Sebrae
sensus
My Partner
Lytron
Census

Plástico desaparecido é mistério no oceano

“O caso do plástico desaparecido no mar.” Se o médico John Watson estivesse escrevendo mais uma aventura do seu amigo Sherlock Holmes, esse poderia ser o título de mais um mistério. Só que ainda falta um Holmes para chegar à devida solução.

Cientes de que o lixo é um problema tão grande nos oceanos quanto os derramamentos de petróleo, cientistas acompanharam a mesma região do oceano Atlântico Norte e mar do Caribe por 22 anos.

Padrões de vento e correntes criam um “lixão” flutuante nessa área. A equipe de Kara Lavender Law, da Sea Education Association, percebeu que o nível de plástico nos mares tem permanecido constante.

Mas os pesquisadores lembram que, de 1976 a 2008, a produção global de plástico cresceu cinco vezes –seria de se esperar mais plástico nos mares, portanto.

Redes coletavam o plástico, que era depois contado manualmente por mais de 7.000 alunos de graduação –foram mais de 64 mil pedacinhos. O estudo está publicado na revista “Science”.

Os cientistas especulam que os pedaços de plástico podem ser tão pequenos que as redes não conseguem coletá-los. Talvez estejam afundando ou sendo consumidos pela vida marinha.

“A baixa biodegradação dos plásticos permite que fiquem no mar por décadas. Podem ser ingeridos por aves aquáticas e organismos que vão de plâncton a mamíferos marinhos”, diz Law.

Share

Related posts