My Partner
Lytron
cultureholidays

Thelma Assis – O sucesso da vencedora do Big Brother Brasil 2020

Texto de ALETHÉA MANTOVANI
@ALETHEAMANTOVANI

A médica brasileira Thelma Assis vem fazendo muito sucesso após vencer o rea­lity show Big Brother Bra­sil 2020, da TV Globo, e levar para casa o prêmio de R$ 1,5 milhão. Após uma disputa acirrada entre 20 participantes, incluin­do diversos famosos e até mesmo influencers com milhões de seguidores, a paulistana de 35 anos levou a melhor e garantiu não só o prêmio, mas muita fama, visibilidade, além de contratos publicitários bastante atrativos.

Thelminha, como ficou conhecida no reality, ganhou a simpatia de grande parte do público, incluindo pessoas anônimas e várias celebridades que formaram uma grande torcida durante a final da vigésima edição do programa. Com um discurso forte e bastante incisivo, a médica mostrou ter bastante opi­nião quando o assunto era sobre racismo, feminismo e representatividade. Além disso, ela teve muito jogo de cintura para lidar com diversas situações e conflitos que surgiram dentro da casa, e fazer as parcerias adequadas no jogo. Resultado: o público a escolheu para ser a mais nova milionária brasileira.

Sua vida mudou radicalmente após a saída do confinamento, pois além de ficar rica e muito famosa, Thelma passou a ser bastante requisitada para diversos trabalhos, ensaios fotográficos e campanhas de marcas famosas. Uma delas, bastante divulgada na mídia, é a favor do isolamento social e foi promovida pela Prefeitura da cidade de São Paulo. A brasileira também está fazendo participações semanais no pro­grama “É de Casa”, da TV Globo, onde mostra ao público a realidade dos profissionais de saúde e conta histórias de superação sobre pessoas que enfrentaram o coronavírus.

E se não bastasse tudo isso, a médica se tornou uma ainda uma campeã de audiência nas redes sociais. No Instagram, por exemplo, ela possui agora mais de 6 milhões e 400 mil seguidores. E é exatamente aí que ela leva a sua mensagem de influenciadora para encorajar mulheres em todo o Brasil e também inspirá-las.

Desde cedo, a vida da vencedora do BBB foi de muita superação e sacrifícios. Thelma foi adotada quando tinha apenas três dias de vida, mas isso nunca foi um problema para ela, pois a sua criação foi sempre repleta de amor e dedicação graças aos seus pais Carlos Alberto e Yara Assis, que a acolheram e fizeram de tudo para a filha. Mais tarde, aos doze anos, ela descobriu a sua vocação por Medicina, uma área que ela sempre sonhou estudar.

Em 2006, já na idade adulta, prestou o vestibular para o curso e conseguiu uma bolsa de estudos na PUC de Sorocaba. Com muita dificuldade, a paulistana finalmente se tornou médica e, depois, se especializou em anestesiologia. Em seguida, Thelmi­nha trabalhou em alguns prontos-socorros e hospitais públicos e conseguiu ser aprovada num concurso do Hospital do Servidor Público de São Paulo, e isso lhe representou mais uma grande conquista.

Apesar do todo o sucesso obtido, Thelma vem enfrentando alguns dissabores que a fama proporcio­na. Recentemente, durante uma live, ela foi vítima de preconceito racial ao sofrer algumas agressões verbais por pessoas que a assistiam no Instagram. Mas isso não a deixou abalada, muito pelo contrário. Ela to­mou as medidas jurídicas cabíveis e “bola pra frente”!

Agora, ela pretende seguir com a profissão de médica, mas diz que não irá deixar os outros trabalhos de lado e que, se possível, irá conciliá-los.

Na vida pessoal, Thelminha é casada com o fotógrafo Denis Cord há quase 4 anos e ainda não tem filhos. Porém, a ideia de ser mãe faz parte dos seus planos.

Na entrevista concedida à Linha Aberta Maga­zine, a nova milionária fala sobre o preconceito vivido dentro do Big Brother Brasil e nas redes sociais, sobre o confinamento e muito mais.

LINHA ABERTA – Como foi a experiência de participar de um reality show? Você já tinha imaginado algo parecido?

THELMA ASSIS – Foi uma experiência incrível na minha vida. Nós conhecemos os nossos limites dentro de um confinamento voluntário, onde as emoções ficam muito mais afloradas. Porém, eu consegui manter a minha essência e os meus valores. Eu fiquei muito feliz por ter participado de uma edição que foi histórica em vários sentidos.

LINHA ABERTA – Você se inscreveu no BBB 20 ou foi convidada a participar? Como isso aconteceu?

THELMA ASSIS – Na verdade, essa foi a segunda vez que eu me inscrevi para participar do programa. No ano anterior eu havia tentado, mas não rolou. Um dia eu estava em casa e vi um anúncio do Thiago Leifert falando sobre a abertura das inscrições e resolvi tentar novamen­te. Deu super certo e eu entrei!

LINHA ABERTA – O que mudou na sua vida após a sua participação no BBB 20?

THELMA ASSIS – Muita coisa mudou, a co­meçar pelo prêmio, já que saí vencedora! (risos). Mas, também mudou a minha rotina. Hoje eu também tenho trabalhado muito com as redes sociais, buscando levar informações não só sobre a Medicina, o que é essencial nesse momento de pandemia, mas também para questões como racismo, representatividade e feminismo. Eu estou gostando desse universo de influenciadora e aproveitando todas as oportunidades que estão surgindo.

LINHA ABERTA – O confinamento gera uma pressão psicológica muito grande. Em quais momentos você sentiu mais dificuldade em permanecer na casa?

THELMA ASSIS – Sem dúvida, o momento mais difícil foi após o anúncio da pandemia, quando eu senti uma preocupação lá dentro em saber como estavam os meus familiares e amigos aqui fora.

LINHA ABERTA – Em algum momento você pensou em desistir?

THELMA ASSIS – Em nenhum momento eu pensei em desistir pois, para mim, a frustração da desistência seria pior do que a pressão psico­lógica do confinamento.

LINHA ABERTA – Você sentiu preconceito por parte de alguns participantes?

THELMA ASSIS – Lá dentro eu não senti preconceito de uma maneira tão explícita, mas sei que teve uma repercussão grande aqui fora. Dentro do reality nós não conseguimos acom­panhar tudo o que está acontecendo. Ao sair, me passaram algumas situações ocorridas e como o público sentiu isso. No BBB, eu não percebi, mas não posso desconsiderar o que as pessoas aqui de fora viram e sentiram após algumas ações. A luta antirracista é diária! É importante denunciarmos e entendermos que o racismo ainda é muito presente em nossa sociedade, apesar de muitas vezes ele se apresentar de uma forma que não

pareça ofensivo num primeiro momento, mas que é. E devemos ter vozes ativas para que isso não continue.

LINHA ABERTA – Você acha que é possível fa­zer amizades verdadeiras dentro do reality? Você conseguiu fazer? Se sim, quem são elas?

THELMA ASSIS – Essa era uma dúvida que eu também tinha como telespectadora de reality, mas hoje posso dizer que sim. Apesar de serem três meses de programa, nós vivemos cada momento intensamente. As amizades que eu mantenho aqui fora são com a Rafa Kalimann, Manu Gavassi, Gabi Martins, Gizelly Bicalho e com o Babu Santana. Além disso, eu também tenho contato com a Marcela Mc Gowan e com o Pyong Lee.

LINHA ABERTA – Muitas pessoas torceram por você, inclusive vários artistas e personali­dades. Quais foram as suas características que conquistaram o público?

THELMA ASSIS – Acredito que tenha sido a identificação com o meu discurso e com as minhas atitudes, também por ter sido eu mesma durante todo o jogo e ter mostrado o meu melhor lá dentro.

LINHA ABERTA – O que a sua vitória repre­sentou para a sociedade?

THELMA ASSIS – A minha vitória veio em um momento delicado e reflexivo para a sociedade. Acredito que possa ter sido um reflexo de que todas as formas de preconceito precisam parar e que as pessoas já estão cansadas dessas atitudes. Os últimos acontecimentos mundiais mostram que precisamos de muita mudança ainda, mas estamos no caminho certo dessa luta.

LINHA ABERTA – Você pretende seguir como médica ou enveredar por uma carreira artística? Ou ainda, conciliar as duas opções?

THELMA ASSIS – Eu pretendo voltar para a Medicina em breve, mas tenho gostado muito dessa voz que me foi dada, de poder inspirar e representar essas bandeiras tão importantes para a sociedade. Quero, portanto, conciliar as duas profissões.

LINHA ABERTA – Como você está lidando com o assédio dos fãs? Você está preparada para o sucesso?

THELMA ASSIS – Eu tenho recebido muitas mensagens positivas e muito carinho. Claro que ainda eu não tive a oportunidade de sentir esta onda de amor pessoalmente, por conta do momento que estamos vivendo. Mas, eu estou amando!

LINHA ABERTA – Quais são os seus próximos planos e o que você pretende fazer com prêmio de R$ 1,5 milhão?

THELMA ASSIS – Eu pretendo me dedicar às minhas profissões como médica e influen­ciadora, também quero pensar em formatos de palestras para continuar compartilhando o meu conhecimento e trazendo assuntos importantes para debate. Em relação ao prêmio, eu tenho o sonho de comprar o meu apartamento, mas neste momento o dinheiro está sendo aplicado em investimentos.

FOTOS: DENIS CORDEIRO

Share

Related posts