My Partner
Lytron

Sítio Roberto Burle Marx é escolhido como Patrimônio Mundial da Unesco

PARA CONCORRER AO TÍTULO DE PATRIMÔNIO MUNDIAL DA UNESCO, O SÍTIO PASSOU POR UM PROCESSO DE REQUALIFICAÇÃO A PARTIR DE OUTUBRO DE 2018, QUE FOI CONCLUÍDO EM FEVEREIRO DESTE ANO. JARDINS E VIVEIROS DE PLANTAS NATIVAS INTEGRAM O SÍTIO BURLE MARX – TOMAZ SILVA/AGÊNCIA BRASIL

O Sítio Roberto Burle Marx foi escolhi­do em julho como Patrimônio Mun­dial, na categoria paisagem cultural, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). O local é o 23º bem brasi­leiro inscrito na lista de patrimônios mundiais. Localizado em Barra de Guaratiba, zona oeste da cidade do Rio de Janeiro, o espaço de 407 mil metros quadrados (m²) de área florestal abriga coleção com mais de 3,5 mil espécies de plantas tropicais e subtropicais.

A candidatura brasileira foi apreciada durante a 44ª Sessão do Comitê do Patrimônio Mundial da Unesco que começou no último sábado (24) e vai até 31 de julho, na cidade de Fuzhou, na China. Na reunião, o comitê analisa as candidaturas aos próximos patrimô­nios mundiais culturais e naturais.

Em uma rede social, o sítio disse que a inclusão na lista de patrimônios mundiais significa que estes bens tão especiais para o Brasil são também de “valor universal excepcional” para a humanidade.

“O Patrimônio Mundial é de funda­mental importância para a memória, a identidade e a criatividade dos povos e a riqueza das culturas, buscando promover a identificação, a proteção e a preservação do patrimônio cultural e natural de todo o planeta”.

O Sítio Roberto Burle Marx foi esco­lhido como Patrimônio Mundial, na categoria paisagem cultural, pela Orga­nização das Nações Unidas para a Edu­cação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

O local é o 23º bem brasileiro inscri­to na lista de patrimônios mundiais. Localizado em Barra de Guaratiba, zona oeste da cidade do Rio de Janeiro, o espaço de 407 mil metros quadrados (m²) de área florestal abriga coleção com mais de 3,5 mil espécies de plan­tas tropicais e subtropicais.

A candidatura brasileira foi apreciada durante a 44ª Sessão do Comitê do Patrimônio Mundial da Unesco que começou no último sábado (24) e vai até 31 de julho, na cidade de Fuzhou, na China. Na reunião, o comitê analisa as candidaturas aos próximos patrimô­nios mundiais culturais e naturais.

Em uma rede social, o sítio disse que a inclusão na lista de patrimônios mundiais significa que estes bens tão especiais para o Brasil são também de “valor universal excepcional” para a humanidade.

“O Patrimônio Mundial é de funda­mental importância para a memória, a identidade e a criatividade dos povos e a riqueza das culturas, buscando promover a identificação, a proteção e a preservação do patrimônio cultural e natural de todo o planeta”.

Share

Related posts