Descubra o que são superalimentos e como incluir na sua dieta

Texto de LAINE FURTADO
@lainefurtado

Você sabe o que são superfoods? Eles são superalimentos que proporcionam vários benefícios ao organismo. São caracterizados pela forte presença de vi­taminas e minerais que proporcionam ganhos importantes ao organismo. A concentração dessas substâncias é um fator determinante para saber se um alimento é ou não considerado superfood. A abundância de boas substâncias em pequenas porções permite que as pessoas extraiam grande valor das superfoods sem precisar consumi-las em grandes quantidades. São, em geral, alimentos de grande poder nutricional.

Segundo pesquisas da Harvard, nos últimos cinco anos o número de novos alimentos e bebidas lançados globalmente com o termo superfood, superfruit ou supergrain teve aumento de 202%. Os Estados Unidos foram palco para o maior número de “super” lançamentos de alimentos e bebidas (30%), seguidos pela Austrália (10%), Alema­nha (7%), Reino Unido (6%) e Canadá (6%). As pesquisas também ressaltam que esses lançamentos são resultado da forte demanda dos consumidores por produtos altamente nutritivos.

A tendência para uma dieta livre de trigo resultou em um número crescente de produ­tos lançados contendo supergrains ou grãos antigos. Nessa linha, a chia é o grão que tem registrado o maior aumento em popularidade, atingindo 70% no percentual de produtos alimentícios e bebidas lançados nos últimos cinco anos.

Segundo pesquisas da Statista, em 2021 os mercados emergentes deverão gerar 86% das novas vendas, com um crescimento significativo na venda de alimentos funcionais e naturais, que constituirão o núcleo da demanda do consumidor.

Como superfoods podem nos ajudar? Embora vitaminas e minerais ofereçam benefí­cios diversos, é possível listar os efeitos positivos proporcionados por superfoods:

Redução da sensação de fadiga;

Melhora na capacidade cognitiva;

Maior tendência à longevidade;

Prevenção de diferentes doenças e fortalecimen­to do sistema imunológico;

Aceleração do metabolismo.

Veja alimentos classificados como superfoods.

GRÃOS E SEMENTES

Nessa categoria, os principais superalimentos destacados são quinoa, lentilha, chia e nozes.

QUINOA: esse superalimento pode ser descrito como uma proteína em grão. Com as mesmas características do leite materno, a quinoa é muitís­simo capaz de controlar e diminuir fortemente os índices de colesterol ruim e triglicerídeos, preve­nindo assim, complicações cardiovasculares.

LENTILHA: conhecida por seu alto teor de fibras alimentares, a lentilha também é rica em ferro, vitaminas e proteína vegetal. É um superalimento, pois oferece uma grandeza de benefícios com res­trita quantidade de gordura. É indicada no ganho de massa muscular magra e auxilia na cicatrização de ferimentos.

CHIA: suas sementes são uma incrível fonte de antioxidantes e carregadas de ômega-3, além de outros tipos de ácidos graxos, fibras alimentares, proteínas, vitaminas e minerais incontáveis. A chia é naturalmente livre de glúten e de fácil consumo. Ótima pedida para incluir no cardápio!

NOZES: as nozes dispensam apresentações. Ricas em ômega-6, elas ajudam a manter bons níveis no sangue de HDL, o bom colesterol. Ainda, possuem propriedades que contribuem com a melhora do sono e prevenção de doenças cardíacas, sem falar na quantidade de proteínas, vitaminas e minerais.

FRUTOS

Aqui vamos explicar sobre as riquezas não tão co­nhecidas do açaí, kiwi, mirtilo, melancia e abacate, superalimentos que são frequentes em feiras e supermercados do Brasil. Confira só:

AÇAÍ: protetor leal da saúde do coração, o açaí é um superalimento genuinamente nacional. Auxilia a combater os índices de LDL – o colesterol prejudicial – na corrente sanguínea. Deve ser consumido puro sempre que possível, ou seja, sem adição de açúcar, granola ou outro acompa­nhamento.

KIWI: talvez o mais exótico dos exemplos de frutas, o kiwi, na verdade, já foi desmistificado por aqui. Tem efeito anti-inflamatório, antioxidante, la­xativo e anticancerígeno. Quer mais? Ele é uma ótima fonte da vitamina C, E, B6, de potássio, magnésio, cobre, fosfato e fibras alimentares. Tudo isso auxilia no bom funcionamento do sistema imunológico e colabora para a saúde do coração.

MELANCIA: assim como o tomate e a goiaba, a melancia está no topo das fontes naturais de licopeno, um carotenoide antioxidante que ajuda a combater diversas doenças, entre elas o câncer. Ainda, a melancia tem poucas calo­rias, sacia com facilidade e, de bônus, oferece grandes quantidades das vitaminas A e C.

MIRTILO: é conhecido principalmente por contribuir com o combate do envelhecimento através de seus antioxidantes poderosos, trabalhando na manutenção de um organismo saudável e protegido — especialmente em relação ao coração. Contém vitaminas C e E.

ABACATE: um dos superalimentos mais pre­sentes na mesa do brasileiro. Conhecido como um fruto gorduroso, ele, na verdade, é rico em gordura monoinsaturada, benéfica para o organismo. Pode ser um forte aliado na perda de peso e redução dos triglicérides. Também é fonte de ácido fólico e vitaminas B6, E e K.

HORTALIÇAS, LEGUMES E VERDURAS

Apesar da extensão dessa parte do conteúdo, é essencial citarmos os benefícios da batata­-doce, acelga, espinafre, tomate, brócolis, chá­-verde e cogumelos, que entram aqui apesar da distinção como fungos.

BATATA-DOCE: carboidrato de baixo índice glicêmico, a batata-doce é rica em antioxidan­tes, vitaminas e manganês. É versátil — pode ser utilizada em pratos doces e salgados — e oferece muito betacaroteno, que cuida da saúde da pele e da visão.

ACELGA: da acelga pode-se comer as folhas e os talhos. Ela passa despercebida no arroz, mas é fonte das vitaminas A, B e C. Ajuda no bom funcionamento cerebral e também é poliva­lente, pois pode ser combinada com muitos outros superalimentos, formando um combo de benefícios em uma mesma refeição.

ESPINAFRE: suas folhas — além de versáteis na cozinha — são ricas em um trio de vita­minas: A, C e K. Na sua composição também está presente a luteína, carotenoide muito importante na saúde dos olhos. É anti-inflama­tório e auxilia a digestão dos alimentos.

BRÓCOLIS: com uma gigante concentração de proteína, o brócolis auxilia na regulação da ação da insulina e do açúcar no sangue. É rico em vitaminas A, C, cálcio, ferro e potássio.

TOMATE: licopeno é com o tomate. Seu con­sumo constrói uma fortaleza no combate aos radicais livres, postergando o envelhecimento e ajudando na proteção contra vários tipos de câncer. Seus sais minerais — como o cálcio e ácido fólico — são excelentes.

CHÁ-VERDE: campeão na exploração comercial ligada à desintoxicação, o chá-verde vai muito além disso. Seu consumo pode acelerar o metabolismo e queimar gordura, assim como ser eficiente no combate ao câncer, diabetes e derrames. Um supe­ralimento líquido!

COGUMELOS: deslocados de sua categoria habitu­al, os cogumelos, na verdade, são fungos. Apesar de sua diversa classificação, eles são considerados um tipo de superalimento principalmente pela atuação no bom funcionamento do intestino. São ricos em fibras alimentares e vitaminas do complexo B.

MISCELÂNEA

Para finalizar, montamos uma seção extra com superalimentos diversificados para complementar o seu cardápio.

SALMÃO: rico em ômega-3, ele demonstra que a carne de peixe também pode ser um superali­mento. Essa sua propriedade é capaz de prevenir doenças degenerativas, como Alzheimer, manter a boa saúde do coração e combater depressão. Sua grande concentração de vitamina D também não pode ser esquecida.

AZEITE DE OLIVA: representando os óleos, o azeite de oliva consegue atuar na prevenção da osteopo­rose e do acúmulo excessivo de gordura. Doenças do trato vascular e o diabetes também não têm vez contra quem consome esse superalimento.

OVOS: fonte mais básica de proteína, talvez esse seja o superalimento mais democrático de todos. Sua alta concentração de colina é ótima na manu­tenção das membranas celulares e na prevenção da boa visão. Seu consumo auxilia na manutenção da força muscular por meio de cálcio, ferro, zinco e de vitaminas..

Fontes de Pesquisa.

socientifica.com.br/quais-sao-superalimen­tos/ my.oceandrop.com.br/descubra-o-que-sao-superalimentos/

www.masterd.pt/noticias/quais-sao-os-superalimentos

goldnutrition.pt/artigos/o-que-sao-os-super­alimentos/

Share

Related posts