Lytron
My Partner
cultureholidays

Simonetta Lein e Míkah Fashion

DUAS HISTÓRIAS. UMA VISÃO. FAZER DIFERENÇA NA VIDA DAS PESSOAS ATRAVÉS DA MODA.

A influencer italiana Simonetta Lein e a estilista brasileira Miriam Grunhaus se conheceram através de uma amiga em comum, a Celebrity Bravo TV stylist Ali Levine, que fazia parte do elenco do programa Stripped da Bravo. A Ali sugeriu que “nos uníssemos para doar à Wishwall Foundation”, de Si­monetta Lein. A Ali Levine doou seus servicos de estilista e Miriam doou roupas da Mikah Fashion. O pacote foi leiloado e o valor dado para a Wishwall Foundation. E o resto é his­tória. Não poderíamos imaginar que a influencer a e estilista tivessem tanto em comun: ter a moda como uma ferramenta para mudar a vida das pessoas. E esta parceria não poderia ter sido melhor.

Depois da doação, Miriam agra­deceu a Simonetta pela oportuni­dade. “Fazer caridade é algo muito importante na minha vida e algo que fazemos regularmente. Eu adoro fazer parte do cumprimento dos sonhos das pessoas. Quando surgiu a oportunidade de ser capa da Linha Aberta, enviei uma coleção de peças para a Simonetta e perguntei se ela gostaria de ser a modelo uma vez que compartilhamos a mesma visão e ela ter tudo a ver com a nossa marca”. E deu certo.

Simonetta Lein está entre as top 100 fashion influencer no mundo, fundou a Wish Wall Foundation, uma organização que ajuda pessoas necessitadas pelo mundo. Ela usa sua influencia como blo­gueira para defender a causa de centenas de pessoas que precisam de ajuda e re­cursos financeiros. Simonetta trabalhava para a revista Vanity Fair Italy e depois de mudar para a Philadelphia, começou seu blog, sempre postando sobre como podemos sonhar nossos sonhos. A idéia deu tão certo que hoje ela trabalha com coaching, ajudando milhares de pessoas, muitas delas ligadas ao mundo fashion.

Em seu Instagram Simonetta tem 1.7 milhões de seguidores, apresentando um conteúdo de moda e mostrando a visão de empoderamento da mulher no seu blog www.thewishmaker.com e nas redes sociais. A influencer é destaque em várias publicações, entre elas, Elle, Bazaar, Forbes, Glamour, Cosmopolitan e Life Magazine.

Miriam Grunhaus decidou fundar a Míkah Fashion em 2015 como uma mar­ca voltada para o desenvolvimento do conceito Kintsugi na moda linkado com seu blog que conta a história de mulheres que passaram por situações difíceis e que hoje superaram suas perdas e são felizes.

“Mikah é mais que uma marca de moda. Nosso vestuário tem uma mensagem, um significado inspirador. Queremos capacitar as mulheres para se aceitarem com suas imperfeições e limi­tações. Encorajamos as mulheres a “usar suas cicatrizes” com orgulho (badges of honor), para entender que cada uma de nós é um trabalho único em progresso”.

Miriam explica que é importante as mulheres saberem que são lindas, in­dependente de suas circunstâncias, mas por causa delas. “Queremos capacitar as mulheres para enfrentarem suas lutas e serem mais fortes. Esperamos que nossas roupas lembrem as mulheres de seus pontos fortes e únicos. Nós podemos transformar nossas vidas em uma expe­riência alegre e rica, independentemente do que aconteceu no passado”, explica Miriam, que tem como trademark em suas criações artísiticas filetes de ouro que simbolizam a remendação depois da quebra.

A MENSAGEM DA COLEÇÃO KINTSUGI

Na cultura japonesa, as cerâmicas quebradas não são descartadas ou rejei­tadas; em vez disso, elas são reparadas com laca em ouro ou prata. O resultado final é mais bonito, valioso e mais forte do que o original. A mensagem é que “quebrado” não é lixo, mas sim uma oportunidade para melhorar e transfor­mar.

“Esta forma de arte diz que, através do processo de conserto, nos tornamos ainda mais encantadores e excepcionais do que antes. Nosso vestuário é uma interpretação dessa arte japonesa reverenciada. Esperamos inspirar mulheres quando vestem nossas peças, além de inspirar aqueles que veem nossas roupas nelas. Sempre para descobrir uma mensagem signifi­cativa em modelos comfortáveis e versáteis na nossa coleção”, explica a estilista brasileira.

BLOG DO KINTSUGI

A Mikah Fashion lançou no início do ano o blog #WeAreKintsugi, escrito pela própria Miriam. O blog é uma série de entrevistas que Miriam fez com mulheres que passaram por momentos difíceis, às vezes verdadeiras tragé­dias, e conseguiram alcançar a alegria. E Miriam compartilha as lições que aprendeu em suas conversas com essas mulheres especiais.

“Comparilhamos histórias de mulhe­res comuns que passaram por obstáculos e dificuldades, mas hoje são felizes e vivem uma vida gratificante. Eles vêem suas circunstâncias passadas como os blocos de construção para o notável que são agora. Nosso objetivo é inspirar e motivar! Vamos construir uma comunidade onde apoiamos e capacitamos uns aos outros e nos ajudamos nos momentos difíceis. Nós acredita­mos que somos melhores e mais fortes juntos”, salienta Miriam.

DESIGNER MIRIAM GRUNHAUS, CRIADORA DA @MÍKAHFASHION, COM O AMIGO E MENTOR ALFREDO VERSACE, NA SOUTH FLORIDA

INTERNATIONAL FASHION WEEK

“Quando a vida te dá limões…Você faz limonada. Você também mói a casca de limão para enfeitar as tortas e de­pois planta um limoeiro. Alguns não superam dificuldades. Alguns sobrevivem a eles. Alguns tomam suas dificuldades e usam o que os quebrou para se redefinirem e então se de­dicam a ajudar os outros a alcançar a alegria. Eles são Thri­vers”. E estas histórias estão no blog http:/.ly/MikahBlog.

O NOME ATRÁS DA MARCA

Miriam Grunhaus é carioca nascida de pais europeus. Mudou para os EUA para fazer faculdade e se formou em Design Publicitário (com honras) pelo Fashion Institute of Technology. Em 1991, ela fundou a GreenHouse Design Inc., uma agência de marketing e desenho gráfico. Depois de sofrer uma perda pessoal, Miriam decidiu que precisava de uma mudança de carreira e foi quando fundou a Míkah Fashion e entrou para o mundo da moda. Ela achava que ocupando sua mente e seu tempo, isso a afastaria da tristeza e se recuperaria. Mas estar ocupada não era exatamente curar seu coração. Foi quando ela se deparou com a arte de Kintsugi. “Foi um momento de aha!”

Depois de aprender sobre a arte e dar uma boa olhada em sua vida, Miriam percebeu algumas coisas: Ela precisava se dar permissão para ser feliz novamente. O que a quebrou não a define; mas sim como ela consertaria sua vida. Ela poderia se concentrar em sua própria jornada de cura ou poderia se comprometer a ajudar os outros e dar ainda mais valor ao que havia acontecido durante a jornada dela.

Miriam usou o Kintsugi como fonte de inspiração para projetar sua coleção. Demorou 4 meses. Desde o momento em que ela teve a ideia até que a coleção foi projetada. A linha teve sua estréia na South Florida International Fashion Week (SFIFW) com sucesso, onde foi patrocinada para mostrar a linha por mérito de inovação e estilo.

Projetar uma linha de roupas que inspirasse e em­poderasse não é o suficiente para a estilista. O sonho de Miriam é criar uma tribo de mulheres que se juntem àquelas que sobreviveram e prosperaram com aquelas que ainda estão passando por dificuldades para poderem inspirar, motivar, validar e apoiar uns aos outros nas suas jornadas. E que a moda seja uma das formas delas se expressarem e for­talecerem, tendo como um lembrete que podemos sempre consertar e remendar.

COLEÇÃO KINTSUGI

A linha de roupas incorpora a forma de arte Kintsugi. Essa tradição japonesa nos ensina que a imperfeição é bela e valiosa. Quando um objeto de cerâmica quebra, ele é remendado e consertado com ouro para honrar a história da peça. O resultado é uma nova criação, mais bonita e valiosa por causa de sua história. Cada nova criação é única,

requintada e valorizada.

A coleção de Mikah celebra mulheres que se orgulham de suas cicatrizes e imperfeições. Essas mulheres inspiram outras pessoas a consertar seu quebrantamento e se curar. A coleção Kintsugi é muito mais do que roupas. Tem

uma mensagem significativa que cria comunidade,

autenticidade e força.

 

ROUPAS COM INTENÇÃO

E essa tem sido a meta da designer. Miriam explica que a Míkah Fashion utiliza tecidos macios e elásticos que são con­fortáveis na pele e são fabricados eticamente na Itália. O tecido é enviada para Portugal onde é impressa e fabricada. Muitos dos estilos são extraordinariamente versáteis. A maioria das peças pode ser usada de maneiras diferentes, tornando-as as companheiras de viagem perfeitas. As seleções adaptáveis transformam e permitem que a pessoa encontre o caminho certo para usá-las em seu tipo de corpo e ocasiões.

“Nossas peças lembram as mulheres que elas são muito mais do que seus corpos. Eles são suas histórias. Queremos que as mulheres saibam que não devem esperar pela luz no fim do túnel. Elas são a luz e elas podem iluminar o túnel agora mesmo! O fim do túnel é o fim da estrada. Não há razão para passar pela vida no escuro, sentado e esperando pelo fim. O sofrimento não discrimina entre cor, religião, idade, tamanho ou etnia. Nem nós devemos. Devemos nos unir e ajudar um ao outro a ser o melhor que podemos ser. Quando estamos plantando nosso limoeiro, devemos todos nos revezar para regá-lo e dar-lhe o amor e o cuidado que precisa para flores­cer”, explica.

Na sua experiência como designer, Miriam enfrentou muitos desafios de criar na marca de roupa e colocar esta mar­ca no mercado. Ela disse que hoje o mercado trabalha muito com o fast fashion, mas ela acredita que há um movimento para comprar produtos que sejam sustainable e fair trade. “Pode levar tempo, mas acredito que marcas que são cuidado­sas com essas coisas têm um lugar no mercado”.

Share

Related posts