Lytron
My Partner
cultureholidays

Marketing: A Crise e as Pequenas Empresas

Ah se tivesse uma bola de cristal… Muitos empresários, principal­mente os de pequenos negócios, pensariam dessa maneira: Como será 2020? Com tantas notícias contraditórias,podemos imagi­nar e temermos uma grande crise. A Europa está em crise: A França está paralisada, a Alemanha está em recessão, a Espanha, nem se fala e Itália está mais preocupada com os imigrantes. No oriente, a Rússia ameaça, o Japão é parceiro dos americanos e a China diminuiu sua capacidade produtiva. E todos os dias, em manchetes, temos as demandas existentes entre EUA e China. Isso sem falar no continente sul-americano, onde está incluído o Brasil. As grandes empresas quebram a ponta de seus lápis, em cálculos e em previsões!

Crise, que crise?

Mas esperem…

Então vamos olhar pela janela, assim dizia Peter Drucker, e ver o que realmente está acontecendo.

ONDE ESTAMOS?

Na Flórida, o Sunshine State, a Terra do Sol, uma perspectiva. O terceiro maior esta­do dos Estados Unidos com o quarto maior PIB. Com uma das melhores indústrias turís­ticas global, senão hoje, a maior. Melhores e mais bonitas praias, chamativas mesmo no inverno, mantendo temperaturas agradáveis. Indústrias das mais diversas, nas áreas de saúde, tecnologia, aeroespacial e militar. Isso sem contar a indústria da construção, hoje considerada a mais ativa da região e em crescimento. As melhores escolas estão nesse estado. Os imigrantes que aqui chegam vem em busca de uma melhor qualidade de vida e de oportunidades para realizarem os seus sonhos. Milhares de pessoas mudam­-se por ano, para a Flórida. Essas famílias irão consumir, comprar carros, seus filhos frequentarão as escolas e comprarão ou alugarão casas.

OS NÚMEROS

Mais de 130 milhões de turistas/ano visitam o Sunshine State, e cada um traz no mínimo 1.000 dólares que irão gastar em hotéis e aluguéis de casa, passeios e restau­rantes, parques temáticos e praias, navios de turismo, locação de carros, além de compras, muitas compras nos outlets. As pequenas empresas são as protagonistas em quase todos esses setores. Indústrias tecnológicas e de saúde promovem o desenvolvimento da pesquisa, da inovação e de novas tecnologias. Geram empregos com melhores remunera­ções, ampliam o mercado de trabalho com especializações. Mais de 4 bilhões de dólares serão investidos nos próximos 3 anos. Neces­sitam a participação de pequenas empresas como fornecedores.

A indústria da construção é a maior empregadora e sua rede produtiva abrange uma centena de atividades, beneficiando, principalmente as pequenas empresas. A tendência é um crescimento maior para os próximos anos. Não podemos deixar de lado a parte de investimentos em infraestrutura. Exemplificando o “trem bala” que ligará Mia­mi a Orlando e Tampa, aplicando 3,5 bilhões de dólares nos próximos 3 anos. E continua­rá gerando empregos e negócios. A taxa de desemprego na Flórida é inferior a 3,6% ao ano e o crescimento de emprego futuro, em 10 anos, será de superior a 50%.

MARKETING, A PEQUENA EMPRESA PREPARADA PARA 2020

Temos as informações necessárias para planejarmos o futuro, sem que precisemos da bola de cristal e encerrarmos 2020 com prosperidade. Portanto não nos é difícil pre­vermos o futuro, mas quando Peter Drucker, numa palestra, falou sobre isso, houve um frisson na platéia. Mas também não é fácil! As pequenas empresas devem utilizar instru­mentos para terem uma visão clara do ano. Os bons resultados serão atingidos com um bom planejamento.

O nosso planejamento deve analisar cada produto, sua rentabilidade, o tempo de prateleira e o tempo a ele dispensado, além de como está sendo feita a sua distribuição e a forma de comercialização. Se o valor é con­dizente com a importância aplicada. E se está atendendo o desejo do nosso cliente, pois ele é o sentido da existência da empresa.

Com todas as respostas positivas o re­sultado é a permanência do produto ou ser­viço. Como responderemos às perspectivas planejadas para 2020? Algumas perguntas vão nos auxiliar nesse processo.

  1. Qual é a sua missão?

Somente uma definição clara da missão. “É razão de existir da organização e torna possí­veis, claros e realistas os objetivos da empre­sa. A missão é, em essência, o propósito da organização.” (Peter Drucker).

  1. Qual o nosso plano?

Planejar e planejar, estabelecendo metas, definindo os resultados e os analisando constantemente. A missão não se altera, o que alteramos e revisamos são as metas. Por­tanto tenha metas bem definidas e sempre as divulgue. E ao planejar, inclua a introdução da inovação. É pela inovação que superamos os entraves de mercado e nos aproximamos do nosso cliente. Pela inovação criamos uma necessidade ao cliente e com isso atendemos as suas expectativas. No planejamento de­vemos analisar os fatos ocorridos nos anos anteriores e conhecer os acontecimentos que ocorrerão em 2020 e nos próximos anos, já de conhecimento público e que influenciarão o mercado. Por exemplo, as eleições presi­denciais americanas.

  1. Quais são nossos resultados?

Atender as metas estabelecidas, analisando o desempenho de cada produto, criando estratégias para vendas e produtos.

  1. Quem é o nosso cliente?

Muitas vezes atiramos para todos os lados, sem sabermos exatamente quem é o nosso cliente. Como poderemos focar nossos pro­dutos/serviços se não conhecemos o cliente?

  1. Qual o valor desse cliente?

É ele quem vai gerar o lucro para empresa. É a razão da existência do negócio. Algumas recomendações são importantes, como a utilização de ferramentas para divulgar as atividades da empresa e ampliar os proces­sos de venda, como as redes sociais e o web site. Sempre lidere e comande a sua empre­sa, instruindo e educando sua equipe para que façam parte ativa da empresa. E sempre faça a abordagem do seu negócio a partir do ponto de vista do cliente.

Você no comando, aplicando os prin­cípios do marketing e “suando a camisa” poderá vencer 2020 e ter a visão de um prós­pero futuro. Mas não se esqueça também de agradecer. Agradeça aos seus clientes, aos seus funcionários, a sua família e principal­mente a Deus.

 

Texto Eduardo Prugner

Share

Related posts