My Partner
cultureholidays
Lytron

O novo normal – Reagir para surpreender: O empreendedorismo digital impulsiona a retomada

Texto de ALESSANDRA LEME

Se fossem eleger a hastag do momento, talvez #resiliênciaglobal fosse uma das mais votadas para representar o período atual que está marcando a mudança do curso da história do mundo – um verdadeiro reset no modo de viver, gerando a era do novo normal. Ser capaz de se adaptar às situações adversas, superar pressões e reagir positivamente nunca foi tão necessário e vital. Segundo a declaração de Dean Becke, presidente da Adaptiv Learning System, que cria programas de treinamento para desenvolver a resiliência, “Mais do que a educação, a experiência e a formação, o nível de resiliência determina quem terá sucesso e quem fracassará. Isso é verdade na ala dos pacientes com câncer, nos jogos olímpicos, e também na sala de reuniões”. O perfil dos resilientes mostra que eles decidem compreender as ame­aças para transformá-las em oportunidades e usam suas habilidades para driblar as dificuldades. E é nesta atmosfera que os empreendedores de todo planeta, em diferentes níveis, compartilham pela primeira vez na história, o mesmo desafio: se readaptarem ao novo mundo. O impacto na economia é, sem dúvida, grande mas a depender do poder de reação das empresas, pode ser uma “virada de chave”. De acordo com o IBISWorld, líder em pesquisa de mercado, o índice de consumo deverá subir em 2020, contrariando as expectativas. Segundo consultores de negó­cios, quem ficar atento às novas tendências e ao comportamento do público-alvo, ultrapassará os obstáculos. É hora de reagir, rever conceitos, reavaliar a identidade da empresa – visão, missão, propósito, valores, e se reestruturar estrategicamente para desbravar um mercado sob a influência de mudanças e novas exigências que podem levar o business para um novo nível.

“SE O POSICIONAMENTO DA MARCA É CLARO, MESMO QUE O SEGUIDOR NÃO COMPRE, ELE ENTENDE O QUE A MARCA FAZ E PARA QUEM FAZ, LOGO, FICA MAIS FÁCIL ESSE SEGUIDOR INDICAR POIS CONFIA NELA”, EXPLICOU A MENTORA E CONSULTORA DE NEGÓCIOS ONLINE, SIMONE SIQUEIRA.

  • Migrar para se reinventar

O empreendedorismo digital que era con­siderado até então mais uma opção de atuação no mercado, hoje se tornou uma necessidade. Se muitas empresas já estavam diversificando seus negócios para o universo digital, agora mais do que nunca, tornou-se uma questão de sobrevi­vência. E´ também a concretização da previsão feita por Bill Gates na década de 90. “Vão existir dois tipos de empresas: as que fazem negócios pela internet e as que estão fora dos negócios.”

Segundo especialistas em gestão empresa­rial, vender pela internet pode parecer simples mas requer ações de gerenciamento como qual­quer outro business. Realinhar o plano de negó­cios baseado no cenário atual, mesmo atuando no espaço virtual, é fundamental para guiar todas as ações em todas as áreas. “Tirar uma foto” da nova realidade para visualizar melhor as forças e fragilidades da marca diante das ameaças e oportunidades do mercado, são ações importan­tes para o posicionamento da marca. Baseado neste diagnóstico, deve-se estabelecer objetivos e estratégias, considerando o marketing mix ou os famosos 4 p’s – produto, preço, ponto de venda e promoção, uma receita que não se pode escapar para ser bem-sucedido.

Para empreender no mundo digital, é fundamental conhecer as características do nicho de mercado em que atua e principalmente o perfil do público-alvo ou persona – faixa etária, profissão, hábitos, interesses, estilo de vida, comportamento nas redes sociais, etc. O segredo é entender ao máximo o universo dos clientes através de enquetes, que podem ser feitas nos meios digitais com perguntas que possam extrair deles o que querem e esperam da marca.

As academias, por exemplo, estão se rea­dequando e oferecendo treinos on-line assim como os restaurantes estão criando novas formas de servir as refeições. As empresas que souberem captar os desejos e necessidades do público e oferecerem serviços com excelência e inovação, estarão abrindo novas possibili­dades que poderão representar um caminho sem volta.

  • Comunicar para conectar

No mundo digital, divulgar com efici­ência os benefícios que o produto ou serviço gera na vida dos consumidores, exige um olhar mais profissional e um domínio maior de elementos que compõem um plano de co­municação. Experts recomendam estratégias criteriosas para a escolha dos melhores canais (Ex. Instagram, Facebook, Youtube, etc,), de uma identidade visual consistente e um con­teúdo diferenciado com uma linguagem que agregue valor. Vale a pena fazer uma visita no site Facebook.com/business que apresenta muitas informações úteis. Otimizar o perfil no Instagram, por exemplo, é um dos primeiros passos para posicionar a marca, elaborando uma bio atrativa – o cartão de visita que desta­ca a identidade da marca.

O uso também de um link que conduz o seguidor para destinos como o site da empre­sa e para um grupo mais restrito, o WhatsApp business, são meios para uma conexão maior. Nestes espaços virtuais, a comunicação é mais direta e possibilita apresentar o propósito da marca através de técnicas que despertam o interesse do cliente.

A ideia é atraí-lo trazendo à tona os desafios e desejos que ele tem, e engajá-lo revelando soluções. E´a hora de exercitar a criatividade, produzindo posts no feed (top 10, enquetes, dicas) e vídeos (lives, stories, IGTV) que revelam como a marca pode ser últi aos clientes em potencial. Se houver a relação de empatia e confiança, a venda é uma consequën­cia natural.

O uso de plataformas digitais seguras viabili­zam a efetivação das aquisições. “Se o posiciona­mento da marca é claro, mesmo que o seguidor não compre, ele entende o que a marca faz e para quem faz, logo, fica mais fácil esse seguidor indicar pois confia nela”, afirma Simone Siquei­ra, mentora e consultora de negócios online.

E para os empreendedores que consideram que a venda não acaba no checkout e querem ir além, o estímulo aos reviews pelos clientes, pode ter um poder de influência forte a ponto de aumentar o tráfego nas redes sociais. Feedbacks positivos geram credibilidade e visibilidade à marca em uma velocidade às vezes maior do que uma campanha de marketing.

“VÃO EXISTIR DOIS TIPOS DE EMPRESAS: AS QUE FAZEM NEGÓCIOS PELA INTERNET E AS QUE ESTÃO FORA DOS NEGÓCIOS”, AFIRMOU O FUNDADOR DA MICROSOFT, EMPRESÁRIO BILL GATES.

  • Entregar para fidelizar

A depender do core business ou área de atuação, o professional liberal pode se esta­belecer no mercado e obter autoridade na sua área, gerando conteúdo gratuito. Muitos chefs de cozinha saíram do anonimato dividindo seus dons culinários com aulas e dicas, e fideli­zando seus clientes no segundo momento com a venda de cursos online. Se os profissionais agregam valor e o conteúdo faz a diferença na vida das pessoas, elas se interessam e buscam adquirir os serviços.

Cada vez mais especialistas chegam à conclusão de que o engajamento real não se baseia somente no número de fãs, seguidores e clientes mas na qualidade do relacionamen­to que se estabelece com eles, e também com os colaboradores que fazem o negócio girar. Se o empreendedor adotar o mesmo olhar que tem para o público-alvo, novos talentos na empresa podem ser revelados, contribuindo para a realização da missão do negócio.

  • Capacitar para decolar

Informação é poder e estar atento ao novo comportamento de todos os players do mercado é fundamental. Não é à toa que o número de webinars e meetings online disparou. A plataforma Zoom teve um cresci­mento gigantesco, passando de 10 milhões de usuários diários em dezembro de 2019 para 200 milhões em março de 2020, declarou o fundador e presidente-executivo da Zoom, Eric Yuan.

Muitos eventos virtuais vêm sendo re­alizados para os empreendedores da Flórida. O Brazilian Business Group, uma non-profit, vem promovendo uma série de webinars com profissionais de diferentes áreas para atualizá-los sobre temas de interesse, como o financiamento de linhas de crédito para small business, marketing digital, entre outros. O vínculo com a comunidade empresarial se fortalece mesmo que por meios digitais.

E no relacionamento com os clientes não é diferente. As ferramentas digitais criam uma conexão bem direta, comprovando que as mudanças podem servir de molas propulsoras para as empresas e profissionais se reinventa­rem e subirem de nível. Segundo consultores de marketing de renome, quem deixar a onda passar, pode deixar de navegar por experiên­cias únicas. Afinal, foi dada a largada para a temporada da superação – o tempo de reagir para surpreender.

“A PLATAFORMA ZOOM TEVE UM CRESCIMENTO GIGANTESCO, PASSANDO DE 10 MILHÕES DE USUÁRIOS DIÁRIOS EM DEZEMBRO DE 2019 PARA 200 MILHÕES EM MARÇO DE 2020”, DECLAROU O FUNDADOR E PRESIDENTE-EXECUTIVO DA ZOOM, ERIC YUAN.

Share

Related posts