sensus
My Partner
Lytron
Sebrae
Census

Sobrevivente de massacre no México pede que imigrantes ‘fiquem em casa’

O equatoriano que sobreviveu ao massacre de 72 imigrantes ilegais no México aconselhou outros estrangeiros que vivem ou querem entrar no país que fiquem em casa para evitar acabar como seus companheiros.

Em entrevista ao canal estatal do Equador, o sobrevivente, identificado como Luis Freddy Lala, contou sobre o episódio. Segundo ele, a viagem começou em seu próprio país, de onde partiu para Honduras e Guatemala. Esta etapa da viagem, disse, “foi normal”.

Quando chegou ao México, Lala se encontrou com um grupo de imigrantes no norte do país, no Estado de Tamaulipas. Três carros cercaram o veículo em que o grupo estava e homens armados os forçaram a descer e entrar em seus carros. Todos foram levados para uma casa.

Os imigrantes, conta o equatoriano, foram amarrados em grupos de quatro e atirados no chão, virados para baixo. “Eu os ouvi atirando nos meus companheiros. Eles dispararam contra mim e mataram todo mundo”, disse Lalas, acrescentando que depois do massacre, os homens deixaram o local.

“Quando eles saíram, eu esperei dois minutos e deixei a casa”, disse o sobrevivente. Ele procurou ajuda por toda a noite até encontra rum posto policial ao amanhecer. Lalas disse que encontrou dois homens durante esse período. Ambos lhe negaram ajuda.

O equatoriano aconselhou todos que querem ir aos EUA que abandonem seus planos, porque, segundo ele, “é muito perigoso cruzar o México”. “Estou dizendo a todos os equatorianos que não viagem mais. Os Zetas estão matando muita gente”, disse, referindo-se ao cartel apontado como o responsável pelo massacre.

As autoridades mexicanas confirmaram na quarta que uma segunda pessoa sobreviver ao massacre, mas a identidade da vítima não foi revelada por questões de segurança.

Share

Related posts