Ícones da moda de todos os tempos

Texto de LAINE FURTADO
@fashionandtravelreporter

O que seria do mundo da moda sem seus ícones fashionistas e cheios de glamour? Elas são mulhe­res maravilhosas que com seu senso de estilo único, mudaram a cara da moda e inspiraram mudan­ças no mundo fashion. Nesta edição vamos falar de mulheres que são ícones da moda e são referências até os dias de hoje. O mundo da moda está sempre mudando com estilos novos e inovadores a cada temporada, mas podemos ver que esses estilos únicos foram inspirados em ícones clássicos e celebridades que através das roupas que usavam, revolucionaram a moda de seu tempo e nos inspiram até hoje. Estamos falando de atrizes, modelos e de mulheres influentes da época de ouro de Hollywood. São ícones da moda que sempre foram adorados pelo público e seus estilos foram imitados em todo o mundo. E a pergunta é: Como essas mulheres – e seu senso de estilo único – mudaram a cara da moda e inspiraram as mudanças no mundo fashion de sua época? Apresentamos 7 ícones da moda feminina da época de ouro de Hollywood e que seus modeli­tos continuam atuais até hoje.

Marilyn Monroe, estrela de Hollywood dos anos 50, se tornou um dos ícones da moda mais conhecidos de todos os tempos. Uma roupa pela qual ela é amplamente conhecida é seu vestido branco halter em “The Seven Year Itch”. Este era um vestido que ela usava sobre uma ventilação do metrô enquanto sua saia girava em torno de sua cintura. Mas, além do brilho e do glam da moda, Marilyn também era famosa por seus maiôs de uma peça só, calças de cintura alta emparelhadas com tops sem ombros, e seus vestidos com tecido cintilante metálico. Suas escolhas de moda permanecem atemporais. Suas boutiques fa­voritas incluíam Salvatore Ferragamo e a loja de departamentos Bloomingdales. Saias lápis e vestidos com decotes, casacos de pele e o dueto calça e blusa no estilo masculina eram fundamentais em seu guarda-roupa.

Mesmo depois de passados mais de 50 anos de sua rápida passagem pela Casa Branca, de 1961–1963, o estilo da eterna primeira-dama norte-americana. Jackie Kennedy, depois Jackie Onassis, conti­nua incontestável e sendo copiado em todo o mundo e até mesmo por outras primeiras damas. E enquanto ela ainda estava viva, seu senso de estilo era mesmo único. Jackie usava roupas de inspiração equestre, capas, vestidos de ombro (que foi um movimento ousado nos anos 60), e chapéus de pillbox. Com um estilo único e atemporal, Jackie Kennedy amava o estilo de Balenciaga, Christian Dior e Givenchy Valentino, Chanel e Oleg Cassini. Muito além de seu look icônico de primeira dama, com­posto por tailleurs impecavelmente cortados e monocromáticos, seus acessórios e looks menos formais também se transformaram em clássicos. Ela eternizou modelos de óculos de sol, como o da designer Nina Ricci, usado por Jackie em 1978 no Robert F. Kennedy Pro Celebrity Tennis Tournament com grandes lentes redondas. Jackie ganhou uma bolsa em sua homenagem, a Gucci Jackie Bag, que até hoje faz sucesso.

 

img154

Picture 1 of 17

Audrey Hepburn foi atriz, dançarina e modelo. Hoje, ela é lembrada por ser uma das maiores atrizes da era de ouro de Hollywood e do cinema clássico. Se você já viu o filme “Breakfast at Tiffany ‘s”, então você viu o icônico vestido preto de Hubert de Givenchy com o qual Audrey Hepburn ficou famosa. Audrey Hepburn foi uma das mulheres mais elegantes e estilosas que o mundo já conheceu. Quando estava viva, Audrey era o rosto impecável de Givenchy (a marca era responsável por várias roupas icônicas dela). Ela foi um ícone da moda nos anos 50 e ainda hoje seus looks são recriados, sendo inspiração para os amantes da moda clássica. Audrey era um ícone fashionista de sua época e fez parte do Hall da Fama da Lista Internacional de Melhores Vestidos, o International Best Dressed List Hall of Fame. Entre as tendências que usava na época estão faixas na cabeça ou tiaras e lenços, que ela usava tanto no pescoço quanto na cabeça. O pretinho básico de Bonequinha de Luxo, as calças de alfaiataria, os terninhos, as sapatilhas, os suéteres e as listras faziam parte do guarda-roupa de Audrey.

Princesa Diana, a Princesa de Gales, foi e continua sendo um ícone da moda. Por ser parte da família real, havia muitas regras sobre a forma como ela deveria se vestir, mas podemos dizer que a Princesa Diana sempre estabeleceu sua forma de vestir, quebrando regras e protocolos reais. Ela usou a moda para fazer declaração de seu ponto de vista político e social e usou suas escolhas de moda para causar um impacto no mundo. Dona de um guarda-roupas poderoso, Diana lançou tendências que você encontra hoje nos desfiles de Alta-Costura. Lady Di tinha como alguns de seus must-haves vestidos simples e lisos, assim como colares de pérolas e sapatos de salto. Sua estilista favorita era Catherine Walker, mas ela usava marcas como Chanel, Valentino e Dior. Um dos modelos de bolsa mais icônicos de Christian Dior, a Lady Dior, foi lançado em 1994 com o nome de “Chouchou”, mas o modelo teve seu nome modificado em fevereiro de 1996, para Lady Dior em homenagem à Princesa Diana. Lady Di ganhou a bolsa de presente da ex-pri­meira dama francesa Bernadette Chirac e gostou tanto do presente que foi vista usando a bolsa em diversas ocasiões. Além disso, mais tarde, ela encomendou todas as versões existentes da bolsa na época.

Greta Garbo tinha seu estilo inconfundível. Ela era uma grande fã de chapéus grandes em diferentes formas e adorava usar vestidos longos e elegantes, principalmente na cor preta. Conhecida por seus papéis fatais nos filmes, Greta Garbo era nada menos do que isso em sua vida privada. Suas escolhas de moda sempre foram ousadas e ela sabia exatamente o que queria – da moda e de sua carreira. O estilo pessoal de Greta Garbo era clássico, muitas vezes apostando em ternos masculinos, camisas sob medida, ternos de jaqueta de duas peças com saia, trench coats e sempre usava sapatos lisos, de dançarina, esti­lo oxford ou tênis. Ela era uma cliente leal de Ferragamo, uma de suas marcas preferidas. A atriz amava vestidos de alta-costura, calças sob medida e sapatos de estilistas como Louis Vuitton, Gucci, Salvatore Ferragamo e Givenchy Hubert.

O estilo de Grace Kelly, Princesa de Mônaco, compunha-se por peças elegantes aliadas a seu bom senso e a assessoria de famosos estilistas como Chanel, Balenciaga, Grès e Yves Saint Laurent. Ela foi a precursora do estilo clássico americano, que acabou tendo como sua maior representante Jacqueline Kennedy nos EUA, nos anos 60. Seu guarda­-roupas era formado, principalmente, por vestidos longos com saia godê, roupas com estampas florais, luvas (ela adorava), scar­pins baixos, peles e bolsas bem estruturadas. Além disso, tinha uma imensa coleção de jóias, usava bastante óculos escuros em suas aparições durante o dia . A história de como Grace Kelly teve uma bolsa Kelly da Hermés está conectada com sua bem sucedida carreira em Hollywood. No set de To Catch a Thief, o thriller romântico hitchcock de 1955 com Cary Grant filmado na Riviera Francesa, o figurinista do filme apresentou várias peças de Hermès para vestir Kelly, incluindo a bolsa Sac à dDépêches, nome original da bolsa Kelly. E, como diz a história, foi amor à primeira vista. Outra peça favorita da atriz foram os lenços de Hermès e na verdade a marca começou a produzir lenços exatamen­te para agradar a princesa que foi a primeira pessoa a usar um lenço da Hermès. A atriz sempre usava peças estilo “lady like” de empresas como Christian Dior, Balenciaga, Givenchy, Yves Saint Laurent e Chanel.

Dona de múltiplos talentos, Jane Birkin tem uma longa carreira nas artes como cantora, compositora, atriz e diretora. No entanto, ela ficou mundialmente conhecida por sua reputação como sinônimo de estilo e, mais especificamente, por ter dado nome à icônica bolsa da marca Hermès. Ela foi a inspiração para a criação da bolsa Birkin. Em 1981, Jane estava em um voo curto de Paris a Londres e colocou sua famosa cesta de palha no compartimento de bagagem de mão sobre seu assento. No entanto, a tampa da cesta estava mal fechada, o que ocasionou um pequeno inconveniente: os itens dentro da bolsa caíram, se espalhando pelo chão e entre os assentos à sua volta. Quem estava sentado do lado dela foi o executivo da Hermès, Jean­-Louis Dumas. Birkin reclamou para Dumas que ela não conseguia encontrar uma bolsa de fim de semana de couro que fosse adequada ao que ela gostaria. Diz a lenda que durante o resto do voo, a dupla ficou imaginando o projeto de uma bolsa feminina e utilizando como molde o saquinho emergencial de enjoo no avião. Três anos mais tarde, um protótipo de bolsa feminina foi desenvolvido e apresen­tado para a Jane: o modelo Birkin da Hermès. No entanto, Jane Birkin é muito mais do que seu sobrenome. Ela ficou conhecida por seu estilo Haute-Hippie. Várias de suas roupas dos anos 60 e 70 são sucesso hoje. São seus looks de jeans cotidianos que merecem destaque, com suas bolsas de palha, calça jeans, camisa de homem e botas de cano alto. Vamos ser honestos, todos temos estas peças em nosso guarda-roupa e Jane Birkin é uma das pessoas responsáveis pela popularidade desses itens.

Elizabeth Taylor tinha um gosto por acessórios dramáticos e era especialmente conhecida pelo diamante Krupp de 33,19 quilates dado a ela por um de seus maridos, Richard Burton. Ela também era conhecida por suas esco­lhas de moda ousadas, incluindo seu maiô branco que aumentava a curva e o vestido de pescoço de halter e vestidos tubim, bastante colados ao corpo, mas sempre clássicos. O estilo de Elizabeth era impecável e a diva continua sendo referência de sofisticação às mulheres. Apreciava belos vestidos volumosos e decotes generosos que valorizam o colo, além de joias, muitas joias. O estilo da atriz enigmática tornou-se sua mar­ca registrada e seria imitado ao longo dos anos: Liz Taylor sabia aproveitar os decotes em forma de bico para destacar sua silhueta, usava cinturas muito aper­tadas, calças e saias justas e o pescoço quase sempre à vista para mostrar suas preciosas jóias que coletou por anos até o dia de sua morte.

Share

Related posts