Lytron
My Partner

9th Brazilian Festival é sucesso

1

Picture 1 of 14

O 9th Brazilian Festival foi realizado no parque Huizenga, em Fort Lauderdale, nos dias 12 e 13 de dezembro. O evento reuniu cerca de 1,5 mil pessoas e cumpriu todos os protocolos de segurança exigidos pelas autoridades de saúde para conter a propagação da covid-19. O Festival foi o único evento brasileiro presencial no ano 2020 nos EUA e reuniu comunidade e artistas locais para celebrarem, em segurança, a cultura a brasileira.

lol. No O 9th Brazilian Festival, que aconteceu no parque Huizenga, em Fort Lauderdale, no sábado e no domingo (13), terminou com a sensação de “missão cumprida” para o incansável organizador do evento, Luciano Sameli.

“Muito mais que um festival cultural, nós demos uma oportunidade aos artistas locais. Fomos o único evento brasileiro presencial neste ano de 2020 nos EUA”, disse o empresário.

Mas para que isso acontecesse, o Festival, que há nove anos revive o Brasil na Flórida, teve que passar por várias adaptações exigidas pelas autoridades de saúde a fim de controlar a propagação da covid-19. Mesmo assim, cerca de 1,5 mil pessoas compareceram.

Mudança de Pompano Beach para Fort Lauderdale.

Sameli agradeceu ao prefeito de Fort Lauderdale, Dean Trantalis, por ter abraçado a proposta do Festival e acreditado na competência da organização em promover uma atividade segura.

“Todas as pessoas usaram máscaras e tiveram suas temperaturas tomadas”, enfatizou Sameli.

O público também teve acesso a testes rápidos de anticorpos contra o coronavírus, recebeu desinfetantes para as mãos e as pessoas foram encorajadas a manter distanciamento social: “Montamos algumas mesas ao ar livre e contratamos garçons e garçonetes para atender e evitar que pessoas ficassem trafegando para comprar bebida ou comida”.

Como em todos os anos, o evento foi uma oportunidade para comerciantes locais alavancarem suas vendas e trazerem um alento à combalida economia afetada pela pandemia.

Em 2019, o Brazilian Festival investiu cerca de $232 mil em fornecedores, empreiteiros e mão de obra brasileira, gerando milhares de dólares para estabelecimentos locais e empregos diretos e indiretos para trabalhadores da comunidade.

Apoio aos artistas locais

Com todos os grandes shows presenciais cancelados e poucas alternativas de sustento, a classe artística foi uma das mais atingidas pela pandemia de covid-19.

Com isso, a programação musical do 9th Brazilian Festival buscou reconectar artistas locais e comunidade, dando continuidade, de forma segura, às atividades culturais e de entretenimento.

No sábado, o palco foi comandado pela cantora Caro Pierotto, da Califórnia, seguida de Héli, de Deerfield Beach, e da dupla Tomati e Michelle, da Bossa Fusion Duo. A escola de samba da Unidos de Miami também se apresentou, e os pagodeiros Xandi e Boca Melodia, e o instrumentista Gilson do Cavaco incrementaram a programação com shows-surpresas.

O domingo teve mais música local, com Bibi Saboia, banda Cravo e Canela, do sul da Flórida, e Joanna Nova York, vencedora do Prêmio de Melhor cantora brasileira de 2012, pelo Brazilian Press Award.

“A qualidade musical deste festival foi incrível (…) todos excelentes músicos e profissionais. Com certeza foi um enorme apoio e um incentivo para músicos, pequenos empresários e todos que agregam o mercado de eventos”, escreveu por e-mail um grupo de artistas.

Sameli disse que mesmo aqueles que não se sentiram seguros em se juntar ao público no Parque Huizenga foram contagiados pela energia positiva do evento.  

“Nós recebemos várias mensagens de agradecimento de moradores dos prédios vizinhos ao parque que acompanharam tudo das suas varandas. Nós iluminamos o fim de semana dos moradores”, disse. “Estamos animados para a 10º edição, no ano que vem”.

Fotos de Vilson Monteiro e Demetrius Borges.

Share

Related posts