produtos como citei acima. Dificilmente eu vou parar de criar, pois não gosto de rotina e sim de me reinventar. Porém, eu sei que o Arthur vai se dedicar à carreira da música, então talvez eu tenha que desacelerar um pouquinho para que possa acompanhá-lo em seus shows em alguns momentos.

Share

Related posts