cultureholidays
My Partner
Census
Lytron

Mais de 7,6 mil brasileiros foram detidos ao tentar entrar ilegalmente nos EUA em 2020

O GOVERNO DOS EUA ENDURECEU AS REGRAS PARA QUEM TENTA CRUZAR A FRONTEIRA

Mesmo em ano de pandemia, 7.621 brasileiros foram detidos pelos serviços de imigração americanos en­quanto cruzavam as fronteiras terrestres dos Estados Unidos sem documentos, para construir uma nova vida no país. Os dados sobre brasileiros detidos no ano fiscal de 2020 (entre outubro de 2019 e setembro de 2020) foram divulgados pela BBC News Brasil.

Desde o fim de 2019, o governo brasileiro passou a aceitar que os Estados Unidos fretassem voos para remeter ao Brasil cidadãos detidos na fronteira com o México de maneira expressa, sem esperar o processo de imigração ou de asilo. Esse tipo de deportação, em que brasileiros não têm o direito de se apre­sentar ao juizado, não era adotada pelos americanos desde 2006.

Embora seja uma cifra menor em relação a 2019, quando o número de brasileiros detidos pelo Serviço de Prote­ção de Fronteiras e Alfândega dos Esta­dos Unidos superou os 18 mil, um recorde, o número de 2020 é quase 5 vezes maior do que o registrado em 2018, quando 1,6 mil cidadãos do Brasil foram apreendidos nas fronteiras.

Em 2020, 94% dos brasileiros detidos nessa situação por autoridades america­nas foram encontrados nos arredores da fronteira com o México, especialmente em El Paso (Texas), que em 2019 já se mostrava a principal rota ilegal de acesso de brasileiros ao país. Os dados prelimi­nares do órgão americano de Patrulha e Controle de Fronteiras mostram que o contexto internacional de pandemia e as restrições impostas pelos Estados Unidos alteraram o perfil dos migrantes brasileiros e reduziram o fluxo de entrada no país.

Enquanto em dezembro e janeiro do ano passado, o fluxo de brasileiros era contado às centenas por mês, e boa parte deles estavam em família com crianças, como era o caso de Silva, em abril de 2020, apenas 49 brasileiros tinham sido apreendidos na fronteira com o México.

Todos eram adultos e estavam sozinhos. Em números gerais, em abril de 2020, apenas 16 mil pessoas foram encontradas por autoridades americanas tentando migrar ilegalmente, um número considerado extremamente baixo para os padrões de migração da região.

Os dados de setembro de 2020, no entanto, apontam para uma clara reto­mada do movimento, com 58 mil pessoas detidas no período.

No total, 402,8 mil pessoas sem documentos tentaram entrar nos Estados Unidos no ano fiscal de 2020. O número representa uma queda de 65% em rela­ção ao total de migrantes ilegais apreen­didos em 2019. Considerados apenas os brasileiros, a queda na entrada de 2019 para 2020 foi de 58%.

Os dados devem ser intensamente explorados pelo atual presidente e can­didato à reeleição Donald Trump. Parte da plataforma política do republicano é limitar a imigração ao país. Em 2016, ele havia prometido a construção de um muro em toda a fronteira entre México e Estados Unidos.

Embora apenas trechos da obra tenham sido feitas, os números de 2020 serão um trunfo para a campanha de Trump a 20 dias das eleições presiden­ciais.

Com a pandemia, a partir de maio de 2020, os Estados Unidos baniram a entrada de qualquer pessoa que tenha estado no Brasil nos 14 dias anteriores à viagem ao país, como forma de evitar a transmissão de coronavírus de um país para o outro.

A interdição é válida ainda hoje e atinge mesmo aqueles que possuem vistos americanos válidos, com exceção de autoridades e cidadãos americanos.

Share

Related posts