My Partner
Lytron

Marieta Severo e Reynaldo Gianecchini relembram a inesquecível parceria em ‘Verdades Secretas’

FOTO: FANNY RICHARD ( MARIETA SEVERO ) , ANTHONY MARIANO ( REYNALDO GIANECCHINI ) CRÉDITO: GLOBO/PEDRO CURI

NOVELA ESCRITA POR WALCYR CARRASCO ESTÁ DE VOLTA NO CANAL INTERNACIONAL DA GLOBO DESDE O DIA 24 DE AGOSTO

Repleta de personagens marcantes e atuações impecáveis, ‘Verdades Secretas’ trouxe uma dupla que se mantém viva na lembrança de quem assistiu. Com uma relação ácida e quente, recheada de diálo­gos cheios de humor e sarcasmo, a ambiciosa dona da agência de modelos Fanny (Marieta Severo) e o interesseiro Anthony Mariano (Reynaldo Gianechi­ni) fizeram uma dobradinha inesquecível.

Quinze anos antes da exibição original de ‘Verdades Secretas’, Marieta Severo e Reynaldo Gianecchini trabalharam juntos em ‘Laços de Família’, quando o ator estava em início de carreira, e retomar a parceria em outro momento foi muito especial para ambos. “Foi um reencontro delicioso. São muito bonitas essas histórias que a vida arma, ter voltado a fazer uma novela ao lado dele. A gente se emocionou muito. O Gianecchini se tornou um excelente ator. Evoluiu bastante, ganhou domínio e maturidade. Tenho uma confiança grande no trabalho dele, foi um prazer ter contracenado com ele novamente”, enaltece Marieta.

Gianecchini acredita que a oportunidade de contra­cenar com a veterana após adquirir mais bagagem como ator foi fundamental para o sucesso do trabalho. “Foi muito interessante poder contracenar com ela depois de eu ter mais experiência, de poder jogar um jogo mais redondo, num outro lugar como ator e como parceiros. Foi muito prazeroso mesmo. A Marieta é uma loucura, uma atriz maravilhosa, uma pessoa deliciosa de conviver. Então, ter a chan­ce de novo de participar com ela de um trabalho, mas num lugar mais relaxado como ator, foi muito bom”, conta. Em entrevista, Marieta e Gianecchini relembram vários momentos do trabalho na trama e a parceria em cena.

‘Verdades Secretas’ é escrita por Walcyr Carrasco, com direção de núcleo de Mauro Mendonça Filho e direção geral de André Felipe Binder, Natália Grimberg e Mauro Mendonça Filho, direção de Allan Fiterman, Mariana Richard e André Barros. A obra vai ao ar no canal internacional da Globo a partir do dia 24 de agosto, às segundas após ‘Império’; às ter­ças depois do ‘Vai que Cola’; às quintas na sequência de ‘Sob Pressão’; e às sextas após o ‘Globo Repórter’. A novela completa também está disponível on demand para assinantes do Globoplay.

MARIETA SEVERO

LINHA ABERTA: O que sentiu quando soube que ‘Verdades Secretas’ voltaria a ser exibida na TV Globo?Como você descreve a Fanny?

MARIETA SEVERO: É ótimo mostrar de novo um trabalho do qual a gente sente orgulho. E agradeço muito ter feito parte desse. a Fanny era amoral, sem escrúpu­los, a coisa mais importante para ela era o poder e o dinheiro. Representava muito bem parte da sociedade atual, que se rege por esses valores.

LINHA ABERTA: Na época em que foi exibida originalmente, a trama fez muito sucesso. A que você atribui o êxito da história?

MARIETA SEVERO: O sucesso vem sempre de uma combinação de fatores. A história que o Walcyr criou era original, densa, dramática, muito reveladora, eram verdades secretas mesmo. A direção do Maurinho Mendonça e da equipe dele foi extraordinária. A estética e a fotografia eram sofisticadas, a trilha sonora era óti­ma. E tínhamos um elenco muito coeso, com um nível de interpretação muito bom. Acredito que tudo isso contribuiu.

LINHA ABERTA: Qual a principal lembrança que você tem do período de gravação?

MARIETA SEVERO: Atuar com um elenco de atores jovens é garantia de animação e de muita diversão. Era uma delícia chegar na “minha agência” e encontrar aquela moçada alegre e dedicada. Reencontrar os antigos amigos, Gianecchini, Rodrigo (Lombardi), Drica (Moraes)… e descobrir uma parceira talentosa e companheira como a Grazi (Massafera).

LINHA ABERTA: Como foi contracenar novamente com Reynaldo Gianecchini, depois de terem trabalhado juntos em ‘Laços de Família’?

MARIETA SEVERO: Nosso reencontro foi muito emocionante. São muito bonitas essas histórias que a vida arma, ter voltado a fazer uma novela ao lado dele. A gente se emocionou muito. O Gianec­chini se tornou um excelente ator. Evoluiu muito, ganhou domínio e maturidade. Tenho uma confiança grande no trabalho dele, foi um prazer ter contracenado com ele novamente.

LINHA ABERTA: Qual foi o principal desafio desse trabalho?

MARIETA SEVERO: Com certeza o pouco tempo entre a despedida da Dona Nenê, que fiz durante 14 anos, e a chegada de Fanny. Terminei de gravar ‘A Grande Família’ e comecei a gravar Fanny no dia seguinte. E, por incrível que pareça, o es­túdio onde gravamos ‘Verdades Secretas’ era o mesmo onde gravávamos ‘A Grande Família’!

REYNALDO GIANECCHINI

LINHA ABERTA: O que sentiu quando soube que ‘Verdades Secretas’ voltaria a ser exibida na TV Globo?

REYNALDO GIANECCHINI: Eu achei ótima a ideia de reexibir ‘Verdades Secre­tas’, porque é uma trama que fez muito sucesso. O público está ansioso pela continuação, eu sinto isso. Vai ser ótimo relembrar toda a história para as pessoas estarem com ela bem viva na memória quando a continuação estrear.

LINHA ABERTA: Como você descre­veria seu personagem e como foi o processo de construção dele?

REYNALDO GIANECCHINI: O Anthony é um gigolô, esse é o traço mais forte dele. Ele não tem empatia nenhuma, não tem moral, não tem muita questão com nada. Ele quer se dar bem e usa a sedução para isso. Meu processo de preparação consis­tiu em assistir filmes com personagens que usavam seu charme e sedução. A ideia era pegar o que poderia ser legal nesse universo masculino de sedução. Também tive muitas conversas com o diretor Mauro Mendonça Filho, mas, basi­camente, me inspirei em vários filmes de personagens com esse perfil.

LINHA ABERTA: Como o Anthony Ma­riano marcou a sua carreira?

REYNALDO GIANECCHINI: Considero o Anthony um excelente personagem na minha carreira. Eu aprendi muito fazendo ‘Verdades Secretas’, o processo criativo da trama foi muito interessante. Deu para fazer com um pouco mais de calma, porque a novela tinha um outro formato. As cenas eram mais discutidas, por exem­plo. O Anthony é um personagem muito interessante porque tem várias nuances. Ele me colocou em contato com várias possibilidades, trabalhei com veteranos e atores novos maravilhosos. A troca foi muito boa e o resultado do processo foi muito positivo para mim.

LINHA ABERTA: Qual a principal lembrança que você tem do período de gravação?

REYNALDO GIANECCHINI: A principal lembrança que eu tenho é de realmente ter muito prazer em estar no set, porque eu sentia que todo mundo estava feliz e com personagens bons na trama. É um elenco muito bem escalado, todos per­feitamente encaixados nos personagens. A convivência era muito gostosa. E era muito bom também ter essa possibilida­de de estar com os jovens e ao mesmo tempo com veteranos, como a Marieta Severo e a Eva Wilma. Todos convivendo e aprendendo com essa troca. Eu lembro muito da descontração, para mim foi um dos sets mais leves que já trabalhei.

LINHA ABERTA: A trama aborda um mundo de aparências, fala sobre po­der, dinheiro, entre outros temas. Qual a importância de trazer à tona tantas questões em uma história?

REYNALDO GIANECCHINI: Eu acho mui­to importante iluminar esses caminhos difíceis que o jovem pode enfrentar. Para mim a trama fala sobre até que ponto você pode ir para conseguir os seus interesses alcançados e que tudo tem um preço, até que ponto você está disposto a pagar. O jovem geralmente tem essa ambição, essa vontade de conseguir logo as coisas e é muito importante saber que tudo tem um preço. Eu acho que essa trama coloca uma lupa sobre essa questão, podendo ser uma boa história para a reflexão.

Share

Related posts