Lytron
My Partner

É possível ser feliz na pandemia?

10 PASSOS PARA ATIVAR A RESILIÊNCIA DURANTE A PANDEMIA

Texto de Sandra Teschner
@sandrateschner

A busca pela felicidade é o pon­to referencial mais comum entre os seres humanos. E aqui já começa o entrave: A Felicidade é uma construção diária, não uma poção má­gica a ser desvendada, muito menos é um dom, que enquanto alguns o possuem, outros supostamente jamais chegariam lá .

Mas antes de prosseguir, posso fazer um pe­dido? Acreditando que a resposta é afirma­tiva: Delete suas ideias preconcebidas sobre o tema, pelo menos durante a leitura desse texto, e deixe a mente provar de elasticidade em direção a algo novo.

VALE A PENA INSERIR HÁBITOS SAUDÁVEIS NA SUA ROTINA DIÁRIA. DESTA FORMA VOCÊ SE SENTIRÁ MAIS FELIZ, MAS FARÁ FELIZ AS PESSOAS AO SEU REDOR.

Vamos lá!

A “ pizza” da felicidade é composta de 50% ponto referencial genético, 10% é circuns­tancial e 40% é aprendível, logo passível de ser treinado. E esses dados são chancelados por estudos científicos robustos das mais diversas universidades do mundo como Harvard, Yale.

Uma rápida busca no Google vai lhe deixar admirado. Ao enxergar o lado positivo de qualquer conceito chega-se nela, ao decidir pautar sua vida com um Bem-Estar dura­douro, também . A manutenção deste estado de ações (e nunca de ter) se dá através de acoes intencionais que escolhemos realizar no nosso dia a dia.

A ciencia contemporânea disponibiliza informações relevantes que nos auxiliam nessa jornada. No entanto, algumas res­postas são bem menos complexas do que esperamos, as atividades diárias são simples, porém o hábito de realizá-las e a expansão cognitiva promovida por elas garantem o resultado.

Vivemos há mais de um ano no chamado Cisne Negro; logo fora algo desconhecido, imprevisível, improvável. Os acontecimentos não estão sob o nosso controle. Para ser mais precisa, sob controle só temos nossas ações e atitudes.

Como então poderíamos creditar às circuns­tâncias o poder de definir se seremos ou não felizes? Não temos como mudar a existência da pandemia, mas temos como mudar “como “estamos reagindo a ela e o que iremos transformar em nós mesmos. Selecionei 10 lições para você começar a praticar já é intencional­mente :

  1. Ao acordar, evite fazer buscas por notícias negativas. Desative as notificações do que não lhe faz bem. Você não mudara o mundo se deixar para se informar dos acontecimentos mais tarde. Estudos mostram que más notícias como “primeiras do dia”, aumentam em 40% a probabilidade de arruinar todo o seu dia.
  2. Respire, ouça algo que te diverte, ou te deixa leve. Leia um Salmo, ou medite. Entre no dia de bom ele.
  3. Tome banho, faça a cama , tome um café da manhã em paz . Não precisa ser demorado, só precisa ser um momento seu.
  4. Arrume o lugar em que você vai trabalhar, ou prepare-o de tal maneira que seja o mais confortável e aconchegante do ponto de vista de sua profissão.
  5. Classifique o que é urgência para você, e se naquele momento você poderá de fato tomar alguma atitude em relação à ela.
  6. Prioridade não se escreve no plural, defina a sua. Cada uma tem sua vez.
  7. Exercite-se (no horário que der para você) , nada exagerado. Se você ja tem o costume de praticar esportes, dê continuidade, Se não praticava, use as tantas possibilidades de aulas online, ou ao ar livre, a depender de onde você mora e do que é possível ser feito. Mas faça!
  8. Afaste de sua vida os medos gerados pelo pânico coletivo, que dificilmente o ajudará a alguém sair-se melhor de uma situação atípica, como a pandemia que estamos vivendo. Assim como existe o efeito placebo, existe o efeito nocebo. Pânico é contagioso , traz sintomas, vulnerabiliza e não só so faz a pessoa parecer doente e sentir-se assim, como através da bai­xa imunidade que o efeito causa, fica-se mais suscetível a adoecer.
  9. Seja grato conscientemente .
  10. Não durma sem ter feito pelo menos 3 atos de doação! Agradecer é fundamental para o bem estar da nossa mente.

Tudo o que temos é o agora, e é nele que temos de nos conectar e viver da melhor maneira que conseguirmos. Percebam que as lições estão também conectadas entre si.

Ao inserir hábitos para uma vida feliz em sua rotina, não só seremos mais satisfeitos, como mais criativos, melhores profissionais, com relações interpessoais mais qualitativas e o principal: Mais resilientes também!

Felicidade é um estilo de vida que nasce de uma condição interna e se propaga em coletivi­dade. E você só precisa tomar uma atitude para construí-la : ESCOLHER ser feliz!

Sandra Teschner é Chief Happiness Officer certifi­cada pela FLORIDA INTERNATIONAL UNIVERSITY. Miami. Pós-graduada em neuropsicologia , é jornalista, administradora, palestrante e escritora. Engajada social passional cuida também de jovens com múltiplas amputações.

www.sandrateschner.com.br

Redes sociais : @sandrateschner

Share

Related posts