Lytron
My Partner
cultureholidays

Presidente de Portugal Entrega Prêmio para HC da Unicamp

CARLOS ARIETA, CHEFE DA DISCIPLINA DE OFTALMOLOGIA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS
MÉDICAS DA UNICAMP, DURANTE DISCURSO DE RECEBIMENTO DO PRÊMIO

O Serviço de Oftalmologia do Hos­pital de Clínicas da Unicamp assegurou, juntamente com outras duas instituições brasileiras, o Prêmio Champalimaud de Visão, a maior premiação internacional de oftalmologia. Essa foi a primeira vez que um país da América Latina foi contemplado e a premiação é de 1 milhão de euros divididos entre os três vencedores.

A premiação foi entregue em Lisboa, pelo presidente de Portugal Marcelo Rebelo de Sousa. O prêmio foi entregue ao chefe da Disciplina de Oftalmologia da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp, Carlos Arieta acompanhado das medicas oftalmologistas do HC Denise Fornazarri e Rosane Castro. O superintendente do HC Antonio Goncalves de Oliveira Filho acompanhou a cerimônia que aconteceu no Centro Champalimaud, em Lisboa. “Um momento histórico para o Hospital de Clínicas e para a medicina da Unicamp”, enfatizou Oliveira Filho.

“O Brasil ultrapassa a América Latina e, para nós portugueses, todos nós, tenha­mos ou não um pouco da nossa alma fami­liar ligada ao Brasil, representa do melhor que no mundo projeta a língua portuguesa, o génio, o talento daquela realidade que nos une como plataforma a tantos continentes, a tantos oceanos, a tantas culturas, a tantas civiliza­ções”, disse o presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa em seu discurso.

O comitê da Fundação Champalimaud avaliou dezenas de projetos nos países da América Latina. O da Unicamp foi o Projeto zona livre de catarata, criado em 1986 e que viabilizou – no HC ou em ações em outras cidades da região – ao longo dos anos mais de 10 milhões de consultas e cerca de 2 milhões de cirurgias de catarata. “Esse reconhecimento estendemos a todos aqueles que já passaram pelo nosso serviço e foram fundamentais para combate à cegueira e outras doenças da visão, como o professor Newton Cara José”, destacou Arieta.

Arieta frizou em seu discurso a importân­cia de um serviço público gratuito de quali­dade como o que a Unicamp oferece à toda a população da região e até de outros estados. “Eliminar as barreiras no acesso à saúde ocular, combatendo à cegueira e a outras doenças of­talmológicas é a nossa missão e replicamos isso por outras unidades hospitalares vinculadas à

Unicamp”, comentou. Medicos residentes do HC que participam do Congresso Brasileiro de Ofltalmologia, no Rio de Janeiro, também comemoraram a conquista histórica.

O Prémio Champalimaud de Visão foi lançado em 2006, em homenagem ao industrial português António Champalimaud (1918-2004), idealizador da Fundação Champalimaud e que ficou cego numa fase avançada da sua vida. Di­vidiarm a premiação com o HC da Unicamp: O Instituto Altino Ventura, em Recife e o Instituto Paulista de Estudos e Pesquisas em Oftalmologia (Ipepo/SPDM) da capital São Paulo.

Share

Related posts