My Partner
Lytron

Halloween: Mitos & Tradições

De Eduardo Prugner
@eduardoprugner

A história nos revela os fatos aconte­cidos, as tradições e os costumes de um povo. Halloween tem base em tradições a partir dos povos celtas que se estabeleceram na Irlanda.

O “Samhaim” era um festival que marcava o fim do ano e o começo das colheitas e de um novo ciclo. Também representava a aproxi­mação entre este mundo e o mundo dos mortos.

Para afastar os maus espíritos usavam fogueiras, lanternas feitas com o nabo e uma vela dentro e sefantasiavam para afugentar as almas perdidas e não serem por elas reconhecidos. Terminavam com comidas, bebidas, brincadeiras e danças. As celebrações iam do final de outubro à 2 de novembro.

O papa Gregório III , no século XVIII, determinou que dia 1 de novembro fosse celebrado o Dia de Todos os Santos e dia 2 para lembrar dos mortos – “pelas almas do purgatório”, justamente para afastar as comemorações pagãs dos celtas, princi­palmente em países tradicionalmente cristãos.

A palavra Halloween vem da expressão “All Hallo­ws Eve”,dia anterior a 01 de novembro (dia de todos os santos) e que mais tarde se transformou em Halloween. “Hallow” no inglês é uma forma antiga de chamar “santo” e “Eve” significa véspera.

O HALLOWEEN NOS ESTADOS UNIDOS

Em meados do século XIX, houve um grande surto na Europaque acabou com as plantações e gerou o período chamado da “Grande Fome”. A batata foi duramente afetada e era a base alimentar dos irlandeses que, para não morrerem de fome, imi­graram em grande escala aos Estados Unidos.

A medida que os irlandeses se adaptavam às culturas e tradições americanas, também transmitiam suas próprias culturas, entre elas o Halloween.

Dessa forma o “Halloween” foi incorporado às culturas locais, principalmente pelas crianças que brincavam com suas fantasias “horripilantes” e podiam comer doces e guloseimas com o tradicio­nal “trick ou treat” (doces ou travessuras).

As festas de “Halloween” se tornaram a sensação americana não só entre as crianças, mas também entre os pais que passaram a decorar suas casas para darem um cenário mais completo as brinca­deiras do Halloween. Normalmente essas decora­ções são feitas durante todo o mês de outubro.

Dia 31 de outubro é feriado e movimenta todo os Estados Unidos seja nos parques temáticos, no comércio e nas escolas. Os parques temáti­cos, principalmente os da Flórida, são palcos de comemorações e de muitas encenações de terror, durante o mês de outubro.

Nas cidades americanas há também a apresenta­ção de contos e decorações, com objetivo dar um toque ainda mais arrepiante a todas as festivida­des de Halloween. Destaque para o desfile anual de Halloween de Greenwich Village em Manhat­tan. É o maior desfile de Halloween do mundo.

OS PRINCIPAIS SÍMBOLOS AMERICANOS DO HALLOWEEN

TRICK OR TREAT. Talvez o ponto alto das brinca­deiras, tão esperadas pelas crianças no Hallo­ween, é o “trick or treat”, onde eles pedem de porta em porta doces e guloseimas. Ao tocarem a campainha ou baterem nas portas da vizinhança dizem “trick ou treat”, que significa doces ou travessuras. Essa expressão também teve origem nos festejos do “Samhaim”, quando as pessoas iam de porta em porta para receberem um pedaço do bolo recheado com groselha, e em troca rezavam para os espíritos da família daquela casa. Esse bolo era chamado de “bolo da alma”.

FANTASIAS. Para completar as aventuras do Halloween, as crianças se vestem com fantasias. Atualmente eles escolhem fantasias de seus ídolos preferidos e as meninas escolhem, principalmente temas ligados as princesas. Essas fantasias dão o tom da brincadeira.

JACK-O’-LANTERN. Se os celtas usavam o nabo com uma vela acesa dentro para “espantar os espíritos”. Nos Estados Unidos a abóbora tomou esse lugar, e sua principal colheita é nesse período. A abóbora com recortes sinistros e com uma vela (luz) dentro, dá um toque “terror” e é parte obrigatória nas decorações das casas e nos estabelecimentos durante o tempo dessas festividades.

HISTÓRIAS DE TERROR. A origem do Halloween tinha algo sobrenatural, portanto é de se imaginar que a indústria cinematográfica tenha explorado essa tradição com filmes de horrores, bem ao estilo daqueles que gostam desse tipo de filme. Também surgiram histórias contadas de boca em boca, por gerações, que se somaram as tradições.

CONTRADIÇÕES

As Igrejas cristãs condenam estas festividades, porque elas levam as pessoas “cultuarem” o sobrenatural e a morte. As Igrejas sugerem que as crianças brinquem com fantasias de personagens das histórias infantis tanto nas escolas quanto em casa.

Share

Related posts