My Partner
cultureholidays
Lytron

Rodrigo Lombardi – Talento, beleza e versatilidade marcam a trajetória de um dos melhores atores do Brasil

FOTO: BOB WOLFENSON

Texto ALETHÉA MANTOVANI
@ALETHEAMANTOVANI

RODRIGO LOMBARDI NA SÉRIE
“O ANJO DE HAMBURGO”
FOTO: DIVULGAÇÃO

Rodrigo Lombardi, 43 anos, é hoje um dos melhores e mais consagrados atores brasileiros, não somente por interpretar com maestria e muito talento excelentes personagens na TV, mas também por desempenhar papéis impecáveis no teatro e no cinema. E se fosse somente por isso, já estaria bom demais! Mas, ele é ainda bonito, charmoso e tem um carisma que encantou o público tanto no Brasil, quanto em diversas partes do mundo.

Bastante elogiado pela crítica, o ator ficou conhecido após interpretar personagens contundentes na teledramaturgia brasileira e mostrar a sua versatilidade para atuar desde o galã romântico ao vilão – algumas vezes mais amado do que odiado pelo público -, do benfeitor ao trapaceiro, além de muitos outros. Até personagem de ficção policial ele encarou, um estilo que o público não estava acostumado a vê-lo fazer, mas que também aprovou.

Durante a adolescência Rodrigo queria ser jogador de vôlei e, aos 17 anos, foi morar nos Estados Unidos para estudar inglês. Retornou ao Brasil e traba­lhou como garçom, agente de viagens e modelo, antes de ingressar na carreira artística.

A trajetória do ator na dramaturgia começou em 1995, quando ele participou da peça “João e o Pé de Feijão”. Depois, foram várias tentativas para conseguir um papel na TV e, após três anos, ele estreou na novela “Meu Pé de Laranja Lima”, exibida pela Rede Bandei­rantes. Aos poucos foram surgindo alguns trabalhos tanto no teatro, quanto em outras emissoras de televisão.

Na TV Globo, o seu primeiro personagem foi na novela “Bang Bang”, e daí em diante Lombardi atuou em diversos outros folhetins da emissora. Porém, a sua carreira começou a deslanchar em 2009, quando ele fez o indiano Raj na novela “Caminho das Índias”. O papel de Rodrigo cresceu tanto na trama, que ele se tornou um dos personagens principais da obra de Glória Perez e ficou bastante conhecido do grande público.

Depois, vieram outros protagonistas, a maioria deles em novelas do horário nobre da emissora, como: “Passione”, “O Astro”, “Salve Jorge” e “Meu Pedacinho de Chão”. E cada uma delas trouxe mais fama, visibilida­de e sucesso ao ator.

Em 2015, Rodrigo teve um grande destaque na novela “Verdades Secretas”, de Walcyr Carrasco, na qual foi o protagonista Alex, um tipo de “galã vilão” que magnetizou o público. A trama foi vendida para 40 países e tornou-se campeã de audiência no Brasil e tam­bém no exterior. Nos Estados Unidos fez tanto sucesso que foi exibida duas vezes. No Chile, os telespectadores enlouquecidos com o enredo procuravam desesperados pelos próximos capítulos em países onde a novela já estava mais adiantada.

A história foi um dos maiores sucessos da carreira de Lombardi e venceu o Emmy Internacional de 2016, na categoria melhor novela. E para a alegria dos teles­pectadores, uma segunda versão da obra já tem previsão para ir ao ar em 2021.

Em 2017, o astro foi o protagonista da série Carcereiros, exibida na plataforma de streaming da TV Globo, a Globoplay, depois na emissora aberta e, em 2019, virou um filme e foi para os cinemas. A história foi inspirada no livro do médico Drauzio Varella e mostrou Rodrigo Lombardi vivendo um agente

RODRIGO LOMBARDI COM JULIANA PAES NA NOVELA “CAMINHO DAS ÍNDIAS” / FOTO: DIVULGAÇÃO

No momento, o ator está terminando de gravar “O Anjo de Hamburgo”, uma série totalmente em inglês e produzida pela Globo em parceria com a Sony Pictures Television. Na obra, ele será João Guimarães Rosa, um escritor, diplomata e novelista, que foi casado com a brasileira Aracy de Carvalho, uma mulher que salvou a vida de muitos judeus na Alemanha, durante a 2ª Guerra Mundial.

Na vida pessoal, Rodrigo Lombardi é bastante reservado. Nas aparições que faz fora das câmeras, ele está sempre com a família, a esposa Betty Baumgarten – com quem é casado desde 2005 – e o filho Rafael, de 12 anos. Bastante emotivo e amoroso, o ator já fez várias declara­ções na imprensa para ambos, onde afirmou que gostaria de aproveitar mais o seu tempo com eles. Apesar de todo o sucesso, ele continua com um jeito simples de ser e aparenta ter até certa timidez, demonstrando que não ficou vaidoso ou deslumbrado com o que conquistou. Muito pelo contrário, que continua com os pés no chão, cada vez mais! Confira a entrevista que o ator concedeu à Linha Aberta Magazine.

LINHA ABERTA – Você sempre pensou em ser ator? Como surgiu a oportunidade para você ingressar na carreira?

RODRIGO LOMBARDI – Tudo começou com a leitura, com o fascínio pelo novo e por uma nova história. Eu comecei com o teatro do colégio e, depois, conheci uma outra turma, de um outro colégio, que tinha um grupo bastante focado. Daí para frente a curiosidade foi a única responsável pelo início da minha carreira, como por exemplo: onde estudar, os primeiros testes…

LINHA ABERTA – Você encontrou dificuldades para se consolidar na profissão? Você teve a ajuda de alguém?

RODRIGO LOMBARDI – Se você não encontra dificuldades é porque não se interessou o suficiente. Todas as barreiras são criadas ou pelo sistema ou por você mesmo. As barreiras do sistema, com o tempo, você entende, por exemplo: qual material eu preciso, onde estudar, os cursos de graça, para quem devo entregar o meu material, as audições … Tudo isso vai acontecer para você. Já as barreiras que você cria, geralmente se iniciam com a falta de capacidade de execução, pois você pode até saber o quer fazer, mas nunca vai sair do jeito que quer. Porém, você sempre irá encontrar a ajuda dos que estão na mesma luta que você.

LINHA ABERTA – Quais são os seus ídolos da teledramaturgia? Você já teve a oportunidade de trabalhar com algum deles?

RODRIGO LOMBARDI – São vários: Lima Duarte, Tony Ramos, Tarcísio Meira, Antônio Fagundes, Fernanda Montenegro, Cleyde Yáconis, Gianfrancesco Guarnieri, para citar apenas alguns atores. Com Raul Cortez, por exemplo, eu não pude trabalhar, pois não deu tempo, e eu sinto muito por isso! Eu espero que algum dia alguém também possa dizer, com orgulho, que já trabalhou comigo.

LINHA ABERTA – Você fez diversos papéis onde era o protagonista galã, fazia par romântico. Depois, atuou em papel de ficção policial, totalmente diferente, em “Carcereiros”. Você acha que o público associa mais a sua imagem com qual tipo de personagem? E qual deles tem mais a ver com você?

RODRIGO LOMBARDI – Na verdade, onde eu mais me identifico é na comédia. Eu comecei na Globo fazen­do comédia, no teatro também e ainda não retornei ao gênero após protagonizar novelas. As pessoas se identifi­cam mais com os personagens românticos, porém, o Alex de “Verdades Secretas” teve bastante aceitação. Todos estes personagens têm um pouco de mim. Pouco! Mas, têm! Não vejo outra maneira de fazer um personagem sem chegar perto dele, viver um pouco do que ele vive e tirar as impressões necessárias para verticalizar as minhas conclusões. Essa é a beleza, perigosa, da minha profissão.

LINHA ABERTA – Você já teve algum problema devido ao assédio dos fãs? E dos paparazzi? Você já se habituou com esse tipo de abordagem?

RODRIGO LOMBARDI – Eu já passei alguns sustos, mas nada que tenha sido um problema. As pessoas respeitam muito o meu trabalho. Claro que algumas não entendem que eu sou uma pessoa comum e, quando isso acontece, me abordam de maneira excessiva. Mas, eu sempre dou um jeito!

DRICA MORAES, CAMILA QUEIROZ E RODRIGO LOMBARDI NA NOVELA “VERDADES SECRETAS” / FOTO: DIVULGAÇÃO

LINHA ABERTA – As novelas há algum tempo estão mais reduzidas e com menos capítulos. Mas, por outro lado, estão mais dinâmicas e objetivas. Você acha que isso foi melhor ou pior para o ator?

RODRIGO LOMBARDI – É sempre melhor! E elas devem diminuir ainda mais. O público está se habituando às séries e, com isso, a comparação é inevitável. Acredito que os tempos são outros e o poder de síntese dos autores deve se fazer mais constante nas obras.

LINHA ABERTA – Qual o papel que mais marcou a sua carreira e lhe deu maior projeção? Aquele que as pessoas te chamam pelo nome do personagem quando te encontram?

RODRIGO LOMBARDI – Olha, o papel que mais marcou minha carreira talvez não seja algum dos mais famosos, pois tem um significado marcante para mim por outros motivos que não o sucesso de audiência. Assim sendo, o mágico Zoltar, de “Bang Bang”, o capitão Ernesto Rosa, de “Velho Chico” e Pedro Falcão, de “Meu Pedacinho de Chão”, fizeram parte de um capítulo muito especial. Mas, existem outros personagens que fizeram sucesso e são também muito especiais para mim, como o Raj, de “Caminho das Índias”, o Alex Ticiano, de “Verdades Secretas”, juntamente com o Adriano, de “Carcereiros”. Estes últimos são os nomes que eu mais ouço me chamarem nas ruas.

LINHA ABERTA – A novela “Verdades Secretas” foi um grande sucesso, obteve altos índices de audiência, e a segunda versão está prevista para o ano que vem. O Walcyr Carrasco é um autor muito criativo e faz reviravoltas incríveis nas suas tramas. Você acha que ele pode trazer o Alex de volta ao folhetim de alguma maneira?

RODRIGO LOMBARDI – Acho difícil, mas nunca impossível. Primeiro, porque ele morreu e segundo, pela dificuldade de agenda. Mas, nunca digo nunca!

LINHA ABERTA – Você é casado há 15 anos com a Betty Baumgarten e tem um filho de 12 anos, o Rafael. Você incentivaria o seu filho a seguir a sua profissão? Quais os conselhos que você daria a ele e o que diria para fazer diferente do que fez?

RODRIGO LOMBARDI – Eu incentivaria o meu filho a ser criador de lagartixas, se isso o fizesse feliz. E sobre seguir a minha carreira, eu incentivaria, claro, sempre! Mas, contaria a ele que a profissão pode ser muito ingrata. Meu conselho seria: “Se permita mais do que eu me permiti, erre mais, tente mais e você se tornará melhor do que eu!” O que não é lá muito difícil! (Risos)

LINHA ABERTA – Alguns atores brasileiros estão trabalhando em outros países, como nos Estados Unidos, e obtendo sucesso. Você já recebeu algum convite para atuar no exterior? Gostaria de ter uma experiência fora do Brasil?

RODRIGO LOMBARDI – Eu penso nisso, mas não levo a minha vida com esse objetivo. Nós podemos fazer coisas incríveis aqui! Atualmente, eu estou gravando a série “O Anjo de Hamburgo”, da Globo e coproduzida pela Sony, toda em inglês e com 70 atores estrangeiros. Será a minha primeira tentativa e… “So far, so good!”.

LINHA ABERTA – Quais são os seus próximos projetos?

RODRIGO LOMBARDI – Os meus próximos projetos são: finalizar “O Anjo de Hamburgo”, depois farei “Grande Sertão Veredas” – um longa dirigido por Guel Arraes e com roteiro de Jorge Furtado, baseado no livro de João Guimarães Rosa – e, por último, farei “Sweeney Todd”, um musical de Sondheim. Ufa! Tá bom, né?

Share

Related posts