Deus quer santos de verdade

“E ser-me-eis santos, porque eu, o SENHOR, sou santo” (Lev20: 26).

Q uem faz a pergunta sobre que fazer para ser salvo está demonstrando que existe uma inquietação em seu coração, admitindo ser um pecador. Será que se pode fazer alguma coisa pela sua própria salvação? Salvação é para aquele que está perdido. Aliás, seria uma incoerência necessitar de salvação aquele que não é perdido. A palavra de Deus em Romanos 3:23 diz : “Porque todos pecaram, e estão destituídos da gloria de Deus”. O Salmo 14; 1 diz que Deus olhou lá do céu sobre a terra, e não viu um justo sequer; todos se fizeram inúteis. E se o homem desejar fazer alguma coisa, ou alguma obra para poder ser salvo, o profeta Isaias diz que as nossas obras são como um trapo de imundícia. Então não há nenhuma possibilidade de que o que fazemos, possa nos proporcionar salvação. Em João 3;36, na segunda parte diz: “Mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece”. Crer, no sentido de apropriar-se.

“E ser-me-eis santos, porque eu, o SENHOR, sou santo” (Lev20:26). Que é ser santo? Ser santo é ser separado para o uso exclusivo de Deus. Em Hebreus 14:12, diz a palavra de Deus: “Segui a santificação sem a qual ninguém verá a Deus”. Você deve ter dito que Deus é Santo. De fato, é uma grande verdade. Quando Deus quis vocacionar Isaias para o ministério profético, apareceu-lhe numa visão dizendo: “Santo, Santo, Santo é o Senhor dos Exércitos; toda a terra está cheia da Sua glória” (Isaias 6:3). Ao ouvir esta voz Isaias exclamou dizendo: “Ai de mim que estou perdido! E os meus olhos viram o Senhor”. E Deus, por sua vez, enviou-lhe um Serafim com uma tenaz trazendo uma brasa tirada do altar, com a qual purificou os seus lábios. Deus não estava brincando quando o chamou para esta tarefa. Isaias precisava ser santo de verdade, para ensinar a verdade ao povo. Ele não seria um santo “faz de conta”. Quanta gente hoje brinca de ser profeta, ministro do evangelho, pregador da palavra de Deus; e que, entretanto, não preenche os requisitos divinos.

Então ser santo, não é porque uma igreja o santificou; ou porque o povo assim o chama; ou porque ele próprio pensa assim a seu próprio respeito. Mas Deus diz: “Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, e nem os vossos caminhos são os meus caminhos”. Deus, a quem chama, considera-o um vaso escolhido. Há muitos vasos por aí que estão trincados, sujos, imundos. Deus sendo Santo não pode usá-los. Vejamos como a coisa é tão séria que, o Salmo 15 pergunta: “SENHOR, quem habitará no teu tabernáculo? Quem morará no teu santo monte?” E Ele responde dizendo: aquele que pratica a justiça não difama o seu próximo, não jura enganosamente, não empresta o seu dinheiro a altos juros etc. Quando é que a santificação começa? Exatamente quando o homem se converte genuinamente a Deus, aceitando a Cristo como seu Salvador, Senhor e Mestre. Ora, visto que assim é, a conclusão lógica é que muitos que se dizem ministros de Deus, e não seguem a santificação, é evidente que nunca passaram por essa genuína conversão.

A santificação não é feita por uma entidade religiosa, e sim por Deus. Veja João 17: 17 que diz: “Santifica-os na verdade a Tua palavra é a verdade”. E nem é o fato de alguém ter feito algum milagre; aliás, nenhum homem faz milagres. Leia o que Deus fala sobre o assunto: ”Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor; não profetizamos nós em teu nome? E em teu nome não expulsamos demônios? E em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade” (Mateus 7:22 e 23). Naquele dia muitos “santos” e milagreiros serão lançados na fornalha acessa do inferno; pois não é uma entidade que nos santifica, e sim, Deus. Não é sendo santos que faremos milagres; aliás, aqueles que já morreram, lá no além não receberam de Deus poder de operar milagres. Eclesiastes 9: 5e6 diz que os mortos não têm parte alguma neste século, pois a sua memória ficou entregue ao esquecimento.

Diga-se de passagem, que, ninguém que na terra viveu uma vida santificada por Deus, recebe de Deus o poder de ser onipresente onisciente e onipotente; porém, lá no céu continuam sem estes atributos divinos. Eles continuam limitados. Portanto, diante do exposto, que ninguém alimente pensamentos de que receberá bênçãos de pessoas queridas, amadas, e que já estão de posse da vida celestial; diante do que diz a palavra, se Deus diz que o nosso intercessor, entre Deus e os homens, é Jesus Cristo. (I Timóteo 2:5). Esperamos que o prezado leitor tenha  sido iluminado pela  verdade bíblica e não palavras humanas que expusemos nesta pequena meditação. Não se esqueça que o caminho único para Deus, é Jesus Cristo, conforme João 14:6: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao pai senão por mim” . Que Deus abençoe você.

» TIMOFEI DIACOV é pastor, teólogo, escritor e possue um programa de rádio no site www.assimestaescrito.com. Blog: www.timofei.blogspot.com

Share

Related posts