Sebrae
My Partner
Lytron
sensus
Census

Moldando filhos vitoriosos: Restaurando pais e cônjuges para uma vida abundante

Experimentamos uma sensação de tremenda alegria quando compreendemos o modo maravilhoso e extraordinário que Deus nos formou. Entretanto experimentamos uma sensação de tremendo poder quando passamos a ter o controle das nossas comunicações, nossos pensamentos, nossos sentimentos, nossas convicções e tomamos a direção da nossa vida.

É de extraordinária importância aprender como reconhecer e vencer aquilo que nos leva a não nos desenvolvermos como crianças em áreas vitais de nossa pessoa, passando a não funcionar do modo como fomos criados para funcionar. Resultado: nós sofremos… sentimos dor. Ferimos e somos feridos. Podemos dizer que a raiz de 90% dos nossos problemas, de relacionamento (romântico, trabalho, amizades, etc), doenças físicas (pressão alta, asma, intestino, estomago, pele, câncer, diabete, etc), e problemas emocionais (fobias, estresse, pânico, comportamento temperamental, explosivo, histeria, obsessão ou compulsividade, depressão, distúrbio de personalidade, etc), estão profundamente firmadas na infância.

No nosso caminhar diário encontramos muitas pessoas que sofrem como resultado de diversos problemas físicos,
emocionais, mentais e muitas vezes uma combinação deles. Alguns tem sido forçados a conviver com dores profundas por muitos e muitos anos. Quando oferecemos a eles soluções simplistas resultantes
de nossa falta de informação, falta de bom senso e falta de misericórdia, adicionamos mais um problema a já devastadora dor que sofrem: eles passam a sentir culpa por não conseguirem aplicar os conselhos recebidos. Por isso, precisamos trabalhar para nos fortalecer ou restaurar e obter o resultado esperado: Uma
vida verdadeiramente extraordinária.

É evidente que para moldar filhos vitoriosos, precisamos ser adultos saudáveis. Ninguém pode dar o que não
tem para dar. O plano de Deus é realmente infalível, porque quando nós assumimos nossa missão como pais responsáveis e amorosos, isso nos dá uma segunda chance de, ao formar essa nova vida, restaurar fases não resolvidas da nossa própria vida. Todos ganham no plano perfeito de Deus.

A verdade que fundamenta nossa proposta é resultante de 33 anos de trabalho com famílias: Enquanto aprendemos a moldar filhos vitoriosos, temos uma maravilhosa segunda oportunidade na vida – a de restaurar pais e cônjuges para uma vida abundante – e a razão é simples: Os Requisitos do Desenvolvimento
Infantil e os Requisitos de Restauração das Vivências Passadas do Adulto acontecem observando os mesmos
princípios e trabalhando dentro da mesmas fases da vida.

Comecemos nossa jornada! Como somos seres fundamentalmente espirituais, vivendo em corpos físicos e movidos pelo tremendo poder de nossas emoções, nossa jornada vai envolver elementos destas mesmas três áreas do nosso ser:

– O primeiro objeto de nossa atenção deve ser a Formação Adequada do Ambiente: Este ambiente vai dar condições, tanto para o desenvolvimento saudável de uma criança, como para a restauração de um adulto ferido, magoado, machucado, “danificado e que precisa ser consertado.” Os quatro requisitos indispensáveis para formar este ambiente  são: Graça (misericórdia, amor, suporte), Verdade (limites, valor, carater), Amor (o único elo capaz de manter Graça e Verdade unidos) e Tempo (que permitirá espaço para modificar aprendizagens
e convicções distorcidas) . “Mas, vindo a plenitude dos tempos,  Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei (verdade), Para remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos
(graça). E, porque sois filhos, Deus enviou aos vossos corações o Espírito de seu Filho (amor), que clama: Aba,
Pai.” (Gálatas 4:4 a 6).

– O segundo objeto da nossa atenção deve ser a Sequência de Quatro Aspectos Funcionais: Eles precisam ser aprendidos, porque não são naturais para os filhos e nem tão pouco para os pais. Estes aspectos do desenvolvimento devem ser trabalhados de forma intencional:
* Conectar com outros (colar… grudar… se igualar… copiar – Mãe e filhos principalmente),
* Distanciar-se dos outros (limites… ser dono… identidade… responsabilidade – Pai e filhos principalmente),
* Co-existência (bom- mau, perfeito-imperfeito, satisfatório, perdão, papéis – Separação, individualidade),
* Tormar controle da Vida Adulta (autoridade, talentos, maturidade, confrontação, disciplina).
* O terceiro objeto da nossa atenção deve ser o Conteúdo de cada Etapa do Desenvolvimento:

– De zero a cinco anos, é o tempo do desenvolvimento pessoal, construimos a base, formamos moldes que se repetirão por toda a vida. Esta é a fundação sobre a qual vamos construir o edifício de nossas vidas. Se a fundação for construida sem firmeza, todo o edifício estará sem firmeza. Esta é a fase de formação dos Vínculos, Conexões Afetivas, Laços Emocionais e da Confiança. Os personagens desta fase são únicamente Mãe e o Pai ou pais substitutos, quando os verdadeiros morreram ou abandonaram a criança.

– De seis a nove anos, é o tempo do desenvolvimento social, extendendo nossas bases para fora da casa. Amigos,
escola, esporte, atividades de lazer, etc. Aprendemos a usar fora de casa os moldes aprendidos com os pais e irmãos.

– De nove a doze anos, colocamos a prova o que aprendemos, experimentamos a firmeza dos limites que nos foram impostos, observamos o mundo e as pessoas através dos olhos e reações de nossos pais, selecionamos o que se ajusta a nós, solidificamos quem somos.

– De treze anos em diante, experimentamos uma diversidade fenomenal de desenvolvimento: Físico-social (com
base na curiosidade e gratificação), Intelectual (com base em realçar), Emocional (numa contradição constante entre Conciliar e Confrontar), Espiritual (caracterizado por Confusão, Temor e Dúvida).

Nesta fase precisamos de pessoas adultas maduras e não egoistas, que nos possam amar incondicionalmente, porque na maioria das vezes os conflitos que vivemos não nos deixam “merecer”. Por incrível que pareça, continuamos precisando de adultos amorosos para nos guiar, mesmo que pareçamos saber tudo.Precisamos de pessoas adultas que nos respeitem mesmo quando não o merecemos e assim nos ensinando a respeitar.
Precisamos de pessoas dispostas a nos ajudar, não importanto o preço ou sacrificio. Pessoas que saibam passar a
tocha do poder e da autoridade ao mesmo tempo que ensinam como fazer uso delas com propriedade. Pessoas criativas para buscar 1200 formas de dizer a mesma coisa. Pessoas que saibam viver, modelar e ensinar uma vida de sabedoria.

– O quarto objeto da nossa atenção deve ser o Resultado Esperado do Desenvolvimento:

* Formação da Identidade (conceito próprio, força e distinção pessoal)

* Formação do Caráter (Integridade, estabilidade)

* Qualidade dos Relacionamentos (Firmeza quando pressionados)

* Propósito na Vida (Paixão, razão de existir).

Para sermos mais exatos, a saúde geral, o bem estar completo e absoluto e a capacidade de usar suas habilidades, estão diretamente ligados ao que a criança e o adolescente recebe ou não recebe de seus pais: Quantidade tanto como qualidade de tempo, atenção intensa que diz “você é importante para mim,” elogios verdadeiros e  direcionados à dar segurança, validação contínua, carícias (abraços longos e intencionais, beijos que dizem “eu te amo de verdade”), escutar olhando com intensidade no nível dos olhos da criança ou adolescente, ser
disponível demonstrando isso com a postura do corpo e concentração total de sua atenção, dar limites amorosos e firmes, incentivar o desenvolvimento de habilidades naturais, valorizar a criança e não o que faz ou não faz, etc…

Quando pensamos onde a atuação dos pais pode levar uma criança no sentido positivo ou negativo,  compreendemos que ser pais é uma extraordinária missão e responsabilidade. Muitas vezes, quando começamos a pensar profundamente no assunto chegamos a nos sentir incapazes, como se estivéssemos diante de uma
missão impossível. Justamente por isso precisamos aprender, nos desenvolver pessoalmente, nos informar, aprender com os erros de outros e decidir intencionalmente ser os melhores pais do planeta.

É bom compreender que não buscamos culpados, porque nossos pais fizeram o melhor que puderam e como adultos, temos o livre arbítrio (poder de decisão) e devemos assumir nossa responsabilidade sobre nossa vida. Mas podemos nos beneficiar grandemente de uma ajuda cientificamente inteligente para sair de situações
que podem ser paralizantes.  Já que 70% de nossos problemas como adulto foram desenvolvidos até os
5 anos de idade, outros 20% de 6 a 12 anos de idade e somente 10% é resultante de situações vivênciais da juventude e vida adulta, é evidente que moldar os filhos de forma correta dando o que eles precisam ou restaurar aquilo que não recebemos ou recebemos de forma errada para podermos ser pais e cônjuges adequados, é a atitude mais inteligente e responsável para desenvolver uma família feliz e competente para alcançar uma
vida extraordinária.

Precisamos entender muitas coisas (hereditárias, emocionais e espirituais) sobre nós mesmos. Precisamos saber
que Deus usará nossos relacionamentos atuais para prover a nutrição emocional e os ensinamentos que não recebemos quando crianças, a mentoria que não recebemos durante nossa etapa escolar, ou o companheirismo – as amizades que não tivemos como adolescentes. Deus promete cuidar de nós. “Pai de órfãos e juiz de viúvas é Deus, no seu lugar santo. Deus faz que o solitário viva em família; liberta aqueles que estão presos em grilhões; mas os rebeldes habitam em terra seca”. Salmos 68:5 e 6.

Deus pode e Ele realmente redime o tempo para nós. “E restituir-vos-ei os anos que comeu o gafanhoto, a locusta, e o pulgão e a lagarta” Joel 2:25. “O… Senhor me (Jesus) ungiu, para pregar boas novas aos mansos… restaurar
os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos presos; a ordenar acerca
dos tristes de Sião que se lhes dê glória em vez de cinza, óleo de gozo em vez de tristeza, vestes de louvor em vez de espírito angustiado… afm de que se chamem árvores de justiça, plantações do Senhor, para que ele seja glorificado … comereis a riqueza dos gentios, e na sua glória vos gloriareis. Em lugar da vossa vergonha tereis dupla honra; e em lugar da afronta exultareis na vossa parte; por isso na sua terra possuirão o dobro, e terão perpétua alegria. Isaías 61: 1, 3, 6, 7.

Ele nos restaura, a ponto de podermos agir como se nosso passado houvesse sido diferente. Se fomos lesados em importantes aspectos de nosso desenvolvimento e estas etapas estão cronologicamente no passado, isso não significa que ela não possa receber o crescimento necessário e ser tranformada Hoje! Em nossa vida adulta,
nós todos podemos crescer outra vez. Hoje – podemos encher de afeto, segurança e significado os nossos corações
“vazios e desconfiados”. Hoje – podemos “ser donos,” tomar posse de nossa própria vida. Hoje – podemos parar de nos justificar, confessar nossos erros, receber perdão, e desenvolver nosso “Eu” real. Hoje – podemos nos amar como somos e aceitar conviver com nossas diferenças e imperfeições. Hoje – podemos assumir responsabilidade
sobre nossa vida adulta para que nela, possamos ter autoridade. Assim, maduros, redimidos e restaurados
poderemos dar o mesmo que recebemos a outros. Lembre-se: “Ninguém tem maior amor do que este, de
dar alguém a sua vida pelos seus amigos.” João 15:13.

» LÚCIA BRANDÃO é psicóloga e trabalha há mais de 33 anos com aconselhamento familiar através do Ministério Plenitude. Informações sobre o tema pelo e-mail: Dr.Brandao@PlenitudHoy.com

Share

Related posts