Desmistificando o empreendedor

Texto de Eduardo Prugner
@eduardoprugner

Sempre arranjamos uma desculpa para não fazer aquilo que “achamos” que não queremos fazer ou que não gostamos. Assim foi quando fui convidado a ser vendedor de um empresa gráfica-editora. Como era de um amigo meu, disse a ele que eu não sabia vender. Aí ele me respondeu: – “você acha que não sei o porquê convidei?” E complementou: “nós sempre estamos “venden­do”, seja na escola ou até quando entregamos o currículo…”.

Fiquei 15 anos na empresa como gerente comer­cial!

Desta maneira agimos também com outros termos que nos dão um determinado status, por exemplo: empreendedor. Imediatamente ligamos essa palavra a ser um empresário.

O QUE É SER EMPREENDEDOR

Quando fui trabalhar no SEBRAE, próximo dos meus 50 anos, fui recepcionado pelo Superinten­dente: – “seja bem-vindo à casa dos empreendedo­res”, e em seguida chamou-me de empreendedor.

Pensei com os meus botões: e agora? Não sou empresário!

Percebendo a minha angústia, me deu uma defi­nição de empreendedor que nunca mais esqueci e para mim valeu por antes e depois do SEBRAE. Disse-me que ser empreendedor é uma locomoti­va que puxa outros vagões a um objetivo maior.

Assim começamos a desmitificar o empreendedo­rismo. Não é só uma função, mas ter alguma coisa que podemos agregar no nosso dia a dia, seja no trabalho, em casa e até na sua empresa. Vai além do aprendizado, está no âmago da pessoa.

Será que ficou mais fácil definir empreendedor?

Não importa se você é do funcionalismo público ou empregado numa empresa ou também um em­presário. Existem características que são comuns, e o conhecimento é o ponto de partida somado àquilo que você faz, que lhe dá prazer e que você sabe fazer. O produto desta fórmula é a certeza de estar construindo a própria história e um cabedal de experiências e com isso irá ampliando o seu mundo empreendedor.

Essas duas características precisam ser alimen­tadas com estudos e informações que irão forma­lizar o ser empreendedor por meio da coragem, ou seja,desprendimento. Numa postura pessoal e desafiadora e como se estivesse envolvendo todas essas qualidades, num propósito na vida.

O propósito de vida, não são metas ou mesmo objetivos, que podem ser alterados de acordo com as mudanças de ambientes e de fatores externos. Propósito de vida vai do conhecer a si próprio, do saber “quem sou eu?”, ao desenvolvimento do que quero ser, na minha existência e por vezes, na sua própria busca.

Complementando, ser empreendedor é aquele que realiza, que transforma pessoas pelas suas atitudes e ao mesmo tempo sabe se doar. É uma pessoa criativa e acredita num Ser Superior.

O EMPREENDEDOR DE SUCESSO

Todos querem ter sucesso! Mas o que é o sucesso pessoal?

Foi nos deixado um legado escrito há quase 100 anos por um pesquisador e escritor, Napoleon Hill, que durante 20 anos entrevistou mais de 20.000 pessoas, inclusive entre elas 500 milioná­rios. Além de interessante essa pesquisa, ela se tornou uma cartilha aos empreendedores.

Esse legado se chama as 16 leis da prosperidade,publicadas no livro de sua autoria, “A Lei do Triunfo” (1928). Recomendo que procu­rem conhecê-las.

Tenha sempre confiança em si próprio e em Deus. Não faça aquilo que você não gostaria que lhe fizessem. Tenha sempre o entusiasmo, seja um co­laborador e não seja um ermitão, vivendo isolado.

E um lembrete fundamental, a pandemia que fechou as portas dos países e provocou intranqui­lidade às pessoas, trouxe um novo mundo para o empreendedor – o empreendedor digital.

Se você gostou do texto, ou tem algum comentá­rio, escreva no meu e-mail abaixo.

Share

Related posts